Ilustração - Blog Franchise Store

Vantagens e riscos de abrir uma unidade franqueada de marca iniciante

* Por Filomena Garcia, sócia-diretora do Grupo Cherto.

O mercado de franquias tem crescido de forma expressiva nos últimos anos. Por conta desse sucesso, o franchising tem atraído uma série de empresas que resolvem usar esse sistema para expandir seus negócios.

Segundo a ABF (Associação Brasileira de Franchising), existem hoje mais de 2.900 redes de franquias. Só em 2014, surgiram quase 240 novas marcas no mercado. Quem visitar a feira de franquias, que acontece de 24 a 27 de junho em São Paulo, vai se deparar com diversas estreantes.

Esse crescimento é muito positivo para quem quer comprar uma franquia, já que as opções se diversificam a cada ano. Porém, diante de tantas marcas, muitos investidores podem ficar em dúvida: afinal, vale a pena apostar em uma rede iniciante?

Para ajudá-lo a tomar sua decisão, vamos destacar aqui alguns pontos a serem observados antes de investir em nova franquia e os principais desafios que o candidato pode enfrentar ao fazer essa escolha:

  1. Histórico da empresa

O primeiro passo é entender quanto tempo a marca tem de experiência no mercado. Afinal, a empresa pode ser novata no sistema de franquias, mas pode ter muitos anos de história, seja como indústria que vende para lojas multimarcas ou mesmo varejista que opera apenas com lojas próprias.

Caso a empresa já tenha experiência, o investidor sabe que estará com alguém que conhece muito bem seu consumidor final, e isso é um ponto extremamente positivo.

  1. Opções de pontos de venda

Quem opta por investir em uma nova marca tem a grande vantagem de poder crescer junto com a rede. Afinal, o mercado ainda não foi ocupado por outros franqueados e as regiões de maior potencial para vendas ainda estão disponíveis. Isso significa que o candidato terá bons pontos de venda à sua escolha e ainda terá espaço disponível caso queira abrir outras unidades no futuro.

  1. Flexibilidade do sistema

O franqueador poderá ter maior abertura e flexibilidade em receber novas ideias e contribuições do seu novo franqueado, já que no início todos estão muito atentos para necessidades de ajustes e melhorias. Por isso, para aqueles que tem um perfil mais participativo, uma nova rede de franquia pode dar mais espaço para envolvimento do franqueado e espaço para interferir na construção do modelo de negócio.

  1. Formatação do modelo

Como o franqueador é novo neste papel, por mais que ele se esforce, estará aprendendo como lidar com o franqueado. É possível que ocorram algumas falhas. O importante aqui é o franqueado ter a certeza que o franqueador contratou uma empresa especializada para ajudá-lo na formatação da franquia, assim a chance de erros diminui consideravelmente.

  1. Plano de marketing

Se a marca ainda não for conhecida no mercado, o futuro franqueado deverá saber que levará mais tempo para que o consumidor se familiarize com os produtos e serviços da empresa. Isso não será um problema, desde que o franqueador tenha um bom plano de marketing para divulgação da marca e atração de clientes.

  1. Estudo potencial

Ao estimar quanto o franqueado terá de investir para abrir a franquia, quanto ele deve faturar nos primeiros anos e qual é o prazo de retorno do investimento, a franqueadora sempre considera os resultados de acordo com a média que a rede já possui.

Neste caso, uma marca nova terá pouco histórico, e por isso será fundamental que o franqueador apresente um estudo de potencial, e que o franqueado se certifique das bases desse estudo para validar os números.

Como você pode perceber, o que garante o sucesso de uma franquia não é apenas o seu tempo de experiência no franchising, mas principalmente o trabalho que esta por trás da marca, o aprendizado e todos os resultados o que ela já alcançou atuando em outros canais de venda. Tudo isso contará muito para que essa marca construa um futuro de sucesso no Franchising.