Ilustração - Blog Franchise Store

Setor de Hotelaria e Turismo registra o maior crescimento no primeiro trimestre do ano

O balanço de franchising no primeiro trimestre deste ano, apontou o setor de ”Hotelaria e Turismo” como o que mais cresceu, em termos de faturamento.

 

As redes começaram a atuar com força no e-commerce como principal estratégia de vendas e avalancaram o faturamento do setor. Muitos brasileiros no exterior movimentam as agências, e muitos estrangeiros no Brasil favorecem a hotelaria. As franquias de turismo e hotelaria faturaram mais de R$ 2 bilhões neste primeiro trimestre de 2018.

Boa parte das franquias do setor trabalham no modelo de agência de viagens, com venda de voos e pacotes de turismo. A própria Latam, companhia aérea, tem um braço voltado à venda de pacotes que opera no modelo de franquias, a Latam Travel, que tem investimento inicial a partir de R$ 210 mil.

Outra gigante do setor que opera por franchising é a CVC. Com 45 anos de atuação, a empresa tem mais de mil lojas em todo o país. A empresa trabalha em um modelo em que não cobra royalties, a principal taxa mensal que as marcas costumam cobrar de seus franqueados. O investimento inicial na franquia da CVC parte de R$ 60 mil, para lojas de ruas.

Da 16 franquias de turismo e hotelaria filiadas à ABF, 12 trabalham no modelo de agência de viagens. Outro segmento é o de intercâmbios. A CI, por exemplo, é especializada em viagens de estudos e trabalhos no exterior. Além da loja, a rede conta com um modelo home office em que o investimento parte de R$ 4 mil, sem cobrança de taxa de royalties.

Nos últimos cinco anos, até 2017, o mercado online de turismo cresceu 73% no Brasil. A compra de pacotes turísticos e de viagens pela internet chegou à marca de R$ 30 bilhões, em 2016, segundo dados da Ebit, no relatório Webshoppers. As redes de franquias cada vez mais disputam um quinhão neste espaço.

Apesar do bom resultado no primeiro semestre, vale lembrar que a hotelaria e turismo é um dos menores segmentos no mundo do franchising brasileiro. Entre os associados da ABF, menos de 2% são deste segmento. A área com mais redes é a alimentação. É também o setor com maior faturamento (R$ 10,59 bilhões, no primeiro trimestre deste ano).

 

Fonte: Gazeta do Povo