Ilustração - Blog Franchise Store

QG Jeitinho Caseiro lança franquia durante Feira do Empreendedor

QG

Servir pratos com um sabor especial, como se fossem feitos em casa. Desde 1981, a empresa goiana Jeitinho Caseiro trabalha com essa filosofia. Depois de quase 30 anos de atividades, a rede aproveita a Feira do Empreendedor, em Goiás, para lançar a sua franquia. A idéia é abrir 10 lojas por meio deste sistema até o fim de 2010. A Feira do Empreendedor começou na última quinta-feira (10) e prossegue até o próximo domingo (13) no Centro de Convenções de Goiânia.

A QG Jeitinho Caseiro foi criado pelo casal Maria Cristina e Paulo Roberto de Carvalho. Em 1979, eles compraram de familiares a loja Quitandinha Goiana, que vendia salgados e biscoitos. Dois anos depois, com a inauguração do Shopping Flamboyant, na capital, o casal calculou que o local precisava de uma loja que vendesse pastéis. A Quitandinha emigrou para o Flamboyant e trocou o nome para Jeitinho Caseiro.

Com 10 lojas próprias em Goiânia, Carvalho começou a pensar nas franquias há alguns anos, a partir de demandas dos próprios clientes, que perguntavam se a marca trabalhava com este sistema. “Passamos a refletir mais seriamente sobre o assunto a partir daí”, recorda Guilherme Carvalho, diretor de Marketing e Expansão da QG Jeitinho Caseiro.

Em 2006, o dono do negócio começou a trabalhar com uma empresa especializada em franchising. Nestes três anos, houve estudos sobre a viabilidade do negócio e a preparação de manuais sobre os diversos procedimentos da marca goiana, como atendimento, marketing e produção.

Passada esta fase, Guilherme conta que começaram as negociações para o franquiamento da QG Jeitinho Caseiro. O diretor viajou recentemente a Cuiabá e espera que até o fim de 2009 três lojas sejam abertas na capital do Mato Grosso. No ano que vem, ele pretende levar a QG Jeitinho Caseiro para Uberaba e Uberlândia (MG), Palmas (TO), Águas Claras e Brasília (DF). Guilherme tem como meta que, no prazo entre 10 e 15 anos, haja 400 lojas da Jeitinho Caseiro no Brasil. “Acreditamos em nossa marca e com a franquia você cresce mais rápido”, diz.

Em 2000, a empresa de Goiânia também passou a produzir sanduíches e grelhados. Guilherme lembra que isso aconteceu porque os clientes de uma loja em um centro comercial na capital pediram para que eles cozinhassem outros alimentos além dos pastéis. “Todos os fast-food da praça da alimentação desse lugar haviam fechado e começaram a sugerir que preparássemos refeições’, recorda o diretor.

Com pastel, sanduíche ou grelhado, Carvalho diz que sua empresa oferece um diferencial ao consumidor. “Apostamos no sabor e na qualidade, como se nossa comida fosse feita em casa”, explica.