Ilustração - Blog Franchise Store

O que o investidor precisa saber antes de abrir uma franquia de calçados

Somente no ano passado, o segmento de calçados e acessórios faturou mais de R$ 7 bilhões no mercado de franquias, representando uma alta de 17,1% em relação a 2012, segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Em seus planos de expansão, as marcas buscam espaço em todas as regiões do país, principalmente nos shoppings. A tendência de novos shoppings em cidades do interior está atraindo a atenção de diversos segmentos, e com calçados não é diferente.

“A maioria das lojas vendem calçados de sua própria marca, principalmente quando o produto é sapato. Com exceção de lojas multimarcas, que geralmente trabalham com diversas marcas de tênis e indústrias de calçados”, explica Paula Marques, líder de projetos da Cherto Consultoria.

Uma tendência que ganhou força nos últimos anos são indústrias, que antes direcionavam seus produtos apenas para lojas multimarca, criarem lojas exclusivas e expandirem através do Franchising. Um exemplo é a fabricante de calçados infantis Bibi, fundada em 1949 e que só em 2007 aderiu ao sistema de franquias. “É uma maneira que estas empresas encontram se relacionar melhor com o cliente, mantendo o contato direto, além de controlar melhor o estoque e o posicionamento da marca”, comenta Paula.

Antes de abrir uma unidade, o investidor deve se atentar a alguns pontos. “Além de saber administrar estoque e manter uma equipe bem treinada, o franqueado também deve fazer um bom marketing e manter a loja sempre com um visual atrativo, a começar pela vitrine. É importante também que os funcionários saibam vender para que o cliente saia com mais de um item da loja. Fazer o cliente que entra na loja para comprar um sapato, levar também acessórios, como bolsas e cintos”, ressalta a consultora.

Quem planeja abrir uma rede de lojas de calçados no país, deve prestar bastante atenção à concorrência. Muitas marcas, nacionais e estrangeiras, já estão consolidadas no franchising e já têm o know-how de como trabalhar com os diferentes perfis de clientes em diversas regiões. Existe o risco da rede não se sobressair entre as outras, o que torna o investimento arriscado.

Confira 20 redes de calçados e acessórios:

Arezzo – R$ 600 mil

Andarella – R$ 185 mil

Authentic Feet – R$ 230 mil

Bibi Calçados – R$ 600 mil

Capodarte – R$ 500 mil

Carmen Steffens – R$ 400 mil

City Shoes – R$ 160 mil

Denny Tennis R$ – 375 mil

Di Santinni – R$ 390 mil

My Shoes – R$ 350 mil

Pezinho e CIA – R$ 110 mil

Raphaella Booz – R$ 390 mil

Regina Rios – 328 mil

Sandaliaria – R$ 110 mil

Shoe Shop – R$ 105 mil

Santa Lolla – R$ 320 mil

Use Shoes – R$ 150 mil

Via Mia – R$ 500 mil