Anúncio

PUBLICIDADE

Encontre as melhores franquias para o seu perfil

Um bom negócio precisa de bons alicerces. Saiba como diminuir os riscos

21 de dezembro de 2020

Compartilhe
Um bom negócio precisa de alicerces

A realidade como parâmetro

Nos últimos anos, temos visto muitos comentários sobre franquias e seu impressionante crescimento, maior que dois dígitos anuais. Isso passa uma imagem para o mercado de que franquia será sempre um bom negócio, tanto para a franqueadora quanto para o franqueado. No entanto, a Brumed vem trazer aqui uma reflexão.

Acreditamos que essa imagem de sucesso garantido deve ser muito bem avaliada, pois embora as taxas de sucesso dos negócios em franquias sejam realmente superiores às dos negócios independentes, existe mortalidade também em franquias.

Mas o intuito aqui não é desanimar você, muito pelo contrário. É “abrir a cortina” para que seus olhos enxerguem a realidade como ela é. Nossa missão é trazer dados reais e reflexões necessárias para que você construa o seu negócio sobre bases sólidas e confiáveis. É abrir caminho para você ter condições de fazer seu negócio dar certo e decolar.

Na veia do Franchising

De acordo com o livro Gestão Estratégica do Franchising, publicado em 2011, sabemos que “É uma estratégia de expansão dos negócios que envolve a transferência de know-how e métodos de se fazer as coisas entre duas partes, a Franqueadora e o Franqueado, que constroem uma relação de longo prazo visando resultados sustentáveis e duradouros, além de se desenvolverem constantemente na busca de maior participação de mercado, de forma rentável e dentro de modelos de negócios em que o planejamento e a gestão estratégica são fundamentais para a consecução dos resultados esperados.”

Os pilares para fazer um bom negócio em franquias

Com base nesse contexto, podemos dizer que os principais pilares de um negócio em franquias são:

  • Modelo de negócio: definição clara e objetiva do que está sendo franqueado e suas expectativas financeiras de viabilidade, modelo de receitas e gastos para ambas as partes, a visão de longo prazo da empresa no que se refere ao formato e adequação aos princípios legais do sistema de franquias.
  • Padronização de processos e operação: se a franquia tem a “replicabilidade” como sua base, os processos de negócios precisam estar devidamente estruturados pela franqueadora para permitir maior acesso ao conteúdo pelos franqueados.
  • Potencial de expansão do negócio: é a definição de cálculos e estimativas sobre quantas unidades e em que locais cabem as franquias, seu poder de atratividade dos investidores e o potencial de mercado (capilaridade).
  • Perfil do franqueado: é importante que haja clareza sobre qual é o melhor perfil e requisitos, para que os candidatos possam estar mais alinhados, e também para que a busca seja mais efetiva e seletiva, proporcionando maiores chances de sucesso do negócio.
  • Definição do papel das partes: ainda há muita confusão sobre quem faz o quê em uma relação de franquias e nesse estágio é importante deixar claro que desenvolver o negócio e pensar no horizonte de médio e longo prazo são responsabilidades do franqueador. Por outro lado, agir no curto prazo e no local, fica a cargo do franqueado.

Como fazer acontecer?

Ao decidir comprar uma franquia, você vai iniciar um caminho duro e longo, afinal é seu dinheiro e futuro que estão em jogo.

Mesmo pesquisando e tomando muitos cuidados, isso ainda não será uma garantia para o sucesso que você tanto deseja.

Mas temos uma boa notícia: fazendo tudo isso, você com certeza vai diminuir bastante a chance de algo errado ou de ser surpreendido por um imprevisto.

Você estará preparado!

Desejamos muito sucesso e ótimos negócios.

Quer saber mais sobre empreendedorismo? Acesse nosso site