A tecnologia e o crescimento do franchising

É evidente que a tecnologia está provocando uma revolução no mundo. Nos negócios, as empresas não podem se dar ao luxo de ignorar essa tendência, que cresce cada vez mais.

 

Hoje, quem deseja crescer no mercado precisa se jogar no mundo digital e estar aberto aos novos padrões de comportamento de sociedade e ao jeito de franqueados e franqueadores se relacionarem.

As expectativas para o franchising em 2018 são positivas, o índice de confiança melhorou a medida em que o econômico está se descolando do político.  Consequentemente o dinheiro está sendo aplicado na economia real, e o setor consegue registrar projeções de abertura de novas unidades entre 5% e 6%. O faturamento também deve crescer 10% ou 11%. O número de marcas deve se manter estável, porém o número médio de unidades por rede vai crescer.

Em entrevista para a PEGN, Altino Cristofoletti, quando questionado sobre redes criarem modelos de franquia mais enxutos com investimento inicial mais baixo, o presidente da ABF afirma ”Pela necessidade. Primeiro, porque os candidatos passaram a ter menos capital disponível ou preferiram gastar menos e guardar uma reserva. Segundo, porque as redes tiveram de entrar em municípios menores. Por isso, criaram modelos com uma configuração reduzida de produtos e serviços.”. Mostrando também que o setor é flexível a mudanças econômicas e conseguiu enxergar oportunidades na crise do país.

Dentro do setor, a tecnologia anda paralelo a esse crescimento. Com o uso da tecnologia, a relação de franqueadores e franqueados vem mudando. O uso do aplicativo de mensagens instantâneas por exemplo, o Whatsapp, caiu no gosto dos brasileiros. As pessoas que usam o Whatsapp se sentem empoderadas para falar qualquer coisa. Isso apesar de poder ser negativo para reputação das empresas, é uma oportunidade para as empresas se tornarem mais efetivas na comunicação. As redes, que vinham usando extranet e e-mails, agora têm a dinâmica mais rápida do WhatsApp. O franqueado consequentemente, ganha cada vez mais voz nas redes.

Diversas redes também adotam soluções de startups. As Startups estão preparadas para ciclos curtos de produtos e de renovação e o franchising pode aprender com isso. A startup traz a dinâmica lean (startup enxuta), e isso pode ser um diferencial para o franchising.

A dinâmica Lean implica olhar a empresa com os olhos dos clientes, para entender o que realmente importa. Esse processo funcionou muito bem no setor de manufatura e, quando adotado no desenvolvimento de software, foi chamado de desenvolvimento ágil, porque tornava o processo livre de desperdício.

 

VEJA TAMBÉM: SEGMENTO DE SERVIÇOS CRESCE E APRESENTA NOVAS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *