Anúncio

PUBLICIDADE

Encontre as melhores franquias para o seu perfil

O sonho de uma estudante de enfermagem que atravessou fronteiras

30 de setembro de 2020

Compartilhe
Izabelly-Miranda-CEO-da-Cuidare-Brasil

Como o empreendedorismo feminino alavancou a rede nordestina Cuidare, que bate recorde de faturamento e agora mira a internacionalização 

 

Fundada em 2016 na cidade de Natal, no Rio Grande do Norte, pela enfermeira Izabelly Miranda, de 29 anos, a Cuidare é uma das maiores referências em cuidados de pessoas no Brasil. Uma rede que conta com 74 unidades espalhadas por 21 estados brasileiros, o Distrito Federal e Portugal. Em franco crescimento, a marca acaba de iniciar sua expansão internacional, tendo Portugal como ponto de partida e operações prestes a começar no Canadá e na Argentina. No Brasil, as próximas inaugurações serão em Fortaleza (CE), Canoas (RS), São Paulo (SP) e Bento Gonçalves (RS).

 

Só em 2019, a rede faturou mais de R$ 14 milhões e a expectativa é de crescimento em 30% em 2020. De março para cá, o faturamento da rede cresceu na ordem de 20%, acompanhando a disparada da busca por cuidadores de idosos durante a pandemia do novo coronavírus.

 

O início e o crescimento impulsionado pelo empreendedorismo feminino

 

A ideia do negócio surgiu ao Izabelly constatar, ainda na faculdade, a carência de um serviço de assistência profissional humanizado e de qualidade. Após se formar, decidiu empreender criando a Cuidare. Em pouco tempo, tornou-se líder de mercado no Rio Grande do Norte. O rápido avanço fez com que Izabelly visse a possibilidade de mobilizar mais parceiros e profissionais para além das fronteiras locais. Foi então que ela ingressou no sistema de franquias, conectando, por meio de novos empreendedores, idosos, pessoas com necessidades especiais e seus familiares a cuidadores altamente qualificados.

 

A partir daí, a expansão se deu de forma rápida, mas sustentável, estimulada e baseada na força do empreendedorismo feminino. Atualmente, 75% dos postos de liderança da rede são ocupados por mulheres. Além da predominância no comando das franquias, elas também são a grande maioria no quadro de prestadores de serviço.

 

Empreender na profissão que mais cresce no Brasil

 

A profissão de Cuidador de Idosos é a que mais cresce no Brasil. Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), do Ministério do Trabalho, de 2007 para cá, o número de profissionais saltou de 5.263 para 34.051, um avanço de 547%. Números tão expressivos quanto o seu pano de fundo: o envelhecimento dos brasileiros. De acordo com o IBGE, a população com mais de 60 anos mais que dobrará até 2050.

 

Do Nordeste brasileiro para o mundo: a expansão internacional e os seus desafios

 

A potiguar Cuidare iniciou sua presença internacional em 2020, com o início da operação em Lisboa, Portugal. As próximas unidades no exterior vão desembarcar no Canadá e na Argentina até o fim do ano.

 

Segundo Izabelly, a expansão internacional requer muito cuidado e responsabilidade, em virtude das legislações específicas de cada país, assim como a diversidade cultural e de costumes. “Os desafios são inúmeros, mas estamos preparados. Esse grande momento que vivemos é fruto de muito tempo de planejamento, pesquisa e análise profundas. Acreditamos, portanto, que estamos prontos para obter o mesmo sucesso alcançado no mercado brasileiro”, ressalta.

 

Imersão na Holanda

 

Em 2019, a Cuidare foi convidada pela renomada organização francesa Dialog Health a conhecer, com uma comitiva de médicos brasileiros, a Hogeweyk, uma vila, na Holanda, projetada especialmente para o cuidado de idosos com demência, principalmente aquelas degenerativas, como o Alzheimer, com base na hiper-realidade.

 

Foram seis dias de imersão com palestras, visitas a organizações locais e um encontro com representantes do Ministério da Saúde holandês, um dos mantenedores do projeto. “Conhecemos novas técnicas e inovações na área da saúde e longevidade. Esse tipo de intercâmbio, ainda mais envolvendo uma referência mundial, é muito importante e deixa legado para todos os envolvidos. Foi uma oportunidade de ouro para adquirir ainda mais know-how para a rede e para nossa expansão no exterior”, destaca.

 

As pessoas que moram em Hogeweyk são apoiadas por especialistas em cuidados geriátricos, mas com toda a autonomia, independência e privacidade possíveis. A vila contém restaurantes, cafés, cinemas e também espaços abertos, como ruas, praças e jardins. Também existe um supermercado, onde os idosos podem se dirigir, acompanhados dos seus cuidadores, para adquirir o que necessitam. Mas não pagam: o valor do que “compram” está incluído no valor do pacote, onde quem paga é o governo federal, através do seguro, espécie de previdência na Holanda, que todo holandês tem que pagar.

 

Preparação e treinamento rigorosos do franqueado ao cuidador

 

A franquia possui um investimento inicial estimado em R$ 25 mil a R$ 40 mil, dependendo do tamanho da cidade, e faturamento mensal estimado em R$ 54 mil a R$ 180 mil, com prazo de retorno de 12 a 18 meses. O modelo de negócio é flexível, dando ao empreender a possibilidade de administrá-lo da própria casa. Izabelly ressalta, no entanto, que há um rigoroso treinamento para os franqueados e seleção para os cuidadores, que passam por provas de conhecimentos e entrevista. “Eles devem possuir, no mínimo, o curso Técnico em Enfermagem. Num caso de urgência, por exemplo, toda a equipe é preparada para proceder imediatamente com os primeiros socorros”.

Quem desejar trabalhar com a Cuidare como cuidador deve enviar o currículo pelo http://cuidarebr.com.br/trabalhe-conosco-na-cuidare/. Já os interessados em adquirir uma franquia da marca podem entrar em contato pelo https://franquia.com.br/franquia/cuidare/

 

Raio-X completo da franquia

Investimento inicial: de R$ 25 mil a R$ 40 mil (dependendo do tamanho da cidade)

Royalties: De 1 a 1,5 salário-mínimo por mês, a partir do 4º mês do treinamento

Taxa de publicidade: isento

Faturamento médio mensal: de R$ 54 mil a R$ 180 mil

Lucro médio mensal: entre 16% e 23%

Prazo de retorno: de 12 a 18 meses