Anúncio

PUBLICIDADE

Encontre as melhores franquias para o seu perfil

O que é inovação disruptiva e por que ela é tão importante no mundo atual

15 de junho de 2021

Compartilhe
Mulher com óculos de realidade virtual de inovação disruptiva

De tempos em tempos surgem novas soluções no mercado que mudam radicalmente a forma como consumimos e nos relacionamos com as coisas à nossa volta. Esse fenômeno conhecido como inovação disruptiva se tornou cada vez mais comum por conta das tecnologias presentes no nosso cotidiano.

Estamos tão acostumados com os recursos tecnológicos e suas funcionalidades que fica até difícil lembrar como era a vida sem eles, especialmente porque muitas ferramentas desapareceram por conta da inovação disruptiva. Na verdade, essa é a grande sacada dessas soluções: a mudança é tão revolucionária que elimina a tecnologia anterior.

Diferentemente da inovação tradicional em que produtos e serviços são aprimorados de acordo com as novas demandas de mercado, a inovação disruptiva altera o cenário como um todo não apenas nas soluções oferecidas, mas também em termos de modelo de negócio, processos internos e na forma de comercializar a nova solução, com foco total na experiência do cliente.

Por exemplo, o celular mudou a forma como nos comunicamos, mas essa inovação não eliminou o telefone fixo. Portanto, trata-se de uma inovação tradicional.

Outro exemplo desse tipo de inovação são os novos recursos implementados em automóveis. Todo ano surge um novo carro com novas funcionalidades que deixam o modelo anterior obsoleto sem fazer com que carros antigos desapareçam.

Por outro lado, as soluções desenvolvidas pela inovação disruptiva no âmbito da indústria audiovisual, por exemplo, alteraram todo o setor e eliminaram serviços como as locadoras de filmes. Já que é possível consumir filmes e séries de outra maneira, outro dispositivo que praticamente desapareceu do mercado foi o aparelho de DVD, e antes dele sumiram os aparelhos de VHS.

Perceba que a inovação disruptiva provoca mudanças em cadeia, influenciando tudo o que envolve o mercado em que está inserida.

Principais características da inovação disruptiva

Pessoa segurando controle de televisão

A Netflix causou uma verdadeira revolução na indústria audiovisual ao alterar completamente a maneira como consumimos filmes e séries. Agora, temos acesso a uma quantidade enorme de conteúdo por um preço acessível sem nem precisar sair de casa. Foto: Unsplash

 

Ao contrário do que muita gente imagina, a inovação disruptiva não pretende inserir no mercado soluções caras e inacessíveis. Pelo contrário, o grande intuito desses recursos é justamente atingir uma quantidade maior de pessoas por conta de suas inúmeras funcionalidades.

Veja a TV a cabo, por exemplo. Por ser um serviço muito caro, não pode ser consumido por tantas pessoas. Alguns anos atrás, quem não tinha TV a cabo simplesmente não consumia certos conteúdos – a não ser por alternativas piratas.

O mesmo vale para o cinema: assistir filmes na telona nunca foi algo barato. Quem não tem dinheiro para frequentar o cinema ou fica sem assistir ao filme ou faz download de alguma versão pirata disponível na internet (algo ilegal, mas muito praticado no mundo todo).

E o que a inovação disruptiva tem a ver com isso? Uma das grandes características dessas soluções é a facilidade de acesso: o preço é mais barato do que serviços tradicionais, fazendo com que cada vez mais pessoas consigam utilizar os serviços.

Além disso, a inovação disruptiva desenvolve ferramentas intuitivas e de fácil usabilidade no dia a dia. A inovação é tanta que quem utiliza fica com aquela sensação de “como eu vivia sem isso antes?”.

Outro ponto importante dessas soluções é sua capacidade de atender demandas que antes eram negligenciadas pelo mercado. Enquanto a inovação tradicional está preocupada em inovar produtos e serviços para quem já é consumidor, a inovação disruptiva consegue atender uma parcela bem maior de pessoas justamente por ser mais democrática no seu modo de comercializar os novos serviços.

Tipos de inovação disruptiva

Celular com vários apps de mensagens

O SMS ainda existe, mas com o surgimento de aplicativos de mensagens como o WhatsApp o uso de recursos anteriores ficou obsoleto quase ao ponto de cair no esquecimento dos consumidores. Foto: Unsplash

 

Netflix

Um dos exemplos mais emblemáticos de inovação disruptiva é a Netflix, plataforma de streaming de filmes, séries e outros produtos audiovisuais.

Antes de ser o que é hoje a Netflix era uma locadora de DVDs online que enviava os produtos por correspondência. A inovação foi tanta que a Netflix praticamente eliminou as locadoras tradicionais do mercado, alterando para sempre a forma como consumimos esses serviços: por uma taxa mensal é possível ter acesso a um catálogo completo de filmes e séries sem precisar sair de casa.

Algo parecido pode ser notado no mercado da música por conta de outros serviços de streaming como o Spotify que pouco a pouco vem diminuindo consideravelmente as lojas de CDs.

Já que uma mudança leva a outra, o pen-drive já substituiu o CD em muitas atividades como consumo de música, vídeo e armazenamento de arquivos, fazendo com que muitos aparelhos nem venham mais com espaço para função!

Bancos digitais

Outra inovação disruptiva são os bancos digitais. No Brasil, o principal exemplo é o NuBank, banco completamente digital sem nenhuma agência física que não cobra anuidade de seus correntistas.

Todas as operações bancárias podem ser feitas através da internet, recurso que muitos bancos tradicionais passaram a adotar. Mesmo se tratando de uma inovação disruptiva as agências físicas bancárias ainda não desapareceram completamente, mas é sintomático que muitas delas tenham deixado de existir após o surgimento de bancos digitais.

Uber

A Uber inovou na área de mobilidade urbana ao oferecer serviços de transporte de uma maneira prática e acessível tanto para quem quer se locomover quanto para quem quer prestar esse serviço (caso dos motoristas).

É possível pedir um carro onde quer que você esteja através do celular, facilitando a locomoção e tendo controle sobre todas as etapas do processo (tempo do percurso e rota definida pelo app, forma de pagamento, horário de desembarque, etc.).

Além de ser um processo digital, a principal característica promovida pela inovação disruptiva da Uber foi o preço do serviço, bem mais barato do que corridas de táxis tradicionais.

Airbnb

A Airbnb desenvolveu uma inovação disruptiva que une proprietários de imóveis e pessoas interessadas em alugar casa, apartamento ou um quarto por um determinado período de tempo.

A inovação trouxe concorrência direta para hotéis e pousadas que oferecem preço tabelado ao cliente. Através do Airbnb é possível negociar diretamente com o proprietário do imóvel, fechando negócio da forma que for mais interessante para os envolvidos.

Por que ficar dentro da inovação disruptiva?

Acompanhar as principais iniciativas da inovação disruptiva é fundamental para compreender o mercado atual e entender como será o cenário para quem decidir empreender no futuro.

Como vimos, a inovação disruptiva tem como pontos centrais a satisfação do cliente e o uso de bases tecnológicas. Começar um negócio atualmente significa colocar essas duas características como obrigatórias para sobreviver em qualquer área de atuação.

Está pensando em empreender, mas não sabe por onde começar? Entre em contato conosco e descubra o que podemos fazer pelo seu negócio!