Anúncio

PUBLICIDADE

Encontre as melhores franquias para o seu perfil

Franquia social: entenda o que é e como funciona

23 de novembro de 2021

Compartilhe
Homens conversando e olhando para tela de notebook sobre franquia social

A franquia social é um modelo de negócio que empresta do franchising suas principais características para replicar um projeto social.

Da mesma forma que algumas empresas querem expandir e estruturar processos através do mercado de franquias, projetos sociais também podem se beneficiar da lógica do franchising, tornando-se franquias sociais.

O tema não é novo no Brasil e vem ganhando cada vez mais espaço no mercado e no imaginário do consumidor.

Apesar de ainda não contar com regras tão bem definidas como as legislações do mercado de franquias, a franquia social é uma boa opção para multiplicar iniciativas sem fins lucrativos.

Franquia social x franquia tradicional

Uma das principais dúvidas que envolvem a franquia social é se esse modelo possui semelhanças e diferenças com a franquia tradicional. E a resposta é sim!

Enquanto a franquia tradicional (também conhecida como comercial) visa o lucro da franqueadora e do franqueado, a franquia social continua sendo uma instituição sem fins lucrativos, ou seja, ninguém ganha dinheiro com a operação.

Nesse caso, a franquia social empresta do franchising suas técnicas, estratégias e conhecimentos de mercado para expandir a iniciativa social, isto é, replicar seu modelo.

Necessidade de mercado

Assim como todo bom negócio, projetos sociais também sentem a necessidade de crescer e levar suas ideias para cada vez mais pessoas.

Mas essa vontade, e até mesmo necessidade de expansão, nem sempre pode ser concretizada por motivos como falta de know how e pouco conhecimento da região em que se pretende expandir.

Na verdade, essa é uma característica em comum que ONGs têm com empresas comerciais: nem todo mundo sabe executar planos de expansão. E é aí que entra o mercado de franquias.

Na prática, muitas ONGs se transformam em franquias sociais justamente para aumentar sua capilaridade e alcance. E não existe um mercado que saiba fazer isso tão bem quanto o franchising.

Na maioria das vezes, uma boa ideia não é suficiente para colocar em prática planos de expansão. Por isso, contar com uma estrutura sólida e bem estruturada como o mercado de franquias pode ser o caminho mais fácil e eficiente de colocar os planos em prática.

Como transformar uma ONG em franquia social

Duas pessoas olhando para anotações em quadro branco

O que muitos empreendedores esquecem é que a franquia social também é uma empesa. Isso significa que será necessário ter conhecimentos de gestão e conhecimento de mercado para colocar o plano de expansão em prática. Foto: Unsplash

 

Você tem um projeto social e quer replicar seu modelo de negócio, mas ainda não sabe por onde começar? Calma que a gente te explica como fazer isso! 

Antes de mais nada é preciso ter em mente que um projeto social também é um negócio, a diferença é que sua finalidade não é gerar lucro. 

Muitos empreendedores sociais pecam nesse quesito justamente por esquecer esse detalhe que é tão importante: a franquia social também é uma empresa

Isso significa que a franquia social também possui funcionários, fornecedores, questões administrativas e jurídicas, entre outras atividades de qualquer negócio.

E ter um projeto de sucesso não significa que o modelo atual está pronto para ser padronizado e replicado. Em muitos casos, o modelo de negócio faz sentido para a realidade em que ele está inserido no momento, ou seja, antes de transformar a ONG em uma franquia social é preciso estar atento para diversos fatores, como você verá a seguir.

Planejamento

Nenhum projeto social vira uma franquia da noite para o dia, ainda mais sem planejamento.

Como falamos anteriormente, ter apenas uma boa ideia não é suficiente para padronizar e replicar um modelo de negócio. Antes de tudo é preciso se planejar!

Tenha em mente quais regiões poderiam se beneficiar com os serviços da franquia social e trace estratégias reais para instalar operações nesses locais. 

É preciso estipular datas, metas e prever possíveis cenários que podem atrapalhar ou contribuir para que a franquia social saia do papel. 

Para ter mais eficiência e assertividade nesta etapa de desenvolvimento da franquia social, a melhor alternativa é poder contar com ajuda especializada

Através de uma consultoria especializada em franquias é possível ter mais clareza na tomada de decisões e objetividade na hora de colocar em prática o plano de expansão. Clique aqui e saiba mais.

Conhecimento de mercado

Após definir as regiões de interesse da franquia social é hora de conhecer o mercado. 

Por mais que a proposta da franquia seja ótima e interessante para os consumidores, nem todos os lugares são propícios para que a franquia social tenha sucesso, daí a importância de conhecer bem suas áreas de interesse. 

Nesse momento, é importante fazer perguntas como: 

  • Existem negócios similares na região em que pretendo expandir?
  • Quem é o público-alvo da franquia social e como prestar o melhor serviço para essa clientela?
  • Caso a franquia dependa de fornecedores, de que forma será esse relacionamento?

As perguntas acima são genéricas e valem para qualquer tipo de negócio. No caso da franquia social, é importante levar em consideração aspectos específicos da área de atuação e público-alvo. 

Projetos voltados para a área de alimentação têm necessidades diferentes daqueles voltados para o esporte, por exemplo. Lembre-se disso!

Equipe alinhada

Pessoas sentadas em sala durante aula

Educação, esportes, lazer, cultura. São muitas as áreas que podem receber e se beneficiar com projetos sociais. Através da franquia social, o alcance e a qualidade dessas iniciativas podem ser ainda maiores. Foto: Unsplash

 

Uma característica que não pode faltar em qualquer unidade da franquia social é ter uma equipe alinhada com os valores do projeto, o que tem tudo a ver com a proposta da franquia social em si. 

Mais do que replicar um modelo de negócio, a franquia social coloca no mercado uma ideia, uma missão, por isso é tão importante ter no time pessoas que compartilham dessa mesma visão e que sabem colocá-la em prática.

Quando o empreendedor decide franquear seu negócio é importante ter em mente que nem sempre ele estará presente em todas as operações – até mesmo porque isso seria impossível. 

Dessa maneira, delegar funções e confiar nos colaboradores são partes fundamentais da rotina da franquia social. 

Nessa etapa da expansão, contar com profissionais experientes no mercado de franquias é outro ponto positivo. Afinal, nem todo empreendedor sabe escolher os melhores colaboradores para seu time.

Por mais que essa função pareça fácil, na prática as coisas podem ser bem mais complicadas. 

Quando falamos da padronização do franchising não estamos abordando apenas o padrão do modelo de negócio ou dos produtos e serviços, mas de toda a estrutura da marca, desde a escolha do ponto comercial até dos funcionários.

E, como vimos, a franquia social depende de certa continuidade em termos de missão e valores, por isso a importância de escolher a equipe a dedo

Quer começar sua franquia social? Clique aqui e saiba como definir as melhores estratégias e modelos de negócio para seu projeto.