Anúncio

PUBLICIDADE

Encontre as melhores franquias para o seu perfil

Criptomoedas: o que são e como estão sendo usadas no mercado de franquias

6 de janeiro de 2022

Compartilhe
Homem de terno com mãos cheias de criptomoedas

Você provavelmente já ouviu falar falar de bitcoins, aquela moeda virtual que está cada vez mais se popularizando. Há pessoas que estão ganhando muito dinheiro e outras que perdem muito também nas transações que envolvem criptomoedas.

E você deve estar se perguntando: o que é criptomoeda? É tudo a mesma coisa? Vale a pena investir? Qual a relação com o mercado de franquias?

São muitas dúvidas. Afinal, é um “dinheiro novo”, não é mesmo? O fato é que as criptomoedas são uma realidade e estão transformando o mercado financeiro.

Para se ter uma ideia, o valor de mercado total de criptomoedas superou a marca de  2,5 trilhões de dólares em outubro deste ano, um recorde no mercado.

Neste artigo, você vai entender mais sobre o universo das criptomoedas e sua importância. Confira!

O que são criptomoedas?

Criptomoeda é o nome de batismo de diferentes ativos digitais descentralizados criados e comercializados com uso de criptografia, o que garante anonimato quase que total dos usuários em suas transações.

Por trás de todas as operações que envolvem as criptomoedas está uma robusta tecnologia chamada blockchain –  considerada a mais segura do mundo – e que promove a segurança dos dados e informações, evitando fraudes.

No mundo físico, temos o real, o dólar, o euro que podemos pegar. As criptomoedas são virtuais, ou seja, só existem na internet. Os bitcoins são as mais conhecidas.

Como é criada uma criptomoeda?

Para um bitcoin entrar em operação, é preciso estar disponível na internet. Por conta de toda a tecnologia de proteção, a criptomoeda fica escondida por meio de códigos. 

Entram em ação os “mineradores”. São empresas e pessoas que ficam à caça desses códigos em uma espécie de corrida para encontrar um tesouro. 

Assim que a moeda digital é encontrada (ter seu código lido),  é possível comercializar no mercado financeiro, fazer compras em lugares que aceitam bitcoins e outras transações econômicas. 

As criptomoedas podem ser armazenadas em carteiras virtuais assim que o usuário entra nesse tipo de rede. Mas o dinheiro virtual também pode ficar em computadores e até em pen drive.

Criptomoedas são seguras?

Computadores sob a mesa fazendo mineração de criptomoedas

Tecnologia envolvida na criação das criptomoedas é robusta e envolve alto nível de segurança de dados. Foto: FreePik

 

Como mencionado anteriormente, a tecnologia que dá base para a gestão das criptomoedas é considerada a mais segura do mundo. 

Todos os ativos digitais são criptografados, o que garante o sigilo das informações e aumenta a segurança dos dados, o que dificulta a ação de ações criminosas de hackers. 

Porém, quanto mais as transformações digitais acontecem e mais gente aposta em criptomoedas, também aumentam as chances de crimes praticados na internet com técnicas de phishing, links maliciosos e vírus. 

Como os ativos digitais no mundo das criptomoedas é descentralizado, é importante saber que não há um órgão que regulamente em nenhum país – como o Banco Central daqui –  para acompanhar a  intermediação e  atividades como emissões de moedas, transferências e demais transações.  

O que pode ser um problema, pois além da possibilidade de ataques hackers, erros de sistemas podem ocorrer e a quem o usuário vai recorrer?

O Banco Central recentemente emitiu um alerta sobre as transações de criptomoedas e alguns cuidados necessários para não ter perdas financeiras.

Riscos e oportunidades: o que você precisa saber para surfar na onda das criptomoedas

O mercado de criptomoedas é relativamente novo. Para quem deseja investir, é importante conhecer bem sobre as moedas virtuais, quais as opções existentes e as que têm mais potencial de valorização.  

O bitcoin foi a primeira moeda virtual e continua sendo a principal criptomoeda. Em seguida, a Ehereum é a mais comercializada. Existem moedas alternativas ao bitcoin como  Litecoin, XRP, Cardano, entre outras. 

Sem interferências 

Assim como o dinheiro comum, com a criptomoeda também é possível fazer operações financeiras, compra, vendas e investimentos. Uma das oportunidades desse mercado é que a cotação não sofre influências sociais, política, inflação como o dinheiro tradicional.

Investimento de alto risco

A criptomoeda se baseia na lei da oferta e da procura: se a procura for maior, o valor aumenta, se for baixa, cai sem outros tipos de interferência.  

É um investimento considerado de alto risco porque oscila de acordo com as especulações, assim como acontece nas bolsas de valores. Por isso, é importante ter cautela ao investir,  começar pequeno para se habituar com esse tipo de investimento. 

O anonimato dos usuários para efetuar transações, a falta de regulação pelos países das atividades, a descentralização das operações são pontos de atenção para quem quer fazer parte desse mercado e investir.

Como comprar criptomoedas

O processo para adquirir criptomoedas e começar a investir é simples. Basta abrir uma conta numa empresa de corretagem (corretora) de moedas virtuais para começar a atuar nesse mercado. 

Antes disso,é importante pesquisar sobre as empresas para conhecer a reputação, comentários de clientes e taxas praticadas.

Criptomoeda no franchising

Biticoin (criptomoeda) passando na máquina de cartão

Franquias começam a adotar criptomoedas em suas estratégias de marketing e para impulsionar o uso. Foto: FreePik

 

Mais usada para fazer reservas financeiras e investimentos, aos poucos o bitcoin e outras criptomoedas começam a ser usados como forma de pagamento no franchising. O universo das moedas virtuais também vem provocando a modernização e expansão das franquias. 

A Pizza Crek e a exchange Foxbit criaram o Pizza Day. Este ano todos os clientes que compraram o combo de pizza da marca ganharam R$20,00 em bitcoins.  

A ação é importante para a comunidade de criptomoeda para que o investimento neste tipo de ativo se popularize mais entre as pessoas.  

Já a Cervejaria Dogma, com três unidades de franquia em 00São Paulo, desde novembro passou a disponibilizar a opção para a clientela pagar a conta com bitcoins

Algumas redes de franquias também estão começando a aceitar o pagamento de taxas com criptomoedas. Ainda vamos ouvir muito falar do assunto no franchising.

 Clique aqui para conhecer mais oportunidades de investimentos e empreender com menos riscos no mercado de franquias.