Ilustração - Blog Franchise Store

Mudanças no mercado da moda desencadeiam inovação nas redes

Depois do pior ano da história do varejo, as vendas recuaram 6,2%, pior resultado desde o início da série apurada pelo IBGE, em 2001. Já este ano, começou com o maior fôlego e já vemos diversas redes mudando seu plano de negócios e se adaptando às mudanças do mercado da moda.

 

Segundo Glória Amorim, diretora de políticas estratégicas do Sistema Fecomércio-RJ, ”Os incentivos tributários estão em pauta.” afirma. No ano passado, a cadeia produtiva do setor respondeu por 2,8% do recolhimento com ICMS pelo Estado, superando R$ 1 bilhão. Deste total, R$ 880 milhões foram gerados pelo comércio de moda.

”Nosso foco é trabalhar para aumentar a produtividade. O benefício, se concedido de forma criteriosa, resulta em geração de emprego e renda, e no aumento da arrecadação estadual” — defende Glória. A recessão afetou a produtividade e as vendas no mercado de moda. Mudanças recentes no cenário macroeconômico, contudo, seriam um aceno para novas oportunidades. Porém, as expectativas são que a queda da inflação e taxa de juros vão trazer melhora à atividade. E já se pode identificar tendências consistentes para avançar como o uso do e-commerce, focar em inovação, sustentabilidade e consumo consciente, além do marketing digital.

As marcas cariocas estão seguindo nessa trilha. Criada em 2011, a Movin segue o conceito de consumo inteligente. Tem produtos feitos em tecidos inovadores, como de bambu, algodão orgânico ou biodegradável, com modelagem atemporal e durável, explica o sócio Pedro Ruffier: ”Nascemos com a proposta de ser uma marca sustentável, com um modelo de negócio diferenciado. Tivemos maior aceitação no mercado externo, já em 2013. Aqui no Brasil, é um conceito que só ganhou força recentemente. Abrimos o e-commerce um ano atrás, e já estamos em cinco multimarcas.” afirma.

Uma marca que revisou suas estratégias para crescer foi a franquia de calçados Mr. Cat. ‘’Mudamos a estratégia de marketing, trocando campanhas com grandes celebridades por um calendário de eventos em franquias da Mr. Cat em todo o país. Já vemos aumento de vendas no primeiro trimestre de 2017. Outra coisa é que passamos a priorizar o crescimento da rede por meio de franqueados’’ — diz Adriana Svartsnaider, diretora criativa do feminino do grupo.

A Mr Cat vende acessórios e sapatos para homens e mulheres, com um design diferenciado e sempre em linha com as principais tendências de moda internacionais. Os produtos da Mr Cat chamam atenção também pelo preço, que é bastante competitivo em relação à concorrência. A marca já conta com 216 lojas no país, sendo 195 franquias. Em 2016, inaugurou 20 unidades. A previsão para este ano é abrir mais 20.
Clique e conheça o modelo de negócio da franquia Mr. Cat