Ilustração - Blog Franchise Store

Mitos e verdades sobre franquias

Na medida em que os empreendedores se tornam criteriosos em suas pesquisas, alguns dos principais mitos sobre franquias estão sendo derrubados. Tal conhecimento, é fundamento para que o empreendedor tome uma decisão baseada em fatos e não em verdadeiras lendas que correm soltas em bate papos informais e até mesmo em algumas publicações.

 

O fato é que esses mitos sobre franquias acabam levando muita gente a tomar decisões erradas ou se decepcionar ao constatar no dia a dia, que a ideia que tinha inicialmente sobre o negócio não corresponde à realidade. Por isso, separamos os principais mitos sobre franchising e mostraremos a realidade do negócio, para que você saiba exatamente em que tipo de negócio estão entrando.

 

Os 10 principais mitos sobre franquias:

 

  • Qualquer um pode ser franqueado

Embora o franchising seja basicamente como outro negócio qualquer, existem algumas características especiais do negócio que o tornam diferente, e por isso mesmo, o perfil do empreendedor precisa preencher essas exigências do modelo.

Consequentemente, verifica-se na prática que nem todos se adaptam ao sistema. O franqueado gerencia uma loja franqueada, mas precisa seguir os padrões do franqueador que os criou, e isso não é tão fácil para algumas pessoas.

No modelo de franquia você conta com o suporte do franqueador e o remunera com um determinado valor sobre o seu faturamento na maioria dos casos. É a chamada relação ganha-ganha, mas é preciso trabalhar duro e saber se adaptar bem as regras e padrões pré estabelecidos.

 

  • Gerenciar uma franquia dá pouco trabalho

Acredite ou não, esse é um dos mitos mais comuns, a ideia de que a pessoa trabalha menos do que trabalhava antes de ser franqueado é completamente equivocada. Principalmente no início da franquia, será preciso trabalhar muito, e muitas vezes colocar literalmente as mãos na massa.

A estrutura operacional de uma franquia geralmente é enxuta, mas o franqueado exerce papéis importantes que tomam muito tempo e exigem bastante dedicação. Antes da decisão final sobre adquirir ou não uma franquia, é preciso obter a aprovação e o compromisso de sua família com o empreendimento.

Isso porque a carga de trabalho será bem grande e provavelmente o tirará de casa por mais tempo, e ás vezes, uma mudança temporária nos padrões de vida também é necessária.

 

  • O risco de uma franquia é muito baixo

As vantagens apontadas quando se fala de franquias são justamente a questão da segurança e garantia, mas os resultados só poderão ser alcançados com muita dedicação, esforço pessoas e entusiasmo por parte do franqueado.

A concessão de uma franquia engloba a transferência de know how e a prestação de serviços, mas o sucesso do negócio franqueado vai depender também da operação adequada da franquia. Se comparado ao risco de um negócio que irá partir do zero, quando não há muita experiência, o risco de uma franquia pode ser menos, mas isso não significa que ele não exista.

 

  • O retorno do investimento em uma franquia é rápido e garantido

A primeira pergunta de um candidato a franqueado deve ser qual o prazo de retorno do investimento. Esse prazo deve ser avaliado no estudo de viabilidade da franquia, e deve constar de qualquer documento jurídico, já que não está previsto na lei.

Juridicamente, desde a apresentação da Circular de Oferta, fica claro que o franqueador não garante a rentabilidade, faturamento ou lucratividade para o franqueado, devendo tal expectativa ser muito bem analisada no estudo de viabilidade econômico financeira apresentada pelo franqueador.

O retorno do investimento não pode ser estimado sem parâmetros e uma análise detalhada no fluxo de caixa previsto em simulações. É claro que existem franquias de retorno rápido, mas cabe você analisar este prazo.

 

  • Uma marca forte é o suficiente para garantir o sucesso da franquia

Esse é outro dos grandes mitos sobre franquias. Se o dono de uma marca não souber divulga-la com eficiência no mercado ou não fizer inovações, como novos produtos e serviços, ela pode se tornar obsoleta. Confiar exclusivamente na força da marca, tomando-a como permanente, pode ser um erro fatal.

A manutenção da marca é obrigação constante do franqueador, pois é seu patrimônio mais importante. Ser franqueador de uma marca famosa pode oferecer uma boa vantagem, pois o nome já é conhecido pelo público, mas não é tudo.

O franqueado deve verificar qual a experiência da empresa dona da marca em ser franqueadora, pois ela pode ter muita experiência no seu ramo de atuação, mas não ter muita prática com o sistema de franquias, o que poderá trazer dificuldades ao franqueado.

 

  • Não é preciso de uma advogado para analisar a documentação

Os contratos podem ser tendenciosos e beneficiar mais o franqueador que o franqueado. Geralmente, o futuro franqueado não tem muito a fazer contra os ‘’exageros’’ do contrato após tê-lo assinado.

Por isso, antes de assinar o documento ou fazer qualquer espécie de pagamento, todo candidato a franqueado deve pedir no mínimo uma opinião a um profissional de preferência um advogado ou consultor especializado no assunto.

Um advogado pode esclarecer as questões mais importantes do contrato, mas não poderá alterá-lo, já que em franquia os contratos são de adesão, ou seja, ou você concorda com o que está escrito, ou não será um franqueado da rede. Geralmente não há negociações, pois, esse mesmo contrato é aplicado em toda a rede.

 

  • Acreditar que conhece todos os custos e taxas

A Circular de oferta de franquia e o contrato de franquia devem conter, ambos, todas as taxas que deverão ser pagas, assim como a sua base e forma de cálculo, permitindo ao franqueado fazer simulações. Esses dois documentos têm que ser cuidadosamente avaliados, preferencialmente por um advogado.

Preste atenção ao volume de cobranças originadas por taxas adicionais, não somente a taxa de franquia ou taxa de royalties. É uma boa ideia solicitar ao seu consultor financeiro que inclua o custo dessas taxas no fluxo de caixa de sua unidade franqueado, para verificar o seu peso na lucratividade do negócio.

 

  • Não é necessário manter contato com outros pontos da rede

É essencial conversar com outros franqueados da mesma rede, uma vez que essas pessoas estão na posição que o candidato irá se encontrar. Conversas com ex-franqueados da rede também é importante, já que aqueles que saíram nos últimos doze meses deve ser relacionados na circular de oferta de franquia.

Entrevistar os franqueados da rede é praticamente uma obrigatoriedade para os interessados em adquirir uma franquia. O interessado deverá preparar um questionaria e conversas com alguns franqueados para identificar os pontos fortes e fracos da empresa franqueadora antes de tomar sua decisão de investir na empresa.

É interessante também consultar sites especializados, como o guia de franquias Brasil e Associação Brasileira de Franchising. É interessante também analisar a imagem que a marca tem junto ao público e isso pode ser feito no site Reclame Aqui e também em redes sociais

 

  • Um manual de operações é suficiente para orientar o franqueado

É fundamental que as franquias disponibilizem manuais ao franqueado, pois ainda hoje muitas delas não fazem isso. Esses manuais devem cobrir tudo o que o franqueado tem que saber para operar o negócio. Mas, além disso, também são fundamentais duas coisas:

Um programa de treinamento que garanta a transmissão do conteúdo de forma prática. Importante também é contar com uma consultoria de campo que dê o apoio necessário ao franqueado no dia a dia, solucionando dúvidas e corrigindo erros.

 

Esses são alguns mitos sobre franquias que mais prejudicam a análise de um investimento, por isso, esteja consciente da realidade que irá enfrentar antes de se lançar no universo do franchising.

 

Leia também: Termos que você precisa saber antes de investir em uma franquia