Ilustração - Blog Franchise Store

Informações sobre o mercado

Dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF) mostram que o faturamento total do setor ficou em R$ 103 bilhões em 2012, o que representa um crescimento de 16,2% em relação a 2011. O setor segue crescendo, ano a ano, a taxas maiores que o PIB nacional.

O franchising brasileiro também foi responsável por gerar mais de 103 mil novos empregos diretos em 2012, uma alta de 12,3% em relação ao ano anterior. Juntas, as empresas do ramo têm 941 mil empregados. Em número de redes, o crescimento foi de 19,4%, saltando de 2.031 marcas, em 2011, para 2.426 em 2012. Já em relação ao número de unidades ou pontos, o segmento expandiu de 93.098 no ano de 2011 para 104.543 em 2012.

Para 2013, o setor projeta uma alta de 16% em faturamento, 9% em novas redes e 11% em novas unidades. A ABF prevê ainda mais de 11% de crescimento na geração de novos postos de trabalho.

O setor que mais cresceu em faturamento foi Hotelaria e Turismo, com 97,8%. Logo em seguida, vieram Limpeza e Conservação com crescimento de 44,5% e Informática e Eletrônicos com 32,5%. Por outro lado, os setores com menor desempenho foram, pela ordem, Fotos, Gráficas e Sinalização, com expansão de 1,6%, Negócios, Serviços e Outros Varejos, setor líder em faturamento, mas com apenas 2,6% de crescimento, e Educação e Treinamento, com 10,3%.

Para Cristina Franco, presidente da ABF, os números revelam a maturidade conquistada pelo franchising. “Crescer acima de 10% a 15% todos os anos, um sobre o outro, há quase uma década, revela a solidez adquirida pelo segmento. Se fôssemos um país, nosso crescimento seria mais que o dobro do da China, um fenômeno em matéria de desempenho”, diz a presidente.

Microfranquia

Os negócios enquadrados como microfranquias, aqueles com investimento inicial de até R$ 50 mil e faturamento mensal máximo de até R$ 30 mil, tiveram um crescimento considerado estável, quando comparado ao universo das franquias tradicionais. Em faturamento, as microfranquias cresceram 22% em 2012 sobre 2011, saltando de R$ 3,7 bilhões para R$ 4,5 bilhões. Em número de redes, saltou de 336 para 368, uma evolução de 10% de 2011 para 2012. Já em unidades, pulou de 12.561 para 13.352, uma expansão de 6%.

Na participação percentual em relação às franquias tradicionais, em 2012 as microfranquias representaram uma parcela de 4,4%. Em 2011, esta participação era de 4,2%. No caso das marcas, a participação era de 17% em 2011 e, em 2012, caiu para 15,2%. Já no número de unidades a participação era de 13,5% em 2011 e diminuiu para 12,8% em 2012.