Ilustração - Blog Franchise Store

Diferentes modelos de franquia para quem deseja investir

O investidor que pretende abrir uma franquia encontra diferentes oportunidades de negócio e níveis de investimento oferecidos pelas redes. Ele tem a opção de abrir desde um pequeno quiosque, até uma loja com grande mix de produtos da marca. “Esta flexibilidade traz benefícios também para a franqueadora, que atrai mais candidatos para expandirem a marca para cidades e regiões que ainda não foram alcançadas”, afirma Guilherme De Cara, consultor da Cherto Consultoria.

Veja as peculiaridades de cada ponto e qual se encaixa melhor para seu perfil e investimento:

Quiosques

O modelo de quiosque tem se tornado mais popular nos últimos anos e atraído muitos investidores. Isto acontece porque o negócio exige menor valor de investimento inicial, já que tem um espaço e mix de produtos reduzido em relação a uma loja convencional.

O aluguel do ponto também terá o custo reduzido, principalmente pela isenção de pagamento das luvas – taxa que paga ao shopping para garantir a renovação do contrato do ponto. No entanto, o tempo de contrato com o shopping também é reduzido, tendo que ser renovado a cada seis meses, ou, no máximo, um ano.

Por outro lado, este modelo apresenta desvantagens como o menor espaço para exposição do mix de produtos e a instabilidade do ponto – o seja, o quiosque poderá se mudar de lugar dentro do shopping algumas vezes.

O modelo de quiosque não pode ser oferecido por todos os setores. Segmentos como educação e saúde, por exemplo, precisam de espaços maiores e mais estruturados.

Mas, entre prós e contras de se investir em quiosque, para o empreendedor que está começando no negócio de franquias, pode ser uma ótima oportunidade para o investidor testar sua identidade com a marca e, futuramente, abrir uma loja maior e continuar a parceria.

Lojas de rua

O ponto de rua se enquadra para a maioria do segmentos do franchising. Mas a melhor localização da loja depende do perfil e necessidade dos consumidores de cada setor.

Por exemplo, redes de conveniência, como as farmácias, precisam se instalar em pontos de visibilidade. A maioria das pessoas fazem compras na saída do trabalho ou na hora do almoço, então é importante que a loja esteja localizada no trajeto deste fluxo.

Já lojas de materiais de construção oferecem produtos para necessidades especificas e não para o dia a dia do consumidor. Por isso, não precisam estar instaladas tão próximas à casa do consumidor, desde que haja espaço para os produtos expostos e estoque, além de acessibilidade para o cliente e estacionamento.

Ou seja, a melhor localização das lojas dependerá de como, quando e por que o produto é consumido. E se para a franquia é mais vantajoso se manter visível e no caminho ou serviço do consumidor.

Quanto ao nível de investimento para abrir uma unidade na rua, isto vai depender do tamanho da loja, do mix de produtos e valor do aluguel do ponto – que pode variar de acordo com a região e bairro da cidade.

Em alguns casos, a própria franqueadora já tem um ponto específico ou ajuda o franqueado a encontrar o melhor lugar para abrir a nova loja. Investir em pontos de rua exige estratégia – é importante que a loja esteja localizada perto e visível para seu público alvo – caso contrário, a unidade não terá o resultado esperado.

Lojas em Shopping Center

O aumento de novos shoppings centers em diversas cidades do pais têm beneficiado tanto os investidores que desejam abrir um negócio próprio, quanto as redes, que encontram oportunidades de expandirem para lugares onde ainda não tenham se estabelecido.

A principal vantagem do franqueado que abre sua unidade em shopping é o fluxo de pessoas, que aumenta a chance de compras. Mesmo que o consumidor vá somente à passeio, na maioria das vezes, acaba fazendo alguma aquisição.

Outras vantagens como maior segurança, por estar dentro de um local fechado e definição de um público alvo (já que a maioria dos shoppings são voltadas para um determinado tipo de classe social) são fatores que atraem interesse e concorrência de diversas marcas por um ponto dentro. Pelo ponto de vista da franqueadora, é interessante estabelecer lojas dentro de shoppings centers, pois isso traz maior notoriedade para a rede.

Por outro lado, o franqueado deve se atentar a algumas desvantagens de manter uma loja dentro de Shopping Center. O custo do aluguel, por exemplo, sai mais caro, principalmente pela questão das luvas. Outra questão é o horário de funcionamento da loja – que será estabelecido pelo shopping e o franqueado poderá pagar multa caso não o cumpra. E a abertura da nova unidade dependerá da disponibilidade para locação – existe um limite de lojas do mesmo segmento que podem existir no mesmo shopping.

Semelhantes a pontos dentro de shoppings, o franqueado também pode instalar sua loja em estabelecimentos como galerias, supermercados, street malls e entre outros. Eles seguem um modelo de aluguel parecido com o de shoppings, mas são mais baratos.

Apesar de pagar um aluguel mais caro, luvas para manter o contrato do ponto e ter que seguir algumas regras, abrir uma unidade em shopping acaba se tornando um negócio bem lucrativo para o investidor, uma vez que ele conta com o principal diferencial que este modelo apresenta: o grande fluxo de pessoas dispostas a consumir.