Ilustração - Blog Franchise Store

A aprendizagem das aquisições no Franchising

Interessante observar como todos estão surfando nas ondas de crescimento do Franchising, fruto das aquisições das redes franqueadas.

As linguagens, as culturas, a forma e o meio são tão distintos que, vale levantar os questionamentos: o que estão fazendo juntos, porque decidiram se unir  e como foi que apareceu que tinham objetivos comuns?

O Franchising, em sua grande maioria é uma história de varejo que deu certo e se transformou em uma rede de negócios, ou seja, uma loja que virou 50, 100, 500 PDVs.  Uma ou mais unidades de negócios de sucesso (loja, escola, clínica), que vendiam para o consumidor final, que permitiram a estruturação de uma empresa franqueadora que vende um negócio (franquia) para o empreendedor que virou franqueado.

Daí, um dia surge um banco ou fundo de investimento que começa a sondar, fazer perguntas e propostas para comprar. Auditorias e due diligence fazem parte do processo e como os zeros à direita são muitos, não há franqueador que desista, por mais que o stress role solto. O argumento é sempre o mesmo ”Bom que estamos arrumando a casa! Muito bom esse processo!”

Meses depois, assinam páginas e páginas de contratos para uns e acordos para outros. Champagne saúde, comemoração e começaram a aprender, conviver e a entender que  o mundo do Franchising é feito de pessoas que tem verdadeiro comprometimento com as marcas que criaram e com os franqueados que as compraram. Todos tem expectativas muito comuns: crescer, vencer, acertar serem os maiores e melhores.

Me parece que, assim como Franchising, fusão e aquisição é um casamento e tem que saber onde estão entrando, quem estão escolhendo e porque. Esta deve ser a melhor pergunta a ser respondida: porque eu estou te escolhendo?