Ilustração - Blog Franchise Store

Alshop

 

Foi dada a largada para as ações dos shoppings frente à data mais importante do varejo nacional. O Natal mobiliza milhões de lojistas de shoppings em todo o País, em busca de formas que fidelizem ainda mais o consumidor, ávido por novidades e, é claro, preços baixos.
 

Segundo pesquisa feita pela Alshop (Associação Brasileira de Lojistas de Shopping) junto à dezenas de varejistas de inúmeros segmentos, espera-se um crescimento real, em comparação ao mesmo período de 2010, de 6,5% nas vendas nos centros de compras, que já vivem o clima natalino, inaugurando suas decorações alusivas à época, recebendo a presença do Papai Noel, entre outras ações promocionais e institucionais. Somente para estes fins, os 766 shoppings ativos do Brasil deverão gastar uma média de R$ 450 milhões, aproximadamente 7% a mais do que o registrado em 2010.
 

E como em todo o Natal, a preferência nos itens apresenta-se bastante abrangente, como brinquedos diversos para a criançada, sem deixar de lado para as atuais tecnologias, como celulares, videogames, iPods, entre outros. Já para os adultos, e ainda na seara da tecnologia, destaque para as tevês de LCD e plasma; câmeras digitais; a convencional linha de vestuário masculina e feminina; calçados; entre outros produtos. O tíquete médio para o período girará em torno de R$ 85 a R$ 125.
 

Para atender esta demanda de consumidores, a indústria de centros de compras aposta também na contratação de trabalhadores temporários. E pesquisa também feita pela Alshop constatou que são esperados 140 mil novos profissionais para a época, um incremento de 7% no índice de postos de trabalho para o fim do ano.

 

“O mercado de shoppings caminha a passos largos, com empreendimentos sendo abertos quase que mensalmente, e lojistas migrando cada vez para os centros de compras. Diante deste cenário, a tendência é de que as principais datas do varejo apresentem desempenhos cada vez mais positivos, pois a confiança dos varejistas e consumidores aumenta a cada dia, além do estímulo recebido pelos empreendedores de shoppings, o que resulta em investimentos cada vez mais consistentes para o setor”, comenta o presidente da Alshop, Nabil Sahyoun.