Ilustração - Blog Franchise Store

Franquear: Por onde começar?

PLANEJAMENTO

O primeiro passo é o plano de negócios. Nesta fase é feito um estudo bem detalhado que avalia o mercado e a empresa em seu estágio atual. O objetivo deste estudo é para conhecer mais a fundo o empreendimento e saber se o sistema de franquias para a expansão dessa marca e distribuição dos seus produtos e serviços é adequado.

Sem esse passo, é quase impossível formatar uma marca e colocá-la dentro dos padrões de franquia. Durante o planejamento, são identificados 03 cenários: Pessimista, Conservador e Meta de Venda. É imprescindível se atentar às variáveis do negócio. Planejamento em uma Formatação de Franquias é o primeiro passo para se tornar em um modelo a ser seguido. O futuro Franqueador tem que saber que, por mais que seu negócio seja rentável, há variáveis de mercado que devem ser previstas, afinal, o negócio tem que ser lucrativo para toda sua rede.

Também nesta etapa é definido com base nos resultados obtidos pelo estudo, o prazo de retorno para o capital investido, a taxa de franquia, os royalties, fundo de propaganda e demais taxas a serem cobradas dos futuros franqueados. Será avaliado o investimento que o franqueador precisará fazer para ajustar o modelo e definir a estrutura da franqueadora para a gestão do sistema que será oferecido como suporte à rede. Sem esses dados em mãos não há como elaborar um Plano de Expansão, que é o que permite saber qual o perfil do negócio, as características do mercado e qual o perfil do franqueado que irá operar as unidades.

 

PADRONIZAÇÃO

Após a identificação de Produto, Processo e Pessoa da Franquia, chega a hora de ‘’manualizar os processos”. Nesta etapa são redigidos todos os documentos necessários para que o seu negócio se torne apto, de acordo com a lei 8.955/94, a virar uma franquia. É neste ponto, por meio de toda documentação de regulamentação da franquia que deve ser apresentado uma visão completa do negócio. Alguns documentos são redigidos baseados em como será o funcionamento da rede, como é o caso da COF – Circular de Oferta de Franquia. A COF se trata de um resumo ‘jurídico/comercial’ da Franquia, já que a mesma deve seguir padrões de escrita jurídica, mas deve apresentar benefícios e qualidades do negócio ao candidato.

Além de documentações jurídicas como COF e Contrato, outros processos deverão ser iniciados para que o franqueador e o franqueado tenham todo respaldo perante a lei. Aqui serão estruturados todos os manuais da franquia, tanto os que orientarão os franqueados, quanto os que nortearão os trabalhos a serem executados pela equipe da franqueadora. Cabe lembrar que também é nessa parte de manualização, que o projeto arquitetônico e de decoração serão definidos, bem como o sistema de gestão e tudo o que será objeto de treinamento e de padronização da marca dentro da rede.

Outro fator que deverá ser levado em conta, nesta etapa, é a capacidade de investimento do franqueador. Erram aqueles que acreditam ser possível implantar uma rede de franquias se valendo apenas dos recursos que serão captados com a venda das primeiras unidades. Até a rede atingir seu ponto de equilíbrio, o franqueador tem que ter uma boa e sólida capacidade financeira. Um percentual grande dos insucessos em redes se deve à falta de preparo na análise de custos de implantação no Plano de Expansão da rede. Erros básicos podem transformar sonhos em pesadelos. Franquia não é feita apenas de instrumentação jurídica, engana-se quem pensa assim. Uma franquia de sucesso nasce de estratégias de mercado, gestão e administração.

 

PROCESSOS E ESTRATÉGIAS

Devido à importância dos processos para a padronização das atividades nas redes de franquias, torna-se fundamental decidir quais atividades devem ser mapeadas e incluídas nos manuais que serão entregues à equipe da empresa franqueadora e aos franqueados e que servirão de objeto de análise de conformidade nas consultorias de campo. Para definir quais os processos que deverão ser padronizados é preciso conhecer seus impactos junto aos clientes e as vantagens que o franqueador e os franqueados terão em padronizá-los. Processos simplificados e bem estruturados podem reduzir o tempo e os custos envolvidos na execução de uma atividade, e assim, ser mais facilmente repassados nos treinamentos e permitindo um melhor acompanhamento da sua execução, gerando um maior controle da qualidade final dos produtos e serviços oferecidos aos clientes.

Definir estratégias é planejar, é ter uma visão ampla do que se quer, do que é preciso fazer para alcançar o que se deseja, saber como será feito, quanto será necessário gastar e quando deverá ser colocado em prática, por isso, seja minucioso, se atente aos pequenos detalhes, nessa hora eles podem fazer toda a diferença. Não tenha medo de procurar a ajuda de consultor de franquias. Na hora de crescer, todo know-how é importante e, algumas dicas podem te ajudar a ter uma visão de negócio inexplorável que vai te trazer muitos benefícios.