Ilustração - Blog Franchise Store

3 erros banais dos novos empreendedores e como evitá-los

Começar um negócio próprio e alcançar o sucesso é algo positivo não apenas na vida profissional de alguém, mas também na sua vida pessoal – é o sonho de muitos! Mas, quando não se tem ainda muita experiência, até mesmo o erro mais óbvio pode ser fatal para o negócio. Por isso, confira aqui os 3 erros mais comuns dos novos empreendedores e veja como evitá-los:

 

1 – Não conhecer bem o mercado com o qual irá trabalhar

Isso pode causar sérios problemas para o negócio e levá-lo por água a baixo. As tendências, o público-alvo e os investimentos podem ser incrivelmente diferentes de uma área de atuação para outra, por isso é muito importante pesquisar e até fazer cursos sobre determinada área – quanto melhor você conhecer o seu mercado, melhor para o seu negócio.

Começar um empreendimento apenas visando à expectativa de lucro, sem gostar ou sem se interessar pela área é um grande erro. Isso porque os lucros costumam vir depois de muito esforço e, se o empreendedor não sente satisfação com o seu trabalho, as chances de frustração e até de desistência são bem maiores.

 

2 – Não ter um plano de negócio

Esse é um importantíssimo documento que irá especificar por escrito tudo sobre o seu empreendimento – como o que será feito, por quem será feito e como será feito, os gastos envolvidos, a expectativa de rentabilidade, os riscos a serem assumidos, os pontos fortes e tudo o mais que irá determinar a viabilidade do seu empreendimento.

Por mais simples que o seu negócio possa parecer, é de suma importância montar o plano de negócio antes de começar. Isso porque, por mais que a área de atuação possa parecer simples, por mais que a ideia pareça brilhante ou por mais que o empreendedor já tenha pensado em tudo, o plano de negócio é o que vai dispor todas as idéias de uma forma mais organizada e clara. Esse é o documento que poderá abrir várias portas para o seu empreendimento, como sociedades e parcerias.

Além disso, não deixe de dividir sua ideia com alguém, seja por medo ou por vergonha. Isso porque assim você acaba minando as chances de receber apoio e até mesmo dicas valiosas.

 

3 – Misturar a vida profissional e a vida pessoal

Isso vale tanto para as sociedades, como para as contratações e – principalmente – para as finanças. Por isso não contrate parentes ou amigos apenas por afinidade, pois os funcionários são considerados o “coração da empresa” e é preciso que sejam profissionais competentes.

O mesmo vale para as sociedades, não faça uma sociedade com alguém apenas por amizade, o sócio deve ser alguém competente o suficiente para ajudar na evolução e crescimento do empreendimento.

Quanto às finanças, a mesma regra é válida: não misture os gastos do seu empreendimento com seus gastos particulares e jamais retire dinheiro do caixa para gastos pessoais e supérfluos sem pelo menos ter separado o lucro do capital de giro. Procure ter uma planilha de gastos e receitas do seu negócio e outra planilha para administrar os custos da sua vida pessoal.