Como utilizar com segurança os símbolos da Copa do Mundo em franquias

Especialista alerta redes de franquias para não infringir um direito alheio e acarretar danos à marca

 

Para muitas redes de franquias, eventos como a Copa do Mundo podem ser importantes para impulsionar as vendas. Isso porque muitas marcas querem associar seus produtos ao evento. Porém, o que muitas companhias não sabem é que os símbolos ligados ao campeonato são protegidos pela FIFA (entidade organizadora) e só podem se apropriar deles empresas patrocinadoras, caso contrário, o uso indevido desses sinais pode acarretar em perdas de receitas consideráveis, além de processos judiciais extensos.

Segundo Marina Bechtejew, advogada do escritório NB Advogados, especializado no setor de franchising e propriedade intelectual, é importante lembrar que os organizadores estabelecem uma série de regras que os sinais sejam citados. ”Nomes como ”Copa do Mundo”, ”Copa do Mundo 2018”, ”Rússia 2018” e ”Fifa” são marcas registradas, razão pela qual, para utilizá-las dentro de determinados contextos, principalmente de vendas, é preciso ser um patrocinador, sob pena de ser caracterizada uma infração e ser aplicada multa”, diz Marina.

Ainda de acordo com a especialista, o primeiro passo é examinar com atenção os processos legais e as informações que estão disponíveis no portal da FIFA, ou se for necessário, recorrer a um especialista para orientá-lo antes de iniciar alguma campanha comercial que envolva algum sinal que faça alusão ao evento. “As franquias devem tomar cuidado com a forma que irão explorar os símbolos, pois a FIFA tem o direito de adotar medida judicial contra o uso irregular de qualquer material que faça referência ao campeonato”, explica Bechtejew.

A advogada lembra que na Copa passada houve queda nas vendas em alguns segmentos. ”As pessoas deixaram de sair para comprar, para ir a outros locais assistir as partidas de futebol. Para franquias do ramo de alimentação, uma alternativa para alavancar as vendas nesse momento é abrir o espaço para o público assistir aos jogos”, sugere a advogada.

Marina Bechtejew alerta às redes para aproveitas a ocasião, sem correr danos financeiros. ”Tente se tornar parceiro do evento. Se isso não for possível, evite vincular suas campanhas publicitárias com as marcas da Copa”, enfatiza. ”Marcas licenciadas pagam valores consideráveis pelo uso dos sinais em eventos desse porte. Sendo assim, a exclusividade e propriedade da marca impede que terceiros utilizem determinados símbolos para identificar seus produtos ou atividades sem a autorização necessária”, finaliza a advogada.

 

Marina Nascimbem Bechtejew Richter – Sócia do escritório NB Advogados, Marina é autora do livro “A Relação de Franquia no Mundo Empresarial e as Tendências da Jurisprudência Brasileira”, bacharela em Direito pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, sendo especialista em direito Societário, Contratos e Contencioso Cível. Marina é membro da ordem dos Advogados do Brasil, de São Paulo; Associação dos Advogados de São Paulo (AASP); e Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Como prever a lucratividade de uma franquia?

Existem vários fatores que devem ser criteriosamente avaliados no processo de fechamento de contrato de uma franquia. Porém, um dos pontos mais delicados e mais importantes para o investidor é saber se o seu investimento terá o retorno financeiro dentro do prazo esperado.

 

O franqueador antes de qualquer consideração, precisa saber se sua unidade lhe trará lucratividade. A lucratividade de uma franquia pode ser calculada pela divisão do lucro líquido pela receita total de vendas. Esse valor deve ser multiplicado por 100 para se achar o percentual de lucratividade.

É preciso ter uma visão menos específica sobre a estrutura de faturamento. Antes de tudo, o franqueador deve levantar todos os números do negócio e detalhar toda a operação, como gastos com montagem e detalhes na estrutura. Você precisa ter uma visão ampla sobre os números e projeções apresentadas pela franquia. E não se pode ficar preso aos dados fixos apresentados pela franqueadora como faturamento médio, taxa de franquia, royalties e taxa de publicidade. São dados flexíveis e que dependem de uma boa gestão, por isso planejamento e pesquisa são a base para traçar uma ideia sobre lucratividade.

 

Conversando com outros franqueados.

No levantamento de dados sobre a franquia, é importante que esses dados sejam justificados na realidade. Buscar franqueados que já atuam no negócio e tem experiência com a rotina de trabalho e a dinâmica do negócio é essencial. Os franqueados são um termômetro para o novo investidor, através dos depoimentos o interessado pode conhecer o negócio de perto e entender melhor os custos e retorno do investimento, compreendendo a verdadeira situação da lucratividade do negócio.

Na hora de escolher a unidade, busque a que mais se pareça com o seu investimento, como localização, modelo e gestão. Assim você se aproxima vem mais do que deseja saber.

Outro fator importante para prever o lucro de uma unidade são as mudanças de processos no mercado, ou quando o negócio é sazonal. Dê preferencia para franquias que sejam flexíveis no gerenciamento de crises e que tenham mais chances de uma lucratividade estabilizada, mesmo em segmento com flutuações de mercado.

Podemos fazer mil análises e dar muitas dicas de como começar o negócio com o pé direito, mas depende de você. O investidor precisa ter a perspicácia de um empreendedor. Que sabe ver as necessidades do mercado e se adaptar a elas. Por isso, mesmo com todo o suporte técnico e direcionamento da franqueadora, o sucesso de uma unidade depende de estratégias e dedicação peculiares. O sucesso depende da disponibilidade e das ferramentas que o franqueado tem para fazer a gestão do negócio. Por isso, seja criativo na gestão dos negócios, pois a lucratividade da sua empresa está em suas mãos.

 

Confira também:  Negócios promissores para 2018

IGA comemora 10 anos no Brasil com estréia na ABF Franchising Expo

No ano em que comemora uma década de atuação no mercado brasileiro, o IGA – Instituto Gastronômico das Américas, maior rede de escolas de gastronomia e confeitaria do mundo, fará sua estreia na ABF Franchising Expo. A principal feira de franquias do Brasil acontece no Expo Center Norte, em São Paulo, entre os dias 27 e 30 de junho.

 

A participação da rede argentina no evento faz parte da nova estratégia de expansão da marca no País, em especial nas regiões Nordeste, Sudeste e Sul. “Iniciamos no Brasil com vendas apenas a grupos de investidores argentinos com foco em conhecer cuidadosamente o mercado em diversas regiões do país. Agora, estamos focados em empreendedores individuais com capital inicial de R$ 300 mil e que enxergam o cenário gastronômico como uma opção interessante de investimento”, revela Luis Zemlenoi, diretor de expansão da rede. “Nada mais assertivo do que a visibilidade que a ABF Franchising Expo nos possibilita para alcançarmos as metas traçadas para 2018”, completa o executivo.

Para atrair as atenções dos visitantes durante o evento, o IGA terá uma cozinha experimental dentro do stand onde cursos rápidos, de 30 minutos, serão ministrados por chefs renomados, entre eles André Otero, Chef Executivo da rede, e Luiz Farias Chef Executivo da Bunge e eleito o melhor pâtisserie do mundo pela International Union of Bakers and Confectioners, além de e sua equipe da Academia Bunge. No espaço haverá, também, aulas show com degustação. “Nosso objetivo é que os visitantes tenham uma noção mais real da estrutura dos nossos institutos”, comenta o diretor. “Para esses micro eventos dentro do stand, vamos contar com os grandes parceiros da rede, como Academia Bunge, Baden Baden, Eisenbahn, Pratica e Buzon”, revela Zemlenoi.

O IGA está presente no Brasil desde 2008 e conta com 46 unidades em operação em 14 estados: Amazonas, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Ceará, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. No mercado internacional, além da Argentina, a rede está presente no Paraguai, Uruguai, Bolívia e EUA. No ano passado, registrou receita mundial superior a R$ 40 milhões e, em 2018, já vendeu quatro unidades, planeja a abertura de outras 16 e espera crescer 22% em receita. “A rede é muito cautelosa à expansão da marca. Buscamos crescer de forma cadenciada, dentro de uma realidade possível e por meio de potenciais franqueados conscientes a respeito do negócio. Prova disso é o índice nulo de fechamento de lojas”, completa Zemlenoi. Ainda, o IGA reúne alta maturidade em governança corporativa, o que o torna uma franqueadora pertencente à quarta geração, ou seja, conta com a presença do board da empresa em processos importantes para o desenvolvimento das unidades. O resultado impacta diretamente na lucratividade da franquia, que chega a ter uma taxa de rentabilidade entre 20% e 25% ao mês sobre o faturamento bruto.

 

 

Imagem relacionadaFundado em 2001 na Argentina, o Instituto Gastronômico das Américas busca democratizar o acesso à educação gastronômica por meio de suas 118 franquias. Oferece cursos extensivos (com duração de até dois anos) de “Gastronomia e Alta Cozinha”, “Certificação Avançada em Gastronomia” e “Confeitaria Profissional e Avançada”.As crianças têm espaço garantido na sala de aula, que ensina em oito meses, de maneira prática e divertida, os segredos da boa cozinha, o reconhecimento dos ingredientes e valores fundamentais como a higiene e o cuidado com os utensílios.

Franquia Água de Cheiro tem números atrativos de investimento

O mercado de beleza tem força no Brasil. Segundo a Abihpec, em 2016 o setor faturou 102,2 bilhões de reais. Em 2017, o setor de saúde, beleza e bem-estar registrou um aumento no faturamento das franquias do segmento, que somaram mais de 30 bilhões de reais.

 

A projeção é que esse crescimento se mantenha estável nos próximos anos, levando o segmento a faturar 115 bilhões de reais em 2020. E em consequência, o setor de beleza se torna um atrativo para quem pensa em abrir uma franquia.

Dentro dessas projeções, a franquia Água de Cheiro se apresenta como grande oportunidade no mercado. Pioneira no segmento de beleza no franchising brasileiro, a Água de Cheiro tem mais de 40 anos de experiência no mercado e já conta com 200 unidades em todo o Brasil entre lojas e quiosques. Com um mix de produtos amplo, a marca oferece diferentes formatos de franquia e tem baixo investimento, a partir de 84 mil reais. A meta da marca é continuar crescendo, figurando entre as principais redes do segmento no país.

 

Franquia Água de Cheiro

 

Com a expansão aliada aos bons números do setor, a Água de Cheiro oferece oportunidades para novos franqueados em todas as regiões do Brasil.

O modelo de quiosque é o que tem menores custos de investimento, pedindo capital a partir de 84 mil reais. São duas opções de tamanhos para a estrutura do quiosque, que pode ser com área de seis ou nove metros quadrados.

Já na franquia de loja a estrutura é mais completa: o ponto comercial deve ter área mínima de 30 metros quadrados. O investimento para abrir uma unidade neste formato parte de 197,5 mil reais.

Os valores de investimento incluem taxa de franquia, capital necessário para instalação e estoque inicial da unidade. Além disso, a franqueadora indica um capital de giro a partir de 20 mil reais para franqueados no formato quiosque e a partir de 30 mil reais para franquias de loja.

Tanto as lojas quanto os quiosques têm um mix de produtos bastante diverso – a Água de Cheiro valoriza sua origem brasileira e busca desenvolver cosméticos e fragrâncias que atendam a diferentes perfis de consumidores. São diversas opções de perfumes, maquiagens, cosméticos para corpo e banho de marca própria, com linhas femininas, masculinas e infanto juvenis. Além disso, as lojas contam com produtos de outras marcas conceituadas no mercado, como Forum, Lamborghini, Benetton e Ana Hickmann.

A franquia tem retorno atrativo. Com lucratividade estimada em 15% da receita bruta, os quiosques têm faturamento médio mensal de 40 mil reais; as lojas, de 60 mil reais. O retorno do capital investido deve acontecer a partir de 18 meses após o início das operações.

 

Se interessou? Clique aqui e seja um franqueado Água de Cheiro

 

Fonte: Guia Franquias de Sucesso

Negócios promissores para 2018

Um estudo realizado pelo Sebrae, com base no perfil de novas empresas dos anos anteriores, no comportamento da economia nacional nos negócios e no mercado externo, revelou os empreendimentos mais promissores para o ano de 2018.

 

Entre os negócios que chamaram atenção, fornecimento de marmitas, serviços para idosos ou atividades de estética. Negócios no segmento de alimentação, saúde e serviços pessoas serão as apostar de novos empreendedores para 2018.

“Os recentes resultados de geração de emprego comprovam que economia dá sinais de recuperação. Com isso, aumenta também o poder de compra dos brasileiros, que voltam a consumir alimentação fora de casa, retomam o ritmo de cuidados pessoais e conseguem investir na saúde. Os novos negócios são reflexo direto desse cenário”, analisa o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos.

O estudo também avaliou os segmentos com maior taxa de expansão nos últimos anos, pois apontam uma grande demanda do mercado consumidor. O serviço ambulante de alimentação e o fornecimento de alimentos preparados para consumo das famílias cresceram 24% ao ano. Outro setor que deve atrair novas empresas em 2018 é a construção, com destaque para atividades de pequenas reformas, instalação e manutenção elétrica e serviços de pintura. Nos últimos cinco anos, o registro de novas empresas que oferecem serviço de obras de alvenaria aumentou 36% ao ano.

Alimentos e bebidas: lanchonetes, casas de chá, de sucos, comércio de alimentos, fornecimento de alimentos preparados, bares, restaurantes, comércio de bebidas e fabricação de produtos de padaria e confeitaria;

 

Atividades mais promissoras de 2018:

Vestuário e calçados: confecção de roupas, confecção sob medida, comércio de vestuário e calçados;

Construção: Pequenas reformas, instalação e manutenção elétrica, serralheria, comércio de material de construção e serviços de pintura;

Saúde: Venda de planos de previdência complementar e de saúde, atividades de condicionamento físico, serviço de diagnóstico por imagem, atividades de fisioterapia, atividade médica ambulatorial, ensino de esportes, instituições para idosos e serviços veterinários;

Educação: serviços de educação infantil, treinamento profissional/gerencial, transporte escolar, ensino de esportes;

Serviços pessoais: cabeleireiros, manicure e pedicure, atividades de estética e beleza, comércio de cosméticos;

Serviços especializados: Transporte de carga, serviço de taxi, lavagem/lubrificação/polimento de veículos, lanternagem e pintura de veículos, serviço de entrega rápida, produção de fotografia e serviços de contabilidade;

Vendas: marketing direto, promoção de vendas, representação comercial, fabricação de letreiros;

Comunicação/Computação: serviço de comunicação/multimídia, desenvolvimento de softwares, portais/provedores de conteúdo e outros serviços de internet.

Informática: comércio de equipamentos de informática

Entretenimento: casas de festas e eventos, organização de feiras, congressos, exposições e festas

Lojas de conveniência

 

Fonte: PEGN

Tecnologia mudando a forma de educar os jovens

Você é pai ou mãe de mais de um filho, provavelmente já reparou nas diferenças entre eles. Mesmo fazendo parte do mesmo ambiente familiar e que tenham sido criados do mesmo jeito, há grandes diferenças. Até onde a tecnologia pode ajudar na educação desses jovens?

 

 

Assim como você já deve ter observado em seus próprios filhos, cada criança tem suas facilidades e dificuldades. Enquanto um apresenta uma facilidade enorme em matemática, o outro se realiza nas aulas de artes e produz trabalhos incríveis com as cores. É aí que a proposta do ensino customizado entra para virar o jogo e tirar 100% de aproveitamento de todos os alunos, independentemente da disciplina. Como isso é possível? Me acompanhe que te explico.

 

O que é educação customizada?

Há vários nomes para designar a mesma coisa: ensino customizado, educação personalizada, aprendizado personalizado e etc., mas o princípio é o mesmo. A educação customizada é o ajuste da programação do currículo escolar e da estrutura da escola para atender às necessidades individuais de cada aluno. Isso tudo é feito por meio da tecnologia.

Há alguns dias, um dos homens mais influentes do mundo, Bill Gates, o criador da Microsoft, revelou que sua fundação filantrópica, a Bill & Melinda Gates Foundation, já investiu mais de 240 milhões de dólares em startups que usam a tecnologia voltada ao ensino customizado. Bill Gates explicou que compreende que as pessoas apresentam progressos em velocidades diferentes e, por isso, resolveu incentivar o conceito.

O dono da Microsoft acredita que, nos moldes do ensino tradicional, quando um aluno está adiantado em relação ao conteúdo apresentado para todos, ele se sente entediado. Porém, quando o aluno está atrasado, o impacto é ainda maior: “são usados termos e conceitos que criam a impressão do ‘eu não sou bom nisso ’“, explica.

O que acontece depois, todos nós já sabemos: um aluno desmotivado porque não se acha suficientemente inteligente tende a se tornar indisciplinado na tentativa de esconder sua dificuldade de aprendizado. É uma bola de neve!

 

Como a tecnologia pode ajudar para que os alunos tenham 100% de aproveitamento escolar

O uso da tecnologia no ensino customizado tem a finalidade principal de empoderar o educador com recursos digitais que vão possibilitar a criação de planos pedagógicos personalizados. Isso quer dizer que o plano de aula de cada aluno será criado baseado em seu desempenho e progresso em determinada disciplina escolar.

Esse molde permite que o professor passe menos tempo explicando um conteúdo geral e comece a agir como um tutor particular para cada um de seus alunos. Assim, ele consegue focar nas necessidades individuais de seus alunos dentro da sala de aula.

 

A tendência está só se fortalecendo

Nem só dos startups depende o progresso da educação personalizada. Empresas grandes e impactantes como o Google já estão fazendo sua parte com louvor. Considerada uma das empresas mais importantes e expressivas do Vale do Silício, o Google já disponibilizou uma plataforma para integrar professores e alunos em um ambiente online.

A ideia do Google Sala de Aula é usar menos papel e mais interatividade, fortalecendo a caracterização e a relevância da educação personalizada. A concepção da plataforma foi baseada no que citamos acima: um professor focado nas necessidades de cada um de seus alunos para que, juntos, possam atingir o melhor aproveitamento possível do conteúdo programático.

Nunca a tecnologia esteve tão presente em nossas vidas. No ambiente familiar, no trabalho e agora nas escolas, a tecnologia vem se mostrando um recurso essencial para elevar a qualidade de ensino das nossas escolas. Além disso, as futuras gerações que ocuparão o mercado de trabalho em alguns anos estarão cada vez mais preparadas para habitarem um mundo totalmente digital, vide a velocidade com a qual o conceito de internet das coisas está se desenvolvendo. Será por meio da tecnologia que muito em breve poderemos perceber um novo brilho nos olhos dos alunos que reencontrarão uma motivação nova para continuarem a aprender, sem que ninguém os obrigue.

O benefício da tecnologia no ensino customizado já será aparente na capacitação dos professores. Entretanto, depois que o ensino customizado se tornar uma realidade nas escolas, nos tornaremos capazes de mensurar um aumento qualitativo dos profissionais que passaram por esse tipo de formação e que agora estão prontos para tomar as rédeas do mercado de trabalho. Serão profissionais criativos, que não têm dificuldades em sair de suas zonas de conforto e que encontrarão pela frente um mundo novo de possibilidades de tornar o mundo um lugar melhor.

Se interessou? Então conheça a marca que visa mudar a educação do Brasil e a vida dos jovens com ensino de tecnologia.

.

Clique aqui e seja um franqueado Buddys.  

 

Empreendedorismo: talento ou trabalho?

Entre tantas coisas boas que referências do empreendedorismo como Steve Jobs e Bill Gates trouxeram para o mundo, uma veio como efeito colateral: a ideia de que tudo o que fizeram foi fruto de sua genialidade inata.

 

O fato é que, sempre que analisamos o que construiu a trajetória de grandes nomes em diferentes áreas, chegamos à mesma conclusão de que o sucesso foi fruto do trabalho duro.

É isso o que novos empreendedores precisam ter em mente: que a ideia de talento precisa estar atrelada à de esforço, pois sem ele não existiriam Jobs, Gates, Apple, Microsoft, entre tantas companhias de sucesso.

Por isso, saiba como sair da zona de conforto e colocar os seus planos em ação.

 

Busque o aprendizado

Pode parecer um clichê, mas estar sempre buscando aprender é uma das regras para carreiras bem-sucedidas. Ou você acha que o Brasil perdeu de 7 a 1 para a Alemanha na Copa do Mundo à toa?

O exemplo que o futebol pode trazer para o empreendedorismo é que, quando você deixa de se esforçar para entender o que envolve a sua atividade, tem grandes chances de ser surpreendido negativamente.

Naquela tarde, essa surpresa veio na forma de uma goleada histórica que os jogadores e a comissão técnica brasileira não entenderam como aconteceu, embora os alemães tenham entendido muito bem.

Já no empreendedorismo, essa surpresa aparece quando você não percebe os motivos que fizeram com que o seu produto ou serviço tenha deixado de ser relevante para o mercado. Conhece o exemplo da Kodak?

 

Tenha um bom plano de negócios

Não comece a sua trajetória apenas com o sonho. Ele é importante, pois será o elemento a motivar nos momentos mais difíceis. Mas a verdade é que, sem um bom plano, você não consegue controlar as ações tomadas no dia a dia, e os resultados ficam cada vez mais longe dos idealizados.

Use parâmetros para avaliar se as coisas andam como desejado. Isso precisa ser definido com antecedência e exige tempo e trabalho duro. Um bom planejamento envolve boa visão e envolvimento. É o que vemos em Plano de negócios — exemplos práticos, de José Carlos Assis Dornelas.

 

Encontre a oportunidade certa

Não empreenda somente por empreender. Procure se concentrar nas oportunidades que surgem para encontrar soluções viáveis.

Por exemplo, se você se interessa por automóveis, tente ler tudo o que for possível sobre o assunto, converse com profissionais e apaixonados por veículos, visite fábricas, conheça novos modelos, enfim se envolva até o fim com o assunto.

Você só terá condições de criar algo relevante quando for capaz de enxergar problemas e propor soluções para eles.

Parece difícil? Sim. Mas o próprio Bill Gates teve que lutar muito até fazer com que seus computadores se tornassem úteis para o grande público.

Saiba recomeçar

Steve Jobs foi afastado da própria empresa quando as coisas começaram a dar errado.

Já se imaginou sendo afastado do projeto da sua vida? Não parece haver humilhação maior, mas o criador da Apple se reinventou e, ao retornar à companhia, deu início a uma das mais triunfantes trajetórias da história do empreendedorismo mundial.

Entenda que cair também faz parte do jogo, mas levantar é o que diferencia os vencedores de quem fica pelo caminho.

Aperfeiçoe o seu potencial negociador 

Não pense que Mark Zuckerberg é somente um programador competente. Sua biografia mostra que os êxitos nas negociações transformaram o Facebook na maior rede social do mundo. Essa habilidade também está em outros grandes nomes do empreendedorismo mundial.

Saber fechar bons negócios envolve boa capacidade de relacionamento interpessoal, empatia e inteligência emocional, potencial que você pode começar a desenvolver o quanto antes para ir longe em sua trajetória.

 

Fonte: Top English 

Consultoria de campo e sua importância no mercado de franquias

A consultoria de campo trabalha um dos pilares centrais do setor de franquias. Antes da explosão do franchising, as empresas contavam com supervisores para acompanhar o desempenho das unidades. Porém, hoje em dia contar apenas com o supervisor não é suficiente, 

 

A consultoria de campo tem o objetivo de auxiliar em dificuldades ocasionais que os franqueados enfrentam no dia dia. É feita por um profissional e voltada para o gerenciamento e controle das unidades franqueadas. Na consultoria de campo, o consultor monitora todo o desempenho das unidades e transfere o know how da matriz, promovendo padronização do serviço e melhoria na qualidade.

Para que o trabalho da consultoria de campo seja produtiva, o profissional deve prestar um suporte prático, identificando os pontos a melhorar e indicando a melhor solução. Contar com consultores com experiência no mercado, conhecimento da rede e metodologias eficientes é essencial. Existem diversas vantagens em adotar um sistema de consultoria de campo para franquias. Com a consultoria, o franqueado pode identificar riscos e evitar prejuízos, padronizar seus processos e prestar um suporte de verdade, afinal, você terá um profissional que avaliará meticulosamente a unidade.

A Solutto, empresa focada em software e soluções para franquias, desenvolveu um sistema de consultoria de campo que oferece soluções para implementação de estratégias profissionais no momento da consultoria. Tudo que precisa ser analisado dentro da franquia é contemplado por checklist de conformidade, planos de ação e indicadores de gestão da franquia. Por meio do software, o consultor se prepara para as visitar através dos indicadores de gestão online, com acesso a históricos de relacionamento e planos de ação

Apoiar-se na tecnologia também é muito proveitoso no processo de implementação de uma consultoria de campo, com ferramentas bem estruturadas, é possível padronizar os processos de consultoria, centralizando e armazenando informações importantes para que se possa realizar um trabalho mais especializado. O consultor ainda planeja e compartilha digitalmente com franqueados a agenda de visitas às unidades.

O Software também disponibiliza painéis de análise da consultoria de campo em franquias, contendo informações sobre a performance das unidades e rankings, além de automatizar disparos de lembretes para franqueados que estão com pendências, otimizando o tempo do consultor. O sistema desenvolvido pelo Solutto dá total suporte ao consultor, mesmo que o profissional não possua experiência em consultoria de campo.

Software desenvolvido exclusivamente para gerenciamento de franquias, o Solutto é utilizado por 280 marcas de franquias e conta com mais de 5 mil usuários ativos.

 

Confira também: Repasse de franquias pode ser alternativa para franqueados na crise.

 

Subway adota novas estratégias para driblar a concorrência

Nos últimos meses a gigante do mundo de franquias, a Subway, começou a implementar novas estratégias para ir de encontro com a concorrência no mercado e aumentar o desempenho de seus restaurantes, todos operando por franqueados.

 

Com o título de ”maior rede de fast food do mundo”, a americana começa a tirar o sono da concorrência com suas mudanças internas. Em fevereiro, a marca inaugurou a ”fresh foward” sua primeira loja conceito na Zona Sul de São Paulo. A marca atualizou seu layout e logotipo, trazendo uma identidade visual mais moderna e trabalhando na mente dos consumidores o conceito de que estão consumindo produtos mais frescos. “Nossa marca sempre foi associada a produtos frescos, mas agora reforçamos esse conceito”, afirma Paulo Davis, diretor regional de marketing da Subway. E geladeiras foram instaladas nas unidades onde são armazenados os vegetais, fazendo os clientes participarem de todo o processo de montagem do lanche.

Os painéis das unidades foram trocados por monitores de LED, exibindo vídeos e informações sobre os produtos. “Nessa evolução da marca, fazemos uma espécie de celebração dos vegetais, mostrando um ambiente moderno”, afirma o diretor regional. A estratégia ainda está sendo desenvolvida, no Brasil apenas três lojas foram adaptadas ao novo conceito ”fresh foward”. A Subway está em negociação com franqueados da rede para implantar a migração para o novo modelo. A conversão dos restaurantes não será obrigatória e para reduzir despesas, a companhia conseguiu 90% dos equipamentos tivessem fornecedores locais, reduzindo o impacto cambial na despesa.

“Os agentes de desenvolvimento vão fazer um processo de avaliação da gestão do negócio para tentar chegar a uma solução em parceria com o franqueado, levando em consideração o que prevê cada contrato”, afirma Davis. “Isso pode levar a uma mudança para o ‘fresh foward’ ou o restaurante pode ficar como está. Mas explicaremos que haverá um incremento de venda com a adesão ao novo conceito.”

Outra estratégia utilizada pela marca foi a recuperação do ”baratíssimo”, sanduíche de frango vendido a partir de R$ 7 reais.“Sentimos que era necessário responder à necessidade do consumidor, por isso revisamos o posicionamento de preço e decidimos optar por um valor mais agressivo”, conta o executivo. Essa estratégia também é muito utilizada pelos concorrentes da marca, como Burger King e Mcdonalds, com os sanduíches promocionais.

A marca ainda prevê mudanças no cardápio para aumentar as vendas. Paulo Davis comenta que o calendário de marketing prevê três lançamentos para 2018. ”Queremos focar mais no paladar do brasileiro, com novas proteínas”, diz o executivo. A previsão de Davis, é que as mudanças tenham um impacto positivo no ticket médio por loja Subway. “Sabemos que é uma forma importante de estar perto dos consumidores e oferecer mais conveniência do que a concorrência, mas será preciso esperar um pouco mais”, diz. Com as novidades, Davis acredita que as vendas da companhia deverão ter um aumento acima de um dígito.

Confira também: Como ser um máster franqueado de uma marca internacional. 

 

Repasse de franquias pode ser alternativa para franqueados na crise

A crise não foi um grande agravante para o mercado de franquias. Apesar do cenário catastrófico da economia brasileira, o setor de franquias cresceu de maneira considerável, e segundo a ABF cada vez mais surgem novos negócios franqueados no Brasil.

 

No entanto, o aumento na quantidade de unidades franqueadas junto com o contexto econômico de crise fez com que alguns franqueados não suportassem as demandas de sua unidades, e optaram por deixar o mercado. É então, que muitos encontram no repasse a solução para não perder dinheiro. O repasse de franquias hoje, é uma prática comum, previstas nos contratos e é uma opção tanto para quem deseja vender quanto para quem busca um negócio estabelecido. O empresário tem que encontrar um comprador interessado e aguardar a aprovação o franqueador para depois lidar com as burocracias e documentos da nova negociação. Porém, fazer a venda de uma franquia em operação é relativamente simples.

Os últimos anos foram marcados por um boom no mercado de franchising, fazendo surgis novos empresários que apostam nesse modelo de negócio. Porém, a facilidade de abrir uma franquia não esta atrelada com o sucesso empresarial, os empresários precisam analisar o investimento meticulosamente, caso contrário a franquia pode ser um fracasso. Hoje, existem poucas empresas especializadas nesse segmento. Essa modalidade de venda de empresas pode ser uma saída para evitar que negócios fechem as portas e prejudiquem franqueadores e franqueados. Os honorários de uma franquia pode girar entre 5% a 7% do valor total da negociação e deverá ser pago no ato da assinatura do contrato de compra e venda.

Com o crescimento cada vez maior na quantidade de unidades franqueadas, é necessário que o mercado de franchising se desenvolva e esteja preparado para o repasse de franquias. Essa modalidade de venda pode ser uma saída possível para evitar que esses negócios fechem as portas e prejudiquem franqueadores e franqueados. Muitas dessas franquias de repasse possuem bons resultados financeiros, fazendo com que sejam uma boa opção para o investidor.

 

Confira também: Oportunidade de negócio: Escola Delivery de Idiomas

Desemprego impulsiona busca de investimento em franquias

A realidade é cruel: hoje no Brasil, o desemprego tem sido uma ferramenta decisiva para a mudança no cenário empresarial do país. E o mercado de franquias pode apresentar oportunidades nesse cenário. 

 

O desemprego no Brasil provoca números assustadores. No último ano, o Brasil perdeu 178 mil empregos com carteira assinada. E fechou 2017 com mais de 12 milhões de pessoas desempregadas. 2018 tem previsões mais preocupantes.

Mesmo com a economia em cenário de desespero, a capacidade de adaptação dos brasileiros surpreende. As pessoas ainda se mostram dispostas em procurar novas maneiras de lucro. Com isso, a alta do desemprego criou novos empreendedores que enxergaram no setor de franquias a oportunidade de retomada na sua vida financeira.

Segundo dados da Associação Brasileira de Franchising, muitas pessoas que participaram dos programas de missões voluntárias encontraram no mercado de franquias uma oportunidade para ter seu próprio negócio. De acordo com Altino Cristofolett Junior, presidente da ABF, as pessoas que desejam investir em uma franquia possuem perfil empreendedor e estão antenadas sobre o mercado e sobre as características do negócio que almejam. Características primordiais de quem pretende entrar no setor. Altino também ressalta que ano passado notou-se um número significativo de empreendedores com interesse em expandir, que abriram mais unidades, chegaram a outras regiões e gerou mais empregos.

O setor de franquias no ano de 2017 teve um crescimento de 8% no faturamento e em 2018 as previsões é de que cresça ainda mais com um aumento entre 9% e 10% no faturamento. Mesmo com os dados positivos, o setor de franquias registrou uma pequena parcela na criação de novos empregos, apenas 1%. Em 2018, a ABF prevê uma melhoria nesses dados, com um aumento de 3%.

Investir em franquias tem seus riscos, como qualquer outro empreendimento, mas se destaca como um mercado consistente, que mesmo com o cenário econômico não parou de crescer e se mostra promissor tanto para quem deseja abrir um novo negócio, quanto para quem já tem um e deseja expandir.

 

CONFIRA TAMBÉM:  Setor de franquias gerou mais de 1 milhão vagas em 2018

Oportunidade de negócio Top English: Escola Delivery de Idiomas

Aprender um idioma novo depende de três de fatores principais: dedicação do aluno aos estudos, estrutura adequada de sala de aula e um bom professor. A franquia Top English oferece tudo isso em um modelo inovador: Escola Delivery de Idiomas.

 

Entretanto, apesar desse modelo tradicional de ensino, já existem novas formas de lecionar e aprender idiomas que convêm muito não só para quem está aprendendo, mas também para quem ensina. Como por exemplo: Escola Delivery.

O que é uma Escola Delivery de idiomas?

Ao invés de lecionar em uma sala de aula fechada, durante uma média de uma hora/aula por turma, que tal ir até o aluno e oferecer uma aula muito mais direcionada? Livrando-se, assim, daquelas cargas horárias cansativas, ganhando mais flexibilidade na sua rotina e obtendo muito mais resultados? Pois saiba que o modelo de ensino delivery lhe permite exatamente isso! Hoje, com toda a tecnologia que temos ao nosso dispor, as salas de aula tradicionais têm sido cada vez mais substituídas pelos modelos de ensino a distância.

Ainda mais com toda a correria da rotina nos últimos anos, esse modelo de ensino tem sido o mais procurado. Até faculdades e mestrados, por exemplo, já podem ser cursados fora da sala de aula, e com o mesmo nível de aprendizado. Com aulas ministradas pessoalmente, ou online, e horários mais flexíveis é possível ter muito mais foco durante o ensino, sanando todas as dúvidas do aluno, direcionando o conteúdo de forma mais eficiente e se livrando das bagunças que acabam surgindo em salas com 30 ou 40 alunos. Existem, inclusive, grandes escolas de idiomas, consagradas no mercado, que já optaram por esse modelo de ensino. Assim, você pode se tornar um franqueado de uma franquia de idiomas e ser mais do que um professor, mas um empreendedor.

E vale lembrar que, diferente do que muitos acreditam, nesse modelo de ensino não é só o tutor que vai até o aluno, mas toda escola. Isso porque os professores de escolas delivery têm recursos, como tablets e outros equipamentos audiovisuais, essenciais para um ensino prático e de qualidade.

.

As vantagens de ser um franqueado de uma escola de idiomas delivery

As franquias são um modelo de negócio que têm se tornado cada vez mais popular, especialmente entre os pequenos e médios empreendedores. Uma de suas principais vantagens é que, ao invés de ter de começar absolutamente do zero, fazendo o nome da sua marca e conquistando o mercado — o que pode levar anos para acontecer —, com a franquia você já começa seu negócio com um nome grande. Até porque uma marca com um nome conhecido e já consagrado faz toda a diferença no mundo dos negócios. 

A Top English, por exemplo, tem seu modelo de franquia de idiomas criado exatamente para que os empreendedores com potencial para negócio, mas sem muito capital para investir, possam entrar para o mercado. Até porque, quando não há investimento e custo com a escola física, é muito mais fácil reunir o capital necessário para abertura do negócioO fato de a escola ser delivery — ou seja, de atender o aluno online, em casa ou onde ele estiver — diminui o capital inicial de investimento em cerca de 70%, comparado ao necessário para dar início a uma escola de idiomas tradicional, com espaço físico.

Além disso, os custos operacionais físicos — que haveria, por exemplo, com o espaço, a manutenção, o pagamento de contas, funcionários etc. — se tornam muito mais baixos, fazendo com que o lucro líquido do negócio seja bem maior. A Franquia Top English oferece baixo investimento, rápido retorno de investimento inicial, baixo custo operacional fixo, suporte e treinamento.

 

Se interessou? Clique aqui e seja um franqueado Top English. 

Franchising Week promove debates sobre inovação, tecnologia e colaboração em franquias

A ABF Franchising Week, maior evento de franquias da América Latina, chega a sua terceira edição promovendo debates sobre o impacto de transformação digital no setor e a importância do propósito e da colaboração nas redes.

 

O Franchising Week será realizado de 25 a 30 de junho, e contará com a participação das principais lideranças do Franchising nacional. O evento tem como objetivo promover uma imersão no universo do Franchising. Esta edição conta com uma novidade: a inclusão do Congresso Internacional de Franchising. Em sua quinta edição, a programação do Congresso trará representantes da associações ibero-americanas de franquias para apresentar as oportunidades e desafios do Franchising em seus respectivos países.

Segundo o presidente da ABF, Altino Cristofoletti Junior “unir os principais stakeholders do setor para trocar experiências, debater tendências e gerar negócios sempre foi o objetivo da ABF Franchising Week. Nesta edição, queremos ir ainda mais fundo e falar da revolução digital que já está impactando nosso setor e apontar alguns caminhos. Tudo de forma muito prática e direta, e baseado em dados e casos bem sucedidos. Tenho certeza que quem participa da ABF Franchising Week sai com o seu olhar renovado e muitas ideias para desenvolver seu negócio ao longo do ano”.

O evento terá início com o seminário setorial de food service com pesquisa setorial ABF Food Service 2018. Serão expostas as tendências do segmento de alimentação apresentadas pela marca Cielo, e debates sobre estratégias de menu, pricing, tecnologia e segmentação do consumidor. No segundo dia (26/6), especialistas do setor compartilharão suas experiências e estratégias para distribuir as redes de franquias de forma competitiva e sustentável. Com palestrantes como a diretora do Grupo Bittencourt e o diretor jurídico da ABF, Fernando Tardiolo. O evento segue com o fórum de metodologia e ferramentas de gestão de redes de franquia com técnicas e instrumentos práticos para a administração cotidiana das redes. E o Fórum Setorial de Redes de Educação, que abordará os principais desafios do segmento mais representativo do franchising brasileiro.

O evento ainda traz o Fórum de Multifranqueados que abordará dois temas centrais para o franchising: a utilização do e-commerce para gerar fluxo para as lojas e o relacionamento com shopping centers para reduzir os custos e gerar vendas. Com participação de marcas como The Body Shop, Arezzo, Boticário, entre outras. No último dia do evento, o tradiconal Simpósio Jurídico e de Gestão Empresarial ABF trará intereseção entre gestão de negócios e aspectos jurídicos.

A 27ª ABF Franchising Expo, maior feira de franquias do Brasil, tem início na quarta-feira (27/06) e vai até o dia 30. A feira reunirá cerca de 400 marcas do franchising e prevê receber uma visitação de 65 mil pessoas durante os 4 dias do evento.

 

Que tal ser um co-expositor Franchise Store na maior feira de franquias da América Latina? Acesse nosso caderno de informações e traga sua marca! 

CADERNO DE INFORMAÇÕES FEIRA ABF

Franquia do setor automotivo investe na formação de mecânicos

A Central de Inteligência Automotiva – CINAU, revelou dados surpreendentes do mercado automotivo do país. Segundo a central, há 121.317 empresas de reparação automotiva no país, legalmente estabelecidas. A Franquia Escola do Mecânico agarrou essa oportunidade.

 

É estimado um número de 41,7 milhões de veículos no Brasil, sendo que automóveis comerciais leves representam 93,5% do total, cerca de 39 milhões, e caminhões e ônibus representam 6,5%. E ainda sim, é um mercado que se encontra em constante evolução. Modelos de veículos são lançados todas as semanas, trazendo tecnologia e facilitando a vida dos condutores. Porém, a mão de obra não acompanha este desenvolvimento.

Observando esse cenário Sandra Nalli, que não encontrava mecânicos qualificados no mercado, fundou a Franquia Escola do Mecânico. Escola que realiza um trabalho reconhecido por várias indústrias. A empresa realiza treinamento ”in company” dos mecânicos, com aulas teórias ministradas na plataforma da marca e aulas prática nas unidades através do projeto: Emprega Mecânico.

A Emprega Mecânico é uma ferramenta exclusiva para ser o elo de ligação entre o aluno e a empresa contratante. O App Emprega Mecânico, que auxilia o aluno na colocação e recolocação profissional e também as empresas na busca pelo candidato ideal; Com vários parceiros como: concessionárias, indústrias automotivas e lojas de serviços automotivos.

Após estudo e mapeamento do potencial dos municípios brasileiros, foi identificada a oportunidade de expandir através de franquias. Em 2015 a Escola do Mecânico passou a expandir no modelo de franquias e hoje está presente em diversas cidades do país. A marca trabalha visando ter 50 escolas ao final de 2018. A franquia acredita que carrega a missão de transformar vidas e sabe que tem um mercado promissor à frente. Através de cursos profissionalizantes, a marca garante a excelência no ensino teórico e prático, oferecendo alto nível de conhecimento e inclusão no mercado de trabalho. O franqueado da Escola do Mecânico, recebe todo o apoio na montagem de sua unidade, com reuniões de suporte, acompanhamento de consultores e constante desenvolvimento de novos materiais.

 

Conheça as franquias do setor automotivo no Portal Franchise Store clicando aqui.

ABF Franchising Expo 2018: Maior feira de franquias da América Latina traz novidades

A 27ª edição da ABF Franchising Expo trouxe novidades e lançamentos das redes para a retomada econômica brasileira.

 

O setor de franquias registrou previsões de um crescimento na faixa de 10% no setor de franquias (2% a mais do crescimento dos últimos 3 anos). Dados que aumentam as expectativas para a Feira da ABF, que será realizada de 27 a 30 de junho, no Expo Center Norte, em São Paulo.

A feira traz novidades esse ano, o espaço Boulevard de Microfranquias, espaço dedicado a redes de investimento de até R$ 90 mil, e do Lounge da Copa, com transmissões dos principais jogos do torneio. A ABF traz também dois espaços que fizeram sucesso em 2017: Arena do Conhecimento, com apresentações sobre diversos temas associados ao mercado de franquias no Brasil e a área Montando Minha Franquia, que reunirá fornecedores do sistema de franchising dos mais diversos tipos como ferramentas de TI, serviços de marketing, geolocalização, design de ponto de venda, sistemas de pagamento, entre outros. Com destaque para o Smart Mall ABF com muitas tendências tecnológicas aplicadas ao varejo: soluções para aumento de produtividade, redução de custos, otimização da gestão e aprimoramento da experiência do consumidor.

“A inovação continua a ser um dos focos da feira. Uma pesquisa inédita da ABF em parceria com a CNS e a Dom Cabral mostra que mais de 90% das redes franqueadoras entrevistadas introduziu alguma inovação entre 2014 e 2016. Na feira, vamos promover um grande benchmark do setor, que já possui vários casos de sucesso nesta área, mas que precisa mergulhar ainda mais fundo em tecnologias disruptivas e nas mudanças de comportamento do consumidor”, completa Altino Cristofoletti Junior.

O presidente da ABF, Altino Cristofoletti Junior, estamos vivendo um momento de mudança na economia com a inflação baixa, crescimento do PIB, recuperação do emprego e dos índices de confiança. E afirma que a feira traz um ambiente com custos mais baixos, e uma ótima oportunidade para investir e estar posicionado para a curva de crescimento que está por vir.

Na ABF Franchising Expo, empreendedores de diferentes perfis poderão conferir o que as redes estão preparaando para este momento, além de outras inovações em termos de modelo, faixa de investimento, nichos e condições especiais. Nos 31 mil m² de exposição, a ABF Expo trará franquias com investimento inicial a partir de R$ 10 mil até mais de R$ 1 milhão, de segmentos variados como alimentação, moda, serviços educacionais, saúde, beleza e bem-estar, casa e construção, entretenimento, limpeza e conservação, hotelaria e turismo, serviços automotivos e comunicação, informática e eletrônicos. Completando o ecossistema do setor, participam também da feira fornecedores do franchising, shopping centers e pontos comerciais.

A feira reunirá mais de 400 marcas do franchising e prevê receber uma visitação de 65 mil pessoas nos 4 dias do evento. A venda de ingressos online está aberta. Os interessados em visitar a ABF Franchising Expo 2018 podem se cadastrar no site ABF Expo.

.

 Quer participar da maior feira de franquias da América Latina?

 

Seja um co-expositor Franchise Store: clique aqui para baixar nosso caderno de informações. 

Setor de Hotelaria e Turismo registra o maior crescimento no primeiro trimestre do ano

O balanço de franchising no primeiro trimestre deste ano, apontou o setor de ”Hotelaria e Turismo” como o que mais cresceu, em termos de faturamento.

 

As redes começaram a atuar com força no e-commerce como principal estratégia de vendas e avalancaram o faturamento do setor. Muitos brasileiros no exterior movimentam as agências, e muitos estrangeiros no Brasil favorecem a hotelaria. As franquias de turismo e hotelaria faturaram mais de R$ 2 bilhões neste primeiro trimestre de 2018.

Boa parte das franquias do setor trabalham no modelo de agência de viagens, com venda de voos e pacotes de turismo. A própria Latam, companhia aérea, tem um braço voltado à venda de pacotes que opera no modelo de franquias, a Latam Travel, que tem investimento inicial a partir de R$ 210 mil.

Outra gigante do setor que opera por franchising é a CVC. Com 45 anos de atuação, a empresa tem mais de mil lojas em todo o país. A empresa trabalha em um modelo em que não cobra royalties, a principal taxa mensal que as marcas costumam cobrar de seus franqueados. O investimento inicial na franquia da CVC parte de R$ 60 mil, para lojas de ruas.

Da 16 franquias de turismo e hotelaria filiadas à ABF, 12 trabalham no modelo de agência de viagens. Outro segmento é o de intercâmbios. A CI, por exemplo, é especializada em viagens de estudos e trabalhos no exterior. Além da loja, a rede conta com um modelo home office em que o investimento parte de R$ 4 mil, sem cobrança de taxa de royalties.

Nos últimos cinco anos, até 2017, o mercado online de turismo cresceu 73% no Brasil. A compra de pacotes turísticos e de viagens pela internet chegou à marca de R$ 30 bilhões, em 2016, segundo dados da Ebit, no relatório Webshoppers. As redes de franquias cada vez mais disputam um quinhão neste espaço.

Apesar do bom resultado no primeiro semestre, vale lembrar que a hotelaria e turismo é um dos menores segmentos no mundo do franchising brasileiro. Entre os associados da ABF, menos de 2% são deste segmento. A área com mais redes é a alimentação. É também o setor com maior faturamento (R$ 10,59 bilhões, no primeiro trimestre deste ano).

 

Fonte: Gazeta do Povo

JORGE BISCHOFF APRESENTA PRIMAVERA-VERÃO 2019 NO SICC

Entre os dias 21 e 23 de maio, a grife JORGE BISCHOFF apresenta no Salão Internacional do Couro e do Calçado (SICC), em Gramado (RS), as suas propostas para a PRIMAVERA-VERÃO 2019. Uma temporada feminina e democrática, que traz muitas propostas antagônicas, mas cheias de glamour. Uma estação com muita informação de moda para agradar as consumidoras mais exigentes e as #ApaixonadasJB.

A principal característica que a Coleção apresenta são os materiais macios, de design clean, onde as cores sólidas se destacam. De um lado, o branco e os tons pastel (baunilha e rose) estão em evidência e, de outro, tons vibrantes como o violeta (a cor do ano da Pantone), o  índigo e o pimenta.

Seguindo as tendências internacionais, os modelos abertos no calcanhar são os grandes protagonistas. Nesse contexto, estão em alta os tamancos, as mules com gáspeas bem altas, e com decote high vamp, e os modelos Chanel. Dos saltos mais altos aos rasteiros, todos  super femininos.

 

 

As soft straps – amarrações de volume e os nós macios são o grande destaque no mix, em modelos modernos que se utilizam de materiais como a lycra e a napa para resultados ainda mais fofos.

 

 

 

Os scarfs continuam em alta e nesta coleção eles vêm aplicados de formas diferenciadas. A JORGE BISCHOFF desenvolveu uma estampa com identidade de echarpe que foi aplicada sobre couro, numa combinação de cores pimenta (vermelho) e índigo (marinho) com desenhos que remetem a arabescos. O resultado é arrebatador! A toe sandal (sandália de dedo) retorna à moda com amarrações de lenço no tornozelo, extremamente confortável e moderna. De forma absolutamente inusitada, os lenços também aparecem como detalhe na tampa das bolsas, onde são entrelaçados manualmente sobre o couro.

 

LOGOMANIA

Febre dos anos 2000, a logomania ressurge no street style mais forte do que nunca. A JORGE BISCHOFF, que já tem esta proposta em seu DNA, apresenta itens com a marca em total evidência, para trazer ainda mais estilo e moda às consumidoras apaixonadas. A tendência vem aplicada em alto relevo sobre o couro, em placas que combinam metal e pedrarias, em atacadores e em gorgorão personalizados.

 

 NATURAL MOOD

Trabalhos artesanais se unem para criar peças casuais e sofisticadas ao mesmo tempo. Uma proposta étnica que traz mais personalidade ao visual e um colorido único à coleção. O grande destaque são os enfeites de mini tassels e esferas bordadas à mão, uma mescla da influência natural com a aplicação de pedrarias. O charme atemporal da ráfia vem acompanhado da transparência, outra tendência muito forte nesta temporada.

 

 

 Resultado de imagem para jorge bischoff logoSOBRE A JORGE BISCHOFF

Carro-chefe do BISCHOFF GROUP, a grife que leva a assinatura do designer Jorge Bischoff tem como grande diferencial a essência exuberante e a elegância de suas criações. Sua rede de franquias conta com mais de 70 lojas exclusivas nos principais endereços de moda do Brasil e seus produtos também estão presentes em boutiques selecionadas em mais de 50 países. Duas Lojas-Conceito são as grandes vitrines da grife – uma em Gramado, na Serra Gaúcha, e outra na Oscar Freire, em São Paulo. Em 2017, a JORGE BISCHOFF também deu início ao seu projeto de expansão internacional, com a abertura de uma flagship store em Miami, nos Estados Unidos.

 

Clique aqui e seja um franqueado Jorge Bischoff

Segmento de livrarias registra crescimento

Segundo pesquisas da ANL, o ano de 2017 terminou com uma recuperação do mercado de livros. O segmento de livrarias e papelarias movimentou mais de R$ 2 bilhões conforme a ABF, e 2018 registra números ainda melhores.

 

Nas livrarias, foi onde ocorreu o maior crescimento, registrando uma maior recuperação com 6,5% de crescimento em faturamento no ano. O percentual de descontos concedidos ao consumidor final se manteve estável no ano e as categorias em destaque foram as HQ, Autoajuda e literatura brasileira. Uma tendência dentro das livrarias é aproveitar as oportunidades de nichos correlatos ao negócio, apostando em espaços que reúnem cafés, papelarias, vendas de CD’S, DVD’S, eletrônicos, presentes, entre outros produtos. Produtos da cultura pop voltados para o público denominado de ”nerds” tem feito bastante sucesso também nos últimos anos, e gerado bons resultados para incrementar o faturamento e conquistar clientes.

O franqueado que deseja investir no segmento tem que conhecer seu público e estar atendo às caracterísiticas de consumo da cidade onde vai instalar sua unidade. Conhecer o público e estar ciente de manter-se atualizado com o mercado e lançamentos é essencial.

Uma rede que apresenta um grande potencial dentro do mercado é a Nobel. A marca está em expansão e há muito tempo deixou de ser uma simples livraria. Oferece produtos de diversos segmentos incluindo papelaria. As lojas da Nobel são amplas e oferecem uma experiência para seus consumidores. O investimento inicial é a partir de R$ 399 mil prevendo um faturamento médio mensal de R$80 mil e prazo de retorno de 36 meses.

 

Informações sobre a franquia Nobel clique aqui.

 

Outra opção de investimento no segmento é a franquia 100% Cristão, rede de livrarias evangélicas. Trabalham no nicho e oferecem de livros e bíblias a produtos como CDS, DVDS e material para igrejas, entre outros. A rede conta com sua própria editora, que produz história em quadrinhos das maiores histórias da Bíblia. A marca é franquia desde 2011 e seu investimento inicial é de a partir de R$ 190 mil com um faturamento médio mensal de R$ 45 mil e retorno estimado em 30 meses após a abertura da unidade.

 

Informações sobre a franquia 100% Cristão clique aqui.

Funcionário recém formado vira dono de clínica

O cirurgião dentista Rodrigo Guedes, procurava um lugar para construir uma trajetória profissional e que fizesse a diferença na vida das pessoas. Com a rede de clínicas odontológicas ODONTOCOT, viu essa possibilidade. Em poucos meses, passou de um dos membros da equipe para dono de duas unidades.

 

“Atuei em dois consultórios odontológicos enquanto morava em Bauru, no interior de São Paulo, mas não sentia que estava tendo um papel social. Comecei a procurar oportunidades e a ODONTOCOT me despertou um grande interesse pela proposta de negócio: uma clínica robusta, com equipamentos modernos e voltada para as classes C e D”, conta Rodrigo. Foi o que motivou a mudança dele com a então namorada para Curitiba, em maio de 2017, para atender na unidade Fazenda Rio Grande.

Guedes então, tornou-se sócio franqueado, com participação na sociedade e a aplicação de R$ 100 mil. Enquanto desenvolvia as habilidadas para administrar a própria franquia, consiliou os atendimentos com a gestão da clínica. ”Sempre gostei de trabalhar muito, mas foi preciso organização para me adaptar à nota rotina. E também precisei aprofundar meus conhecimentos administrativos para fazer uma boa gestão”, lembra o franqueado.

As atividades de gestão bem realizadas e a habilidade de atendimento com os pacientes despertaram a atenção de Fernando Rocha, franqueador da ODONTOCOT: ”Além de ser um profissional alinhado com os valores pelos quais prezamos, como foco, engajamento e estabelecimento de metas, Rodrigo tinha a ambição de crescer, assim como a empresa. A relação de confiança construída levou ao convite para se tornar um franqueado”,

A unidade Fazenda Rio Grande registrou o atendimento a mais de mil pacientes no primeiros seis meses. O know-how e bom faturamento da franquia possibilitaram o investimento do dentista em uma nova etapa profissional: a inauguração de duas unidades, ambas em Curitiba, a primeira recém-aberta no bairro Sitio Cercado e outra em Campo Comprido prevista para o segundo semestre. ”Expandir é mais do que um crescimento profissional. É saber que mais pessoas serão atendidas, melhorando suas autoestimas, além de terem saúde bucal”, afirma.

 

Investimento em talentos.

A ODONTOCOT trabalha constantemente na formação de líderes e incentiva os profissionais a serem franqueados, oferencendo todo o suporte necessário. “Acompanhamos de perto o desenvolvimento dos nossos parceiros e queremos que os dentistas tenham sua própria unidade. Quando investimos em quem já está conosco nessa missão, temos a garantia que a cultura da empresa será preservada”, conta o fundador da rede. Até o final de 2018, a empresa prevê inaugurar mais quatro unidades, inclusive uma no estado de São Paulo.

 

 

Sobre a ODONTOCOT

O Centro Odontológico do Trabalhador conta com know-how de aproximadamente 10 anos no ramo de clínicas odontológicas voltadas às classes C e D. Fundada pelos Doutores Fernando Rocha e Thiago Oliveira, a ODONTOCOT oferece 20 tipos de tratamentos de baixa e média complexidade. Em maio de 2017 aderiu ao franchising.

Cresce faturamento do setor de franquias no primeiro trimestre de 2018

A receita do setor de franquias registrou um crescimento de 5,1% em relação ao mesmo período de 2017. O faturamento passou de R$ 36 bilhões para R$ 38 bilhões.

 

O estudo foi realizado pela ABF- Associação Brasileira de Franchising que considerou os últimos 12 meses, registrando um crescimento de 7% (variação de R$ 154 bilhões para R$ 165 bilhões). A ABF apontou também um crescimento de 6,6% no segmento de franquias de alimentação e segundo o ranking das 50 maiores franquias no Brasil, há anos este segmento mantém um número extremamente alto comparado aos outros ramos.

ABF apontou que no primeiro trismestre deste ano, a receita do setor de franquias registrou um crescimento nominal de 5,1% em relação ao mesmo período de 2017. O faturamento passou de R$ 36,890 bilhões R$ 38,762 bilhões. Considerando-se os últimos 12 meses, o crescimento foi de 7%.

“Frente ao atual cenário da economia brasileira, consideramos este desempenho positivo, pois foi registrado em um período de inflação muito baixa – ao contrário do primeiro trimestre de 2017 – e de início da recuperação de uma das mais longas crises que o País já viveu. O mercado de franquias continua a investir na eficiência de suas operações, no desenvolvimento de formatos mais enxutos e na busca de novos mercados, canais de venda e públicos como forma de manter seu desenvolvimento. A inovação, especialmente a incremental, também tem um papel importante e tende a se fazer mais presente nos próximos anos”, afirma Altino Cristofoletti Junior, presidente da ABF.

Segundo Reinaldo Zanon, CEO do Grupo Zanon – Holding de franquias, que é detentor de várias marcas em diversos segmentos, afirma que o setor de alimentação registrou um aumento de receita em ritmo constante, devido ao hábito do brasileiro de se alimentar fora.

Em meio a tantas possibilidades de empreender, como bares, restaurantes e outros modelos dentro do ramo de alimentação, Reinaldo fala um pouco a respeito de uma das marcas do Grupo Zanon, a franquia Los Mex – a maior rede de comida mexicana do Brasil: “Com a Los Mex tivemos como intuito criar várias modalidades de franquias para adequar aos diferentes perfis de empreendedores. Com investimento a partir R$ 80 mil reais, temos o Modelo de Food-Truck, onde o franqueado pode se deslocar para onde existe o movimento, por exemplo, porta de faculdade, shows e se quiser até passar uma temporada na praia. Temos os Containers, um sistema enxuto onde o franqueado pode se instalar em um Food-Park, o que está em grande crescimento, o modelo Express para shoppings e também o modelo Standard que acomoda em torno de 100 pessoas.”

O restaurante adaptou seus pratos para o paladar brasileiro e faz sucesso no mercado. Foi premiado diversas vezes, com selos como o de Ouro, Diamante e a Medalha de Honra ao Mérito da Academia Brasileira, sendo posicionado no ranking das 100 melhores gastronomias do Brasil.

 

Fonte: Exame