Revendedora de sapatilhas abre loja e fatura cerca de R$ 650 mil em 8 meses

Quando o marido de Diene Barros adoeceu e foi obrigado a se afastar do trabalho, a então gestora de qualidade teve de buscar alternativas para compensar a renda que viria a faltar. Lembrou-se, enfim, da rede de franquias Mil e Uma Sapatilhas, que descobriu em uma visita à casa de sua irmã caçula, em 2016. Já familiarizada com o sistema de revendedoras da marca, decidiu tornar-se uma também.

Moradora da capital paulista, em dezembro de 2016 Diene foi até uma das unidades da “Mili” e retirou seus primeiros pares de calçados para revender, na unidade Lapa. “Aproveitei que entraria em férias coletivas do meu outro emprego e me dediquei às vendas de sapatilhas juntamente com meu marido. Fui de porta em porta, em empresas, e negociei com pessoas da família; as peças foram voando”, lembra.

Após pouco mais de dois meses de atuação, houve uma premiação para as cinco melhores consultoras da Mil e Uma Sapatilhas e a empreendedora foi uma das prestigiadas. “As vendas não só complementaram a ausência de renda do meu marido, mas a superaram. Foi então que, junto com ele, minha irmã e meu cunhado, decidimos deixar nossos empregos, reunir as economias e adquirir uma franquia da rede”, conta Diene.

Levou algum tempo para encontrarem um ponto, uma vez que o número de lojas por região é limitado. Quando Renata Marcolino, fundadora da Mil e Uma Sapatilhas, sinalizou que havia uma vaga em Carapicuíba, “não hesitamos e dissemos ‘é nosso!’”, brinca a empreendedora. Em maio de 2017, as portas da nova franquia foram abertas e, ano passado, com oito meses de funcionamento, a loja faturou aproximadamente R$ 650 mil.

 

Consultora Mil e Uma Sapatilhas

Para se tornar uma consultora da rede, a candidata precisa ir a qualquer loja física, realizar um cadastro simples e, na primeira retirada, comprar no mínimo 12 pares de sapatilhas. Vale lembrar que as informações requisitadas são apenas nome, RG, CPF e endereço – além de não haver consulta ao SPC ou Serasa.

Caso não haja uma loja física na cidade, a solicitação pode ser feita via Facebook ou WhatsApp, e os modelos escolhidos serão entregues em casa. “Inclusive, as sapatilhas que não forem vendidas podem ser trocadas por outras facilmente e sem custo adicional!”, lembra Renata.

A Mil e Uma Sapatilhas conta com 63 lojas e mais de 15 mil consultoras por todo o Brasil.

 

 Sobre a Mil e Uma Sapatilhas

Rede de franquias de sapatilhas criada pela empreendedora Renata Marcolino em novembro de 2015. A Mil e Uma Sapatilhas está presente em diversos estados brasileiros, como São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Bahia, Mato Grosso do Sul, Goiás e Paraíba. Atualmente, conta com 62 franquias, uma loja própria e mais de 15 mil consultoras.

Conheça 5 profissões que podem ser aperfeiçoadas enquanto os paulistanos estão no trânsito

O morador de São Paulo perde, em média, 45 dias por ano parado no trânsito, de acordo com uma pesquisa sobre Mobilidade Urbana realizada pelo Ibope em 2016. O paulistano gasta, em média, quatro horas no transporte público diariamente, entre ônibus, metrô e trens da CPTM. Com o auxílio da tecnologia, é possível usar as mais de 20 horas semanais no trânsito para aprender uma nova profissão, por exemplo.

 

A eduK, startup brasileira especializada em cursos on-line que tem como objetivo de fomentar o empreendedorismo no Brasil, possui cursos que auxiliam no desenvolvimento de habilidades profissionais em diversas áreas, como gastronomia, fotografia, artesanato, beleza e negócios, que podem ser acessados pelo computador ou smartphone.

Atualmente, a maior parte do público da eduK é feminino, tem faixa etária média de 40 anos e reside na região sudeste, que é responsável por 33,6% do empreendedorismo em território nacional, de acordo com a pesquisa realizada pelo Global Entrepreneurship Monitor (GEM). O levantamento aponta ainda que 42,9% dos empreendedores do país abrem seus negócios por necessidade. Para preparar as pessoas para este cenário inovador de investimentos e negócios aliados àquilo que elas mais amam fazer, listamos abaixo os cursos mais procurados pelos paulistanos e que podem ser assistidos durante essas horas no trânsito:

Bolos Confeitados – Com maior número de aprovação por aqueles que assistem às aulas de gastronomia, o curso é ministrado pelo confeiteiro Eduardo Beltrame, tem duração média de oito horas e ensina a preparar massas e recheios, assim como fazer as montagens e as decorações. Em seu conteúdo conta com técnicas e dicas para deixar o bolo perfeito para receber diferentes tipos de coberturas, além do destaque voltado para as diversas metodologias de decoração.

Tortas doces – Mais um curso eduK por Eduardo Beltrame, que é um dos experts mais famosos da startup, com duração média de seis horas, tem o objetivo de ampliar os horizontes de quem já tem habilidades com confeitaria, ensinando a fazer novas tortas por meio de técnicas e combinações exclusivas de ingredientes para criar o seu diferencial utilizando frutas, amêndoas e até sorvetes em recheios artesanais e receitas de renome. São nove tipos de tortas, com sabores nacionais e internacionais. Dentre as receitas ensinadas, estão torta de chocolate com caju, a torta de sorvete de frutas tropicais, a torta mineira de café com queijo, a torta de ricota com limão e a torta Balerine cremosa de dedo-de-moça.

Doces para festas – Ministrado pela cake designer Mika Sakihama, o curso ensina tem duração média de oito horas e ensina a preparar doces para diversos eventos, desde reuniões corporativas às festas infantis. O passo a passo traz também as orientações necessárias com o perfil de cada tipo de evento. Dentre os doces ensinados estão pirulitos enfeitados, popcakes, biscoitos, pães de mel, chocolates, mini cupcakes, docinhos, mini bolos e donuts.

Fotografia – O fotógrafo Jaiel Prado conduz o curso, que tem duração média de oito horas e tem foco nas três principais áreas de atuação de fotógrafos, ensaios, eventos e produtos e ensina as técnicas de fotografia aliadas às estratégias de mercado de cada um dos campos.

Artesanatos com feltro – Ministrado pela artesã Débora Radtke, o curso tem duração média de 4 horas e ensina a confeccionar produtos com feltro para decoração infantil com diversas técnicas aplicadas para manter a delicadeza e o acabamento impecável de cada um dos seus produtos finais. O curso ensina desde a estruturação com enchimento manta pack até a aplicação inversa em ponto reto para inicial do nome do bebê.

 

  Sobre a eduK

A eduK, startup brasileira especializada em cursos on-line que auxiliam no desenvolvimento de habilidades profissionais, tem como um de seus principais pilares a fomentação do empreendedorismo no Brasil e já auxiliou mais de quatro milhões de alunos a abrirem seus próprios negócios. Os conteúdos das aulas são voltados aos campos de Gastronomia, Negócios, Artesanato, Design e Fotografia, Moda, Beleza e Estética. Fundada em 2013, a empresa faz parte da Associação Brasileira de Ensino a Distância e é certificada pela B Corp como uma empresa preocupada com o impacto social, além de ser considerada também uma das empresas mais inovadoras da América Latina, de acordo com a revista Fast Company.

4 CURSOS QUE IRÃO AUXILIAR NO GANHO DE RENDA EXTRA NO CARNAVAL

O Carnaval é uma das épocas mais esperadas do ano pelos brasileiros. Em 2018, o período de folia na maioria das cidades será entre os dias 9 e 13 de fevereiro e, com a data se aproximando, algumas pessoas já começam a preparar fantasias, planejar viagens e, porque não, pensar no feriado prolongado como uma oportunidade para aumentar a renda? A eduK, startup brasileira especializada em cursos on-line e pioneira no conceito de edutainment no Brasil, que tem com o objetivo fomentar o empreendedorismo no país, listou alguns cursos que estão disponíveis na plataforma e que podem ser soluções para aumentar a renda durante a época festiva. Confira:

-Fantasias de carnaval, com a costureira Coka Samia. O curso estará disponível a partir do dia 16/01 e trará aulas para confecções de diverso modelos de fantasias, entre eles: estrela, Mulher Maravilha e egípcios.

-Fantasias infantis, com a designer de moda Louise Renne Lutkus. O curso já está disponível e ensina a confeccionar as fantasias mais clássicas de carnaval, como palhaço, pirata, baiana e melindrosa. Ainda conta com dicas essências de acabamento e medidas.

– 4 maquiagens para arrasar na folia, com o artista plástico e maquiador Márcio Desideri. O curso já está disponível e ensina a fazer maquiagens de cervo, rainha de copas, sereia e Arlequina. Todos tutoriais com descritivos de produtos, pincéis e passo-a-passo completo.

-Maquiagem de caracterização: especial carnaval e personagens, com o artista plástico e maquiador Márcio Desideri. O curso já está disponível e ensina a fazer maquiagens cênicas com acabamentos profissionais e todos os detalhes necessários para uma caracterização impecável.

Todos os cursos da eduK estão em um catálogo que fica disponível para assinatura, onde os alunos podem ter 7 dias de acesso grátis ou adquirir por meio de três planos de assinatura, que variam de acordo com cada necessidade. Além desses descritos, são lançados periodicamente, outros cursos de temáticas diversas além da programação gratuita conforme agenda do site, que tornam possível empreender e ganhar dinheiro trabalhando com aquilo que se ama. Toda a programação, aqui.

Sobre a eduK

A eduK, startup brasileira especializada em cursos on-line e pioneira no conceito de edutainment no Brasil, que tem com o objetivo fomentar o empreendedorismo no Brasil, por meio de cursos que auxiliam no desenvolvimento de habilidades. Por meio de cursos profissionalizantes nas áreas de Gastronomia, Negócios, Artesanato, Design e Fotografia, Moda, Beleza e Estética, a empresa já auxiliou mais de quatro milhões de alunos a abrirem seus próprios negócios. Fundada em 2013, a eduK faz parte da Associação Brasileira de Ensino a Distância e é certificada pela B Corp como uma empresa preocupada com o impacto social. É considerada também uma das empresas mais inovadoras da América Latina, de acordo com a revista Fast Company.

SAÚDE: CINCO VANTAGENS EM ADOTAR SERVIÇOS DIGITAIS

Os serviços de forma online, além de práticos, são ótimas opções para quem procura rapidez e qualidade.  Já pensou em marcar uma consulta médica escolhendo a localização, valores e o especialista em apenas alguns cliques? A ideia pode parecer muito diferente, mas com a vinda da tecnologia se tornou uma ótima opção para aqueles que buscam um serviço médico, mas têm dificuldades em arcar com os custos de um plano de saúde privado e dependem do Sistema Único de Saúde (SUS). O projeto está se tornando cada vez mais popular, pois a geração atual utiliza da tecnologia para otimizar o tempo e adquirir serviços cada vez mais personalizados.

Para Vitor Moura, CEO da startup Vida Class, plataforma digital que une paciente e médico por geolocalização, também ajuda a diminuir as filas do SUS, onde a população chega a esperar até seis meses para agendar uma consulta ou exame. “Você passa de meses a anos para ser atendido e enquanto isso acontece, as doenças estão se agravando e esses brasileiros são esquecidos e morrem nas filas. Portanto, dar acesso rápido a um exame e uma consulta acelera diagnóstico”, alerta o CEO, dando ênfase ao impacto social que a Vida Class gera.

Confira abaixo cinco vantagens listadas pela Vida Class de marcar uma consulta por uma plataforma online:

Autonomia

Por oferecer serviços médicos a preços acessíveis para o paciente, a Vida Class torna a saúde democrática, popular, no qual o indivíduo é cada vez mais empoderado e decisor de suas próprias escolhas. Acontece uma relação win-win em que paciente e médicos são beneficiados pela velocidade no serviço, agendamentos em tempo real, diminuição da usual burocracia brasileira, antecipação de diagnóstico e facilidade no pagamento/recebimento.

Capacidade de refinar a pesquisa

É possível escolher filtros que incluem raio de distância, consulta/ exame, cidade/estado, além disso, a plataforma disponibiliza todos os tipos de consultas exceto cirurgias de alta complexidade. A Vida Class oferece procedimentos ambulatoriais, consultas, tratamentos odontológicos, fisioterapia, psicologia, nutrição, fonoaudiólogos, dermatologia estética e outros serviços relacionados à saúde e com baixa ou nenhuma complexidade. O usuário também pode usufruir de vacinas e exames ambulatoriais de análises clínicas e imagens como ultrassonografia, mamografia, tomografia, ressonância magnética, entre outros.

Facilidades ao médico

A plataforma também é interessante para o médico, porque ele recebe o valor completo da consulta. O aplicativo se baseia em um serviço democrático para todas as partes. A Vida Cass não define o valor que os médicos vão cobrar, parte deles definir quanto será o preço da consulta, mas recomenda que o custo disponível na plataforma seja o mais atrativo possível.

Facilidades ao consumidor

Além de oferecer serviços à mão, a plataforma disponibiliza que os usuários parcelem a consulta em até 12 vezes. A Vida Class apresenta opções de pagamento mais flexíveis, porque assim o usuário que não tem como pagar toda consulta, mas precisa dela urgentemente, pode realiza-la sem se preocupar com o bolso.

Descontos em medicamentos

Outra vantagem que a plataforma leva ao consumidor são os descontos em diversos medicamentos. Além do usuário encontrar um serviço médico de acordo com suas necessidades, ele tem a opção de assinar a Vida Class Farma, que possibilita acesso a descontos em mais de 22 mil farmácias em todo o país, com abatimentos de até 60% em 95% dos medicamentos comercializados no Brasil.

 

 

  Sobre a Vida Class: 

Criada em 2014, a Vida Class é uma companhia iniciante, totalmente digital, que promove acesso a serviços médicos, dentistas, exames de imagens e laboratoriais, consultas multiprofissionais com valores acessíveis, sem pagamento de mensalidade e/ou taxa de adesão. Iniciou as suas operações em soft opening no segundo semestre de 2015. A startup foi criada por um grupo de sócios, entre eles Vitor Moura, que hoje comanda a empresa. Conta com mais de 10 mil parceiros para consultas (médicos de todas as especialidades, fonoaudiólogos, psicólogos, fisioterapeutas, dentistas e nutricionistas) e exames (laboratoriais e de imagem) em 12 capitais e 99 cidades, e ainda mais de 22 mil farmácias na rede de descontos.

Bitcoins: uma nova tendência para o mercado financeiro?

Os Bitcoins deixaram algumas pessoas com a conta bancária cheia de um dia para o outro – quase como ganhar na loteria. Pode ser “sorte” do momento ou será que os Bitcoins são a nova tendência do mercado financeiro? Confira o depoimeto de Renato Moreira – executivo de contas da DBACorpBitcoins

 

Bitcoin é um tipo de criptomoeda e existem outras variações, como Dash, Monero, Ripple, Ethereum e Litecoin, cada uma com característica própria que as diferenciam umas das outras – o que faz muito sentido, pensando no âmbito de negociação da moeda: qual o sentido de se negociar um ativo único?

O Bitcoin foi a primeira moeda virtual, apresentada em 2008 por um programador chamado Satoshi Nakamoto, cuja identidade nunca foi comprovada. A moeda virtual significa uma disruptura no segmento financeiro tradicional, por se tratar de um ativo ou mercadoria pertencente a um sistema bancário livre, ou seja, é descentralizada e não é controlada por nenhum tipo de Banco Central.

A sua criação também não ocorre da forma tradicional, como o dinheiro que conhecemos. As criptomoedas são “mineradas” por milhares e milhares de computadores de pessoas como eu e você, conectados em uma rede específica para a criação da moeda virtual. Cada computador registrado nesta rede roda um programa com base em complexos algoritmos para a criação da criptomoeda, e quem tiver mais poder de processamento tem preferência no recebimento dos lotes para mineração. Estes lotes são gerados e distribuídos pela rede seis vezes por hora.

Quando você adquire um Bitcoin, ou fração dele, você o armazena em uma carteira virtual que é identificada por um código alfanumérico. O Bitcoin pode ser comprado e vendido em algumas plataformas, como “Mercado Bitcoin” e negociado em algumas bolsas de futuros, como em Chicago, nos EUA.

O Bitcoin já é aceito por algumas empresas como pagamento de seus produtos ou serviços. Alguns países já estão considerando regulamentar a moeda para a sua utilização de forma legal, como Japão e Rússia, e até já existem alguns terminais de autoatendimento que trocam Bitcoins por dinheiro em espécie.

Entretanto, alguns países estão cautelosos na negociação e na utilização da criptomoeda pelos riscos que apresentam, como alta volatilidade, instrumento de lavagem de dinheiro e ataques de hackers. Para garantir a segurança nas transações do Bitcoin e gerar rastreabilidade das transações, uma tecnologia está sendo utilizada, o Blockchain, um banco de dados distribuído onde cada transação é registrada em uma cadeia de blocos deste banco de dados, proporcionando confiança e garantia de que as informações não serão alteradas ou duplicadas.

Só o tempo nos mostrará se o Bitcoin realmente vai ser utilizado em larga escala em substituição às moedas tradicionais, mas uma coisa já é fato: é totalmente viável. Muitos dizem que o mercado de Bitcoin é uma bolha prestes a estourar, outros dizem que é um ativo consolidado, ou seja, ainda há muito o que amadurecer tanto na questão tecnológica quanto nas regras de mercado com o objetivo de dar lastro, segurança e credibilidade nas negociações virtuais com as criptomoedas.

 

 

STARTUPS QUE MELHORAM A MOBILIDADE URBANA

Empresas usam tecnologia para melhorar a mobilidade urbana em São Paulo

São Paulo, Janeiro de 2018 – O morador de São Paulo perde, em média, 45 dias por ano parado no trânsito, de acordo com uma pesquisa sobre Mobilidade Urbana realizada pelo Ibope em 2016. Apesar do sistema de transporte complexo, a grande quantidade de pessoas que se movimentam diariamente pela cidade provocam congestionamentos intensos e tornam o sistema caótico. Diante deste cenário, algumas empresas estão utilizando tecnologia para buscar soluções que melhorem o trânsito e garantam o bem-estar dos paulistanos. Confira:

Easy Carros

A Easy Carros é uma plataforma que oferece tecnologia para gestão de frotas e promove a conexão entre os contratantes e fornecedores de serviços automotivos. Além de ter acesso a um checklist digital que utiliza inteligência artificial para indicar, de forma preditiva, as manutenções necessárias nos veículos, a Easy Carros permite que o gestor da frota consiga solicitar, no local que preferir, serviços como lavagem ecológica, enceramento, polimento, troca de óleo, entre outros. Entre os outros benefícios que a empresa promove, como a unificação de fornecedores, a empresa exclui a necessidade que os gestores teriam de tirar todos os carros do pátio e consequentemente, congestionar ainda mais o trânsito da cidade.

Rappi

Com o objetivo de se tornar o assistente pessoal dos brasileiros, a Rappi é uma startup que realiza a compra e entrega de qualquer produto em São Paulo. São cinco categorias: Supermercados, Farmácia, Restaurante, Bebidas, Pets, Conveniência e Qualquer Coisa – esta última inclui a compra de qualquer produto. Com a comodidade de receber o que quiser e onde quiser, a Rappi colabora para a otimização do tempo dos clientes, evitando que eles precisem sair de casa para as compras, e contribui para a diminuição do trânsito na cidade.

Use Bike

Criada para facilitar o deslocamento dos ciclistas pela cidade e tornar a prática mais segura, o UseBike mapeia os principais serviços da cidade, como pontos de aluguel de bicicleta, prestadores de serviço, oficinas, bicicletários, paraciclos e as rotas mais seguras. A plataforma colaborativa permite que os usuários enviem novas sugestões de pontos pelo próprio aplicativo e já está com mais de 18 mil pontos cadastrados.

Colab

Seguindo os moldes de uma rede social, o Colab é um aplicativo colaborativo que potencializa a reivindicação de soluções para problemas urbanos. Dividido em três categorias (fiscalização, proposição e avaliação), a plataforma permite que o usuário aponte, por exemplo, ciclovias interditadas, terminais de ônibus destruídos e buracos no asfalto. Os órgãos públicos cadastrados na plataforma são informados da demanda e focam em resolver o problema.

Moovit

O Moovit indica as direções para ruas, estações de ônibus, trens e qualquer outro lugar da cidade. Além disso, permite que o usuário veja os horários que os ônibus e trens vão passar. A plataforma também disponibiliza o recurso “Vamos”, com notificações para desembarcar, saber em qual direção seguir, quanto tempo esperar pela linha e quantas paradas ainda restam.

VEJA 3 FRANQUIAS DE EDUCAÇÃO PARA INVESTIR EM 2018

É fato que ainda estamos passando por uma turbulência política, porém é cada vez mais visível que a economia está andando paralela a essa realidade. A inflação fechou abaixo do esperado com a baixa do preço dos alimentos, as pessoas saíram da margem do desemprego, e as compras de natal superaram as expectativas de muitos economistas.

Neste cenário, dia 11 de Janeiro, a Associação Brasileira de Franchising, divulgou o seu balanço de 2017 e as perspectivas para o novo ano. A boa notícia nesse contexto é que o brasileiro (a) está mais disposto a buscar conhecimentos para ter melhora no seu dia a dia. Ou seja, angariar melhores salários e postos de colocação no mercado de trabalho. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o índice de confiança empresarial saltou de 78 pontos em 2016 para 93 pontos. Isso é refletido no número de empresas e franquias que estão apostando no Brasil e concomitantemente a maior oferta de empregos. Nesse contexto, as franquias do segmento de educação que vão desde cursos preparatórios a idiomas, aparecem como alternativa de investimento. O número de matriculados só cresce e há demanda do mercado formal é tangível:

 

– De acordo com a Page & Personnel daqui a 10 anos todas as vagas vão exigir inglês;

– Fazer um curso preparatório pode sair mais em conta do que 4 anos de Faculdade;

– É preciso pensar “fora da caixa” para conseguir uma colocação no mercado de trabalho e há escolas que fazem esse treinamento com os alunos (a);

– Por mais que a realidade seja o ensino online é comprovado que mesclar o ensino na sala de aula, tecnologia, e atividades extras em casa pela internet é a trinca que fará fixar o conteúdo.

 

Ainda de acordo com a coletiva da ABF, na participação das redes por segmento, o nicho de educação aparece em segundo lugar com o índice de 18% atrás apenas de alimentação com 34%. Os investimentos nas escolas vão de 40 mil a 250 mil reais e dependendo do porte da escola e ponto escolhido pode entregar mais de 80 mil reais em lucro por mês para o franqueado.

 

Veja 3 franquias do segmento de educação que terão um “boom” em 2018 :

 

Minds: 

A rede de idiomas vem com o diferencial este ano de entregar para o novo franqueado além da estrutura da escola de inglês também um novo serviço, o de viagens. Ou seja, além do empreendedor adquirir o know how de como captar matrículas, fidelizar o aluno, também pode oferecer o intercâmbio no final do curso que tem duração de 18 meses.

O aluno (a) se sente mais seguro de “fechar” no mesmo boleto o curso de inglês e a viagem que fará ao concluí-lo para praticar o que aprendeu. A Minds é a única rede de franquias de idiomas a oferecer o combo viagem + educação. O investimento para ter uma escola com porte menor é de 170 mil reais e a margem de lucro pode chegar até 60 mil mensais.

Kumon:

O Kumon, bem conhecido no país, apresenta uma estrutura diferenciada no ensino de Matemática e Português. Com a mudança das regras do Ensino Médio, a franquia tende a ter um crescimento exponencial, pois toda mudança leva a uma adaptação dos jovens. Além disso, diante dos concorridos vestibulares, muitos pais se preocupam no reforço das disciplinas que serão exigidas dos seus filhos e complementam o ensino. O investimento no Kumon varia de 40 a 50 mil reais, dependendo da região de abertura, e a lucratividade mé dia varia de 20% a 25% do faturamento.

Prepara:

Com mais de 500 unidades, a rede de franquias Prepara, enxerga a possibilidade de crescimento no interior dos estados e apresenta um excelente programa de bolsas de estudos que atrai milhares de jovens de todo o país. Com o aumento de vagas no mercado de trabalho para aprendiz, assistente, e etc, o Prepara vem como uma alternativa de curso rápido e de qualidade para o jovem brasileiro (a). Com cursos de informática, áreas da saúde e energia, a rede amplia a captação de alunos (a). O investimento vai de 60 a 170 mil reais e o faturamento médio de 35 mil reais mensais.

 

Para mais informações sobre expansão acesse:

Minds, Kumon, Prepara.

5 DICAS PARA COMEÇAR UM NEGÓCIO PRÓPRIO

São Paulo – Com a crise que assolou o Brasil nos últimos anos, empreender se tornou cada vez mais necessário. De acordo com levantamento recente do Sebrae, cerca de 11 milhões de empresas surgiram nos últimos 3,5 anos. Grande parte dos empresários resolveu empreender após o desemprego. Para inspirar quem pretende abrir seu próprio negócio e não sabe por onde começar, separamos cinco dicas dadas por empreendedores que obtiveram sucesso recentemente por meio do franchising.

Respeite o tempo do negócio.

“Conhecer bem o comportamento e o mercado que está desejando entrar além do planejamento financeiro respeitando sempre o tempo de amadurecimento do negócio para começar a retirar capital da operação”, Carlos Guedes, diretor de expansão da MC Franqueadora, empresa de lojas de colchões.

Pense em segmentos que você tenha afinidade.

“A escolha do próprio negócio precisa envolver aquilo que a pessoa gosta e tenha mais chances de se dar bem”, comenta Douglas Paiva, fundador da Pure Pilates. Douglas é analista de sistemas e educador físico. A ideia de criar uma rede de pilates, com o diferencial em tecnologia, é fruto de duas áreas que o profissional se identifica.

O sócio-fundador da ChipsAway – de funilaria express, João Furlan, também concorda que escolher um segmento que o empreendedor admire é importante. “Falando sobre a parte burocrática é legal conversar com as pessoas que já foram empresários e sabem das dificuldades. Conversar de cabeça aberta mesmo e saber que a experiência delas pode ajudar muito quem está começando”, afirma Furlan.

Escolha um negócio rentável

É necessário que o produto, além de inovador, seja rentável. “Dê preferência para um negócio lucrativo, que não demande muitos funcionários e de fácil administração”, diz Vanessa de Oliveira, fundadora da Mídia Pane. “Fique atento às lacunas de mercado, e pense sempre no cliente final”, diz Henrique André, sócio e irmão de Vanessa.

Pesquisa de mercado e de experiências

“O empreendedor precisa ter conhecimento daquilo que ele vai operar. Então se ele não é do mercado do qual ele vai atuar ele pode buscar empreendedores que já estão nesse setor como fontes de informação e ver se ele tem as habilidades necessárias que precisam ser trabalhadas em um negócio. Por exemplo, se ele nunca liderou pessoas, precisará de um curso. Precisará também entender de finanças, porque a partir do momento que ele está à frente do negócio ele precisa ter uma visão 360° da operação, não precisa ser o especialista mas tem que entender o que se passa até para conseguir administrar de uma melhor forma”, conta o fundador da Fórmula Pizzaria, Henrique Mol.

No caso do segmento de franchising, o trabalho de pesquisa de mercado pode ser mais fácil. “Caso opte por uma franquia, parte deste trabalho pode ser minimizado, porque geralmente as marcas já possuem um planejamento e estratégias de mercado definidas. No sistema de franchising, os riscos tendem a ser menores”, afirma Henrique Nóbrega, fundador da Ctrl+Play, escola de robótica e programação.

Não se iluda com resultados rápidos

“Não caia na ilusão de que você vai trabalhar pouco e ganhar muito”, comenta Wilton Bezerra, diretor da Universal Franchising, dona das redes Depile-se, BeautyB e Cheirin Bão. “Procure negócios com os quais você tenha adesão e uma motivação real, não se inspire apenas no lucro nem no sucesso de algum conhecido”. Wilton também aconselha a quem quer começar com menos risco a procurar um negócio já consolidado, como uma licenciada ou franquia. E para esses casos, “mente aberta e querer aprender é um diferencial para o sucesso do empreendedor que depois de familiarizado com o negócio poderá aplicar seus conhecimentos e bagagens de outras áreas”.

Irecê conta agora com escola de idiomas Wizard By Pearson

A cidade baiana de Irecê recebeu no dia 11 de janeiro uma unidade Wizard by Pearson. A escola de idiomas, que está entre as 50 maiores marcas de franquias no Brasil, por unidades, e ocupa o 9º lugar no setor de franquias, além do 1º no segmento exclusivo de escola de idiomas, segundo a ABF (Associação Brasileira de Franchising), chega a cidade oferecendo aulas de inglês, espanhol, francês e italiano.

Localizada na Rua Reggio Emilia, 174, a unidade de Irecê na Bahia, pertencente ao professor Júlio Xavier da Silva Neto, já conta com um bom número de alunos mesmo antes de ter as aulas oficialmente iniciadas. Os cursos têm início em 29 de janeiro.

A inauguração contou com a presença de alunos já matriculados, autoridades e convidados especiais. “Irecê, com certeza, tem muito a ganhar com a inauguração da escola. Enxergamos um bom potencial em Irecê, um grande pólo regional que abraça diversos municípios vizinhos oferecendo serviços de altíssima qualidade em educação e saúde”, afirmou Júlio.

Sobre a Wizard by Pearson

Desde 1987, a Wizard by Pearson é a maior rede no segmento de ensino de idiomas do mundo e líder no mercado brasileiro. Possui mais de 1.250 escolas no Brasil, além de unidades nos Estados Unidos, Japão, Costa Rica e Paraguai. A Wizard oferece cursos de oito idiomas (Inglês, Espanhol, Francês, Italiano, Alemão, Português, Japonês e Chinês).

Desenvolvidas no modelo de franquias, as escolas representam uma excelente oportunidade para aqueles que querem investir em um novo negócio. Além de contar com uma metodologia de ensino simples e de fácil gerenciamento por parte do franqueado, a rede oferece ao empreendedor todo o apoio necessário para seu desenvolvimento, como estruturação do imóvel e apoio de marketing. Além disso, investe constantemente na formação de seus franqueados e de seus professores por meio de treinamentos específicos, convenções, congressos e iniciativas como o MBA Wizard.

Sobre a Pearson

Líder mundial em educação, a Pearson tem a missão de transformar vidas, fornecendo uma aprendizagem de melhor qualidade e mais acessível. A Pearson acredita que a educação abre oportunidades para melhores condições de vida e carreira profissional. A Pearson apoia ações em alfabetização e letramento por meio da campanha do Projeto de Alfabetização. O objetivo é que até 2030 nenhuma criança nasça com o risco de não ser alfabetizada.

Mais informações  clique aqui!

Centro das Sobrancelhas traz para São Paulo curso exclusivo de remoção de tatuagens sem uso de ácido ou laser

A marca fechou parceria com a empresa de cosméticos americana Rejuvi Brasil e abre sua primeira turma nos dias 29 e 30 de janeiro de 2018

O Centro das Sobrancelhas, uma das empresas pioneiras nas técnicas de estética do olhar e micropigmentação no País, acaba de firmar parceria com a marca de cosméticos americana Rejuvi Brasil e é o primeiro e único Centro Técnico de São Paulo habilitado a ministrar o curso de Despigmentação de Sobrancelhas e Remoção de Tatuagens com Rejuvi. Além disso, todos os alunos certificados pela companhia Rejuvi Brasil poderão adquirir os produtos oficiais diretamente no local do curso.

Ismael Ribeiro, diretor executivo do Centro das Sobrancelhas, conta que se animou com a chegada da marca californiana ao Brasil em 2017. “Estávamos em busca de algo exclusivo para o nosso mercado e quando uma empresa presente em 50 países e com 30 anos de história aparece com um tratamento menos abrasivo do que os atuais para remover micropigmentações e tatuagens, nós tivemos que estreitar esse relacionamento e formar quase um casamento”, brinca o executivo.
A Rejuvi conquistou o mercado internacional ao aliar o conceito de saúde, beleza e tecnologia na produção de dermocosméticos que unem a herbologia natural e avanços bioquímicos. Com fórmula patenteada, o carro chefe da empresa é o Tatoo Remover, um creme de uso profissional e com registro na ANVISA perfeito para o trabalho de micropigmentadores, tatuadores e profissionais da área de saúde que desejam corrigir ou remover pigmentos inseridos na pele de seus clientes e pacientes.

Tete Bahia, diretora técnica do Centro das Sobrancelhas, realizou o curso no SPA Rejuvi Brasil, no Rio de janeiro (RJ) e explica como o tratamento funciona. “O Tatoo Remover é inserido na pele por meio de dermógrafo e agulha, agindo como uma suspensão físico-química e fazendo com que seja realizada a remoção de todas as cores, expelindo os pigmentos para fora do tecido epitelial em forma de ‘casquinha’ que cairá naturalmente após algumas semanas”. A especialista alerta que para tatuagens, o tratamento pode chegar a até 10 sessões, enquanto que para micropigmentações a taxa de sucesso de remoção é de 100%, já podendo se ter um resultado satisfatório dois meses após a primeira sessão.

“Estamos vivendo um período em que existe uma alta demanda de clientes buscando micropigmentações e tatuagens, mas, ao mesmo tempo, está surgindo um novo mercado que é formado basicamente por pessoas descontentes com esses serviços que foram feitos. Trazer esse curso para o nosso portfólio é uma forma de podermos ajudar essas pessoas e garantir aos nossos alunos qualidade e segurança para melhorar a autoestima de seus clientes”, finaliza Ismael, pontuando que em breve o serviço estará disponível para todas as unidades da Franquia.
Nos dias 29 e 30 de janeiro, o Centro das Sobrancelhas irá ministrar sua primeira turma com a presença de Babi D’Âlcantara, cosmetóloga e CEO da Rejuvi Brasil. As vagas são limitadas e o curso de Despigmentação de Sobrancelhas e Remoção de Tatuagens com Rejuvi acontecerá no bairro da Lapa, em São Paulo (SP).

Os interessados nas aulas ou em se candidatarem a modelos podem se inscrever pelo e-mail contato@centrodassobrancelhas.com.br.

Mais informações clique aqui . 

Após intercâmbio, empreendedor fatura R$ 30 milhões com franquia do ramo

Travelmate chega a 50 unidades no Brasil e expande para América do Norte e Oceania

Alexandre Argenta foi uma das primeiras pessoas de sua cidade natal – a pequena Videira (SC) – a embarcar em um intercâmbio, no início dos anos 1990. A experiência foi o pontapé para que fundasse a sua própria agência, a Travelmate, que tem faturamento de R$ 30 milhões com as mais de 50 unidades da franquia. Só em 2017, a rede inaugurou 20 lojas, cresceu 20% e deu início à sua internacionalização.

O empresário voltou do programa de high school em 1993 e mudou-se para Curitiba, para cursar Comércio Exterior na UFPR. Lá começou o primeiro estágio em uma agência de intercâmbio. “Por que não ser um empresário que mexa com o mundo?”, foi a pergunta que se fez enquanto trabalhava em uma agência de intercâmbio e já sonhava em lançar sua própria. Com a ideia em mente, Alexandre associou-se ao colega de faculdade Eduardo Heidemann, o qual tinha experiência de trabalho em empresas multinacionais, para fundar a Travelmate Intercâmbio & Turismo. De início, os sócios começaram a operar na capital paranaense e em Florianópolis (SC) e, com o sucesso, em 2008 aderiram ao modelo de franchising para expandir a rede por todo o Brasil e o mundo.

“O maior desafio de todos esses anos foi a oscilação da economia brasileira, já que a variação do câmbio influencia diretamente em nossa operação”, afirma. Ele conta que os clientes foram conquistados aos poucos, enquanto os serviços foram sendo adicionados gradualmente ao portfólio da empresa. Hoje a rede é uma “one stop shop” – loja que oferece múltiplos serviços – de intercâmbio e turismo, com um portfólio completo de programas de ensino médio, universidade, trabalho, voluntariado e cursos no exterior, e embarca cerca de 3 mil pessoas para fora do país anualmente. Além das mais de 50 lojas nacionais, há unidades em Winnipeg (Canadá) e Brisbane (Austrália).

Futuro

Em 2002, época em que Alexandre se propôs a fundar a Travelmate, o mercado de intercâmbio vivia sua época áurea, apesar de pouco estruturado no Brasil. “Todo mundo queria estudar fora porque era sinônimo de status; era o tempo do ‘marketing sem número’. Por isso, apostar nesse negócio era arriscado e inovador”, avalia. Quinze anos depois, com o setor profissionalizado e em sintonia com os avanços mundiais, o fundador enxerga que as pessoas têm valorizado muito mais a experiência da viagem. “O que vale hoje é a vivência, os contatos e as descobertas”.

Entre as metas para 2018 estão a expansão da rede para o Nordeste e também cidades médias de interior, onde acredita existir um mercado a ser desbravado. “Sair do país ainda é pouco acessível a quem não mora na capital. Fazer um intercâmbio despertou em mim o interesse de conhecer e trabalhar no mundo e quero que mais pessoas enxerguem oportunidades nesta experiência”.

Sobre a Travelmate

    Fundada por Alexandre Argenta, ex professor de inglês, seus carros-chefe são os programas de trabalho, estudo e high school no exterior. Deu início ao franchising em 2008 e hoje, possui mais de 50 unidades espalhadas pelo Brasil, além de franquias em Winnipeg (Canadá) e Brisbane (Austrália).

Para mais informações sobre a Travelmate. Clique aqui.

WeAudit abre segunda franquia em BH

2018 começou com a inauguração de mais uma franquia WA em Belo Horizonte, somando duas franquias no Estado de Minas Gerais.

Em março de 2017 a WeAudit foi a primeira empresa de auditoria em Telecom a abrir para o mercado de franquias, e já conta com duas unidades em MG e uma no Estado de São Paulo. Tiago Hungria, fundador da WeAudit conta que a abertura da segunda franquia em Minas é parte do objetivo de expandir o negócio para atendimento a nível nacional e que os novos franqueados já contam com o apoio da franqueadora para a geração de negócios.

A WA atua com soluções no mercado de telecomunicações e, no Brasil, esse tipo de negócio tem alto potencial de crescimento, pois o setor de telefonia ainda é um dos mais reclamados do país, com um dos serviços mais caros do mundo e que carece de infraestrutura e profissionalismo. Tiago ainda complementa: “estamos em busca de empreendedores que querem transformar esse cenário junto conosco, oferecendo serviços melhores e mais justos e visando a entrega de resultados com qualidade, transparência, ética e excelência” Ainda, de acordo com o presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF), Altino Cristofoletti, o Franchising no país apresenta maturidade e capacidade de reação em meio às crises vividas no Brasil e defende: “mantendo os bons fundamentos da economia e avançando as reformas das quais o País necessita, a tendência é que o setor de franquias cresça ainda mais”.

De olho neste mercado em plena ascensão, a franquia WeAudit é a oportunidade de trabalhar juntamente com especialistas na gestão de Telecom, e ainda obter diferenciais e vantagens como investir em uma marca já consolidada no mercado, atuar como Home Office no primeiro ano, ter acesso à equipamentos e manuais, treinamento, materiais de publicidade e apoio no projeto mercadológico.

Quer empreender e ao mesmo tempo ter a oportunidade de revolucionar e transformar junto com a WeAudit? Clique aqui e saiba mais sobre os valores da Franquia WA.

A História da Dermage

A Dermage é uma marca de dermocosméticos, que há 25 anos cuida da pele da mulher brasileira. Desde o início, o comprometimento com a qualidade dos produtos e com a satisfação total dos clientes são a marca registrada do trabalho da Dermage. Esta relação de confiança se estende aos pacientes, que passaram a buscar na Dermage as soluções para o tratamento e cuidado da pele, com a certeza de encontrarem inovação e eficácia em toda a linha de produtos da empresa. Resultados verdadeiros e preocupação com o bem estar: esta é a filosofia da Dermage.

 

Conheça e história por trás desse sucesso:

 

Wizard by Pearson lidera ranking de escola de idiomas em estudo da ABF

Associação Brasileira de Franchising divulgou nesta sexta-feira um estudo sobre as 50 maiores franquias no Brasil; Wizard é a 9ª no setor de franquias e a 1ª no segmento exclusivo de escola de idiomas

A ABF (Associação Brasileira de Franchising) divulgou nesta sexta-feira, 12, a 2ª edição do estudo sobre as 50 maiores marcas de franquias no Brasil, por unidades, e a Wizard by Pearson está em 9º lugar no setor de franquias e em 1º no segmento exclusivo de escola de idiomas.

O cobiçado ranking da ABF leva em consideração os números dos 1.100 associados (franqueadores, franqueados, fornecedores e consultores) e é fruto de um banco de dados implantado em 2016, mais detalhado e com regras e salvaguardas específicas para preservar a fidelidade dos dados.

Além deste ranking, a ABF também divulgou um balanço preliminar sobre o desempenho do setor de franquias em 2017 e fez projeções otimistas para este ano. Os dados indicam que a receita do segmento de franquias no ano passado deve crescer 8% em relação a 2016, indo de R$ 151,2 bilhões para cerca de R$ 163 bilhões. Para 2018, a projeção é aumentar o faturamento entre 9% e 10%.

Sobre a Wizard by Pearson

Desde 1987, a Wizard by Pearson é a maior rede no segmento de ensino de idiomas do mundo e líder no mercado brasileiro. Possui mais de 1.250 escolas no Brasil, além de unidades nos Estados Unidos, Japão, Costa Rica e Paraguai. A Wizard oferece cursos de oito idiomas (Inglês, Espanhol, Francês, Italiano, Alemão, Português, Japonês e Chinês).

Desenvolvidas no modelo de franquias, as escolas representam uma excelente oportunidade para aqueles que querem investir em um novo negócio. Além de contar com uma metodologia de ensino simples e de fácil gerenciamento por parte do franqueado, a rede oferece ao empreendedor todo o apoio necessário para seu desenvolvimento, como estruturação do imóvel e apoio de marketing. Além disso, investe constantemente na formação de seus franqueados e de seus professores por meio de treinamentos específicos, convenções, congressos e iniciativas como o MBA Wizard.

Sobre a Pearson

Líder mundial em educação, a Pearson tem a missão de transformar vidas, fornecendo uma aprendizagem de melhor qualidade e mais acessível. A Pearson acredita que a educação abre oportunidades para melhores condições de vida e carreira profissional. A Pearson apoia ações em alfabetização e letramento por meio da campanha do Projeto de Alfabetização. O objetivo é que até 2030 nenhuma criança nasça com o risco de não ser alfabetizada.

Mais informações podem ser obtidas nos sites www.projectliteracy.com e http://franquias.pearson.com.br/, no e-mail expansão.multimarcas@pearson.com ou pelo telefone (19) 3743 5599.

De acordo com ABF, Spa das Sobrancelhas é a maior franquia de design de sobrancelhas do Brasil

A Associação Brasileira de Franchising divulgou nesta quinta a lista das maiores franquias do país

A ABF – Associação Brasileira de Franchising divulgou nesta quinta-feira, 11/01/2018, a lista das maiores franquias do Brasil e o Spa das Sobrancelhas ocupa a 43ª posição, se consolidando como a maior rede de design de sobrancelhas. A empresa é associada a ABF desde 2012.

Pioneira no mercado de design de sobrancelhas no Brasil, a rede surgiu em 2017 e hoje possui 314 franquias ativas. A empresa é especializada em embelezamento do olhar e oferece mais de 20 serviços e mais de 20 produtos para cuidar das sobrancelhas e cílios de seus clientes.

“Ficamos muito felizes com a divulgação da lista, essa informação mostra que nosso trabalho está sendo bem feito e que nossos franqueados podem contar com uma rede sólida e reconhecida. O reconhecimento é de toda nossa rede, cada franqueado nosso faz parte dessa linda história de sucesso”, afirma Marko Porto.

 

ABF FAZ BALANÇO PRELIMINAR DE 2017, PROJEÇÕES PARA 2018 E ESTUDO DAS 50 MAIORES FRANQUIAS DO BRASIL

 

A ABF – Associação Brasileira de Franchising, em parceria com a CNS, realizou nesta quinta-feira (11/01) uma transmissão ao vivo, através do site oficial da ABF, abordando o processo de inovação no setor de franquias, a prévia parcial do desempenho do setor em 2017 e um estudo das 50 maiores franquias do Brasil.

Altino Cristofoletti, presidente da ABF, aborda a importância do franchising brasileiro na economia nacional, no desenvolvimento do país e ressalta ‘’A ABF hoje é uma promotora do desenvolvimento econômico’’. Apesar do cenário econômico e político do Brasil em 2017, o setor de franquias teve um crescimento no faturamento de 8% no franchising Brasileiro em comparação ao ano de 2016, faturando R$ 163 milhões. E empregando mais de 1200 pessoas, tendo um aumento de 1% sobre o índice de empregos gerados no setor, em um ano onde se obteve um dos maiores índices de desemprego do país. O número de unidades também obteve um crescimento no ano de 2017, somando mais de 145 mil unidades espalhadas por quase metade dos municípios brasileiros.

Altino indica uma acomodação no número de redes de franquias, somando hoje em média 50 unidades por marca, porém, esses dados ainda não são uma realidade no mercado Brasileiro, dado ao fato de que algumas franquias possuem mais de 4000 unidades e outras franquias regionais possuem cerca de 10 unidades. No ano de 2017, fecha-se 2800 unidades franqueadas (-6%) que se enquadram nas redes menores, porém isso não afeta a colocação do Brasil no ranking mundial, que se mantém como o 4º pais no mundo em números de redes de franquia, e o 6º em números de unidades de marcas. E hoje no Brasil, 95% das redes são de origem brasileira, representando o quão forte é o Franchising no Brasil. Atualmente a ABF possui cerca de 1100 redes associadas.

As 50 maiores redes de franquias do Brasil

Setor de saúde e beleza e serviços automotivos receberam destaque entre as 50 maiores.

A rede O Boticário manteve a liderança com 3.762 unidades, o segundo lugar ficou com a rede AM PM Mini Market, com 2.415 pontos de operação; a Cacau Show manteve a terceira colocação, totalizando 2.081 unidades. Entre as 10 maiores, destaque também para as redes Jet Oil, Lubrax+ e BR Mania que subiram posições em relação a 2016, com expansões expressivas em número de unidades. Levando em consideração a relação completa, as redes que apresentaram maior variação de posição foram a Acqio (ascensão de 15 posições), Dia% (9), Seguralta (7), 5àsec (7), Piticas (7), Óticas Carol (6) e Instituto Embelleze (6). Ingressaram nos grupo das 50 Maiores, as redes Casa de Bolos, SPA das Sobrancelhas e Não+Pêlo.

O setor predominante é Alimentação (34%) e Serviços Educacionais (18%), mas, em 2017, houve o crescimento da participação do segmento de Saúde, Beleza e Bem-Estar (de 12% para 16%). “Este segmento vem apresentando desempenhos consistentes nos últimos trimestres e se mostrou aqui presente também, tanto com a manutenção da liderança do Boticário, quanto pelo ingresso de duas novas redes deste segmento no grupo das maiores”, explica o presidente da ABF. Um movimento apontado pelo estudo deste ano foi o crescimento de participação de pontos de venda alternativos (quiosques, trucks, contêineres, store in store, home-based, etc.) que passou de 6% para 9% – as lojas físicas predominam com 91%.

Projeções para o Franchising Brasileiro em 2018

As projeções iniciais contam com o impacto das eleições sobre o setor, dando início em uma reestruturação da economia.

– Expectativa de um faturamento de 9% a 10%.

– O crescimento de unidades (5% a 6%), com uma retomada de novos empreendedores no sistema de franchising, devido ao aumento de confiança dos empresários no ano de 2017.

– Número de redes se mantendo estável (aumento de 0%).

– Expectativa de 3% de aumento em números de empregos gerados pelo setor. (3% a 5%).

 

O ano de 2017 foi marcado por três movimentos: a progressiva diversificação de canais, modelos e localização; a interiorização do franchising; e o crescimento de franqueados multiunidade. “A busca por eficiência, novos mercados e por atrair um consumidor receoso se traduziu em muita inovação: novas estratégias de venda, de configuração de ponto comercial, aprimoramentos em produtos e parcerias das mais variadas. Neste movimento, os franqueados com mais de uma unidade tiveram o importante papel de assumir lojas em dificuldade, e as cidades do interior a função de manter viva a expansão”, completa o presidente da ABF.

Itaú Mulheres Transformadoras: Ilana Braun e Lisabeth Braun da Dermage

Em 1978, quando Lisa Braun começou seu próprio negócio, ainda era raro ver mulheres empreendendo. Mães, então, mais raro ainda.

“Perguntavam para mim quem era o homem que estava por trás do meu negócio, diziam que eu trabalhava como um homem. Hoje meu marido é meu sócio, mas a participação dele na época foi só de incentivo mesmo, me estimulando a efetivamente ”botar para fazer”.

Conheça mais sobre essa história:

 

 

Para mais informações da Franquia Dermage clique aqui. 

 

4 dicas que podem transformar vídeos de marcas em virais nas redes sociais

Para Kim Archetti, especialista em redes sociais e viralização de vídeos, o marketing viral em vídeo deixou de ser tendência e passou a ser uma realidade para conversão de resultados para PMEs. Ele lista algumas dicas que podem transformar vídeos de marcas em virais nas redes sociais.

Cada vez o marketing digital vem se tornando uma estratégia de grande importância para as empresas, porém poucas empresas veem o potencial do viral para impulsionar a conversão para o negócio. Segundo a pesquisa realizada pela empresa Bain & Company no final de 2016, apenas 18% do investimento em publicidade das empresas brasileiras é direcionado para mídias digitais. Em 2015 esse investimento chegou a 8 bilhões, sendo a expectativa chegar a 16 bilhões até 2020.

O conceito de viral em vídeos e seus benefícios é pouco explorado pelas empresas e quem ainda não buscou investir nesse formato estratégico está ficando para trás. Isso porque os vídeos virais estão deixando de ser uma tendência e estão se tornando uma realidade dentro do marketing e comunicação digital das empresas. Por outro lado, mesmo enxergando essa mudança de comportamento, ainda existem empresas que não estão usando da forma correta esse conceito e com isso não atingindo uma conversão da forma desejada. Esse é um principal gargalo de muitas PMEs que não enxergam o verdadeiro potencial de criar esses conteúdos bem elaborados e com as características necessárias que não irá interferir no resultado almejado.

Pensando em como auxiliar as empresas que querem se inserir nessa nova realidade, listei quatro porntos que pojetam um vídeo nas redes sociais na rota da viralização:

Roteirização: A maioria dos vídeos viralizados por pessoas é em alguma situação cotidiana que foi filmado por acaso. É a típica frase: pessoa certa no local e horário certos. Muitas marcas, acreditam que vídeos podem ser viralizados desta forma e acabam forçando uma situação. O internauta dificilmente irá acreditar no conteúdo, por este motivo, é necessário seguir um roteiro, com ideias pré definidas, e um conteúdo atraente que gere curiosidade no outro lado.

Protagonizar o conhecimento: A falta de empatia ou entendimento com quem segue a marca nas redes sociais, faz com que sejam criados vídeos que sirvam apenas para destacar o institucional da empresa, enaltecendo durante minutos a excelência nos serviços que são prestados. Esse erro é muito comum, pois ninguém quer saber o que a marca diz sobre ela mesma. Para isso, existem outras formas de medir a reputação de uma empresa. O protagonismo da marca em um vídeo acontecerá quando ela mostrar que entende do assunto, posicionando-se como um especialista de um determinado assunto/tema.

Narrativa: Não basta ter um conteúdo intelectual e informativo para ter uma grande audiência nos vídeos. É necessário que a narrativa seja construída de acordo com o perfil do público que quer engajar. Além disso, para deixa-lo ainda mais atraente é necessário ter dosagens de perfis, com um pouco de humor e emoção, para envolver ainda mais as pessoas, além de expressões faciais e corporais.

Investimento Técnico: Já ouviu falar da expressão “Comer com os olhos”? Pois é, nos vídeos para redes sociais, também deve-se ter o mesmo pensamento. Quando um vídeo tem um investimento em iluminação, áudio e edição, as chances dele chamar a atenção do seguidor, aumentam ainda mais.

Kim Archetti é especialista em redes sociais e viralização de vídeos, e CEO & Founder do Awakim Academy – startup de educação com foco em comunicação e protagonismo.

Capital de giro: 5 dicas para o pequeno negócio começar bem em 2018

Ricardo Sonoda, diretor financeiro da iZettle no Brasil, orienta a como se planejar para a safra de baixa nas vendas

O início do ano geralmente é caracterizado por uma queda nas vendas até a época do carnaval, que acontece após o aumento do faturamento ocorrido no final do ano anterior. Por este motivo, caso não haja atenção ao planejamento financeiro, o negócio pode enfrentar sérios desafios para seguir em frente. Quem faz o alerta é Ricardo Sonoda, diretor financeiro da iZettle, fintech sueca com atuação no Brasil e em mais 11 países na área de serviços financeiros e soluções de pagamento.

De acordo com Sonoda, é preciso que o empreendedor cuide da manutenção do capital de giro, que consiste na reserva necessária para dar conta de despesas como manter os estoques e pagar fornecedores. O especialista dá cinco dicas de como iniciar o ano com um capital de giro saudável.

1) Encare 2018 com planejamento

O fundamento principal para manter o negócio funcionando consiste no planejamento financeiro. O último trimestre de um ano costuma gerar um incremento no fluxo de entrada de capital por conta do Dia das Crianças e do Natal, enquanto os primeiros meses marcam um aumento no fluxo de saída, devido aos pagamentos do 13º salário dos funcionários, impostos e gastos pessoais adicionais do período. “Será mais fácil o planejamento caso já tenha havido uma preparação antecipada para este fluxo invertido de entradas e saídas. Uma grande empresa tem um setor de contabilidade que faz esse planejamento. Já o pequeno empreendedor precisa estar mais atento e buscar ajuda das ferramentas digitais gratuitas disponíveis no mercado”, alerta.

Segundo Sonoda, o ideal é que os gastos no final do ano tenham sido reduzidos para se preparar para o período seguinte. “É importante ter reservas para um fluxo mais positivo até o final do ano”, aconselha.

2) Faça uma liquidação

Mas e se o planejamento não foi feito com antecedência? De acordo com Sonoda, ainda há esperança. É importante agir com calma e tomar algumas medidas para garantir o capital de giro, como se desfazer de ativos e cortar gastos. “No caso do microempreendedor, sacrifícios como vender um carro e rever fornecedores podem ser necessários”, afirma.

Uma opção comum para garantir o capital de giro no início do ano é promover uma liquidação do estoque de produtos. “É a hora certa de planejar promoções mais agressivas e com real potencial para trazer mais liquidez para o negócio. Não é à toa que muitas lojas fazem liquidações logo após o Natal”, explica.

3) Não confunda contas pessoais com fluxo de caixa

Segundo o especialista, é muito usual que donos de pequenos negócios tenham dificuldade de separar com clareza o capital de giro da empresa de suas contas pessoais, o que dificulta o planejamento financeiro e até ameaça a sobrevivência do negócio.

Outro erro comum é confundir o capital de giro com o fluxo de caixa. Enquanto o primeiro considera todas as disponibilidades no caixa e no estoque que permitem a continuidade do negócio, o fluxo de caixa é relacionado ao faturamento e aos gastos. “É possível ter um fluxo de caixa negativo com capital de giro positivo em um determinado período. Porém, o saudável é que ambos sejam positivos”, afirma.

4) Conheça o seu negócio

De acordo com o especialista, é preciso entender o fluxo natural de vendas dos seus produtos e serviços para efetuar o planejamento do capital de giro com mais eficiência. Em alguns setores, elas podem ser sazonais, como no caso das vendas de sorvetes no verão e sopas no inverno.

Além disso, muitas vezes os fornecedores vendem os produtos à empresa por meio de um número de parcelas que é menor do que o que é oferecido aos clientes do negócio. “Nesse caso, será necessário um capital de giro maior para haver condições de manter o estoque sempre cheio”, lembra. Outra questão ainda se trata da prevenção à inadimplência, quando um pagamento que era esperado não entra para a conta do capital de giro. “Uma das formas de se prevenir é ter a preferência por meios de pagamentos mais seguros como o cartão de crédito”, afirma.

5) Utilize ferramentas digitais

Por fim, com o avanço da tecnologia, empresas oferecem aplicativos gratuitos que permitem a organização dos estoques dos pequenos negócios, registro de vendas e emissão de relatórios. De acordo com o especialista, ainda é possível encontrar soluções financeiras que ofereçam alternativas à liquidez de longo prazo. “É interessante, no caso das vendas com o cartão, optar pelas credenciadoras que oferecem antecipação do recebimento do dinheiro das vendas a prazo sem cobrar taxas adicionais por isso. A tecnologia é uma importante aliada e pode auxiliar o pequeno empreendedor a fazer a gestão do capital de giro com mais eficiência”, aconselha Sonoda.

Plataforma BiPTT transforma o smartphone em rádio ‘Push-to-Talk’ e agiliza a comunicação nas empresas de maneira segura

Com tecnologia moderna e segura, app traz diversas funcionalidades para empresas que precisam de uma solução instantânea para o controle e gestão de suas operações.

Um estudo divulgado por Joseph Grenny e David Maxfield, autores do bestseller do New York Times, Conversas Cruciais, em 2016, estima que uma comunicação empresarial mal sucedida chega a custar uma média de 7.500 dólares por conversa, por conta da perda de tempo e recursos. E para as empresas que trabalham com equipes distribuídas em diversas localidades, coordenam times e fazem com que todos estejam alinhados constantemente, o desafio é ainda maior.

De olho nessa necessidade, surgiu o BiPTT – plataforma que transforma qualquer smartphone, tablet ou computador, em um rádio Push-to-talk, utilizando redes mobile comuns. Com tecnologia própria, desenvolvida com segurança a nível militar pela empresa, a plataforma traz todas as funcionalidades de um rádio corporativo, com diversas funcionalidades e facilidades adicionais aos usuários, oferecendo uma solução de comunicação corporativa rápida e em tempo real, gerando mais economia, controle e rentabilidade.

“Nossa ferramenta vai além de um comunicador walkie talkie ou qualquer outro rádio PTT. Além de envio e recebimento de chamadas de voz em tempo real, ainda possui um sistema de backups de mensagens não ouvidas e localização geográfica – que permite ao administrador saber exatamente onde cada colaborador de sua equipe se encontra e o itinerário realizado”, comenta Edgar Crespo, co-fundador do BiPTT.

Um levantamento realizado, em 2016, pelo instituto de pesquisas americano VDC Research, com empresas das verticais de manufatura, governo, transporte, logística, construção e utilities indica que cerca de 90% das entrevistadas estão buscando soluções que atendam em conjunto aplicações de voz e dados.

O BiPTT é um aplicativo leve, de baixo consumo de bateria e de dados. A sua interface é voltada para a simplicidade do uso, e apresenta alta performance de aplicação em sua função principal, que é a transmissão de voz instantânea e de alta qualidade.

A empresa investiu desde o início no sistema Push-to-Talk over Cellular (PoC), a evolução do Push-to-Talk, que funciona por meio das redes 3G, 4G, LTE e Wi-Fi. Por utilizar as redes de internet móvel, o BiPTT resolve o problema de integração, pois usuários de diferentes operadoras podem comunicar-se entre si, além daqueles que não estão na rede de nenhuma operadora, e sim utilizando o Wi-Fi.

Com a proposta de não ser apenas um serviço de rádio, a empresa desenvolveu uma solução que auxilia na gestão dos negócios, com uma central de comunicação integrada, onde o gestor pode acompanhar o processo de comunicação, verificar as posições da equipe e controlar as atividades da corporação.

Entre as funcionalidades do BiPTT estão: Geolocalização, no qual é possível acompanhar em tempo real os colaboradores, e o itinerário realizado, pois o administrador visualiza um mapa com a localização de todos os usuários; Comunicação por canais, a empresa pode criar quantos canais achar necessário, distribuindo os usuários pelos diferentes canais para organizar a comunicação via rádio; Utilização com baixa latência e baixo consumo de banda, com tecnologia própria, garantindo canais de comunicação Push To Talk operando em 3G e 4G, mesmo que as condições estejam com baixa conectividade; Gravação de chamadas, que podem ser recuperadas para fins de gestão e auditoria, com todos os dados criptografados, o que impede que outras pessoas tenham acesso às informações.

“Queremos oferecer uma solução para empresas que precisam de comunicação instantânea e eficiente, para o controle e coordenação de suas operações. Os desafios que os times operacionais enfrentam diariamente não permitem mais que sistemas de comunicação inadequados sejam utilizados. A simplicidade e a objetividade do uso da voz instantânea é o caminho para tornarmos as comunicações para equipes de trabalho mais rápidas e claras”, reforça Paulo Florêncio, Diretor Comercial do BiPTT.