234 shopping centers estão instalados em cidades do interior

Quem pretende abrir uma franquia em cidades do interior tem cada vez mais oportunidades de instalar sua loja em um shopping center. Segundo a Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), existem hoje 234 empreendimentos em cidades do interior e de 228 nas capitais. E dos 41 centros de compras com inaugurações previstas até o final do ano, apenas 15 estarão localizados nas capitais – que ainda são objetos de desejo de parte significativa da indústria. “Mais que uma tendência, eu diria que o interior é um caminho natural para a expansão da indústria de shoppings”, comenta Luiz Fernando Veiga, presidente da Abrasce.

A falta e os altos preços dos terrenos, o aumento da concorrência, as crescentes exigências das prefeituras, os custos das compensações ambientais e viárias para autorizar a implantação dos empreendimentos tornam as obras ainda mais onerosas nas capitais. A esses fatores soma-se o expressivo crescimento da renda da classe C, de 4,6% ao ano entre 2005 e 2011 – enquanto o das classes A/B ficou em 2,7% ao ano. Com isso, 40 milhões de pessoas ingressaram nesse segmento, que passou de 34% da população para 54%, segundo a Cetelem – Ipsos. “Parte significativa da classe C mora no interior, tornando essas regiões muito atraentes para os empreendedores”, comenta Marcelo Sallum, da Lumine Soluções em Shopping Centers.

Os holofotes estão dirigidos especialmente para as 287 cidades de porte médio, com população entre 80 mil e 300 mil habitantes. Esses municípios registram maior crescimento do PIB, de 4% ao ano, e reúnem cerca de 40,6 milhões de habitantes, com uma renda de R$ 31,6 bilhões ao mês e R$ 10,4 bilhões ao mês disponíveis para gastar no varejo, como mostra levantamento feito pela Lumine, baseado em dados da Abrasce e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O melhor: 48% deles não têm nenhum shopping.

Fonte: Valor Econômico

:::Leia mais notícias sobre franquias::: 

:::Encontre sua franquia::: 

:::Veja vídeos sobre franchising:::

Via Mia inaugura loja no shopping Morumbi, em São Paulo

Nesta quinta-feira (27/06), às 17 horas, começa a funcionar, no shopping Morumbi, em São Paulo, a mais nova loja da rede de calçados e acessórios femininos Via Mia. A empresa agora passa a ter 20 unidades em operação. Quem visitar a loja no dia de sua inauguração e fizer compras acima de R$ 300, ganhará um kit Sephora, enquanto durarem os estoques.  

A rede Via Mia está em plena fase de expansão. Para abrir uma franquia da marca, o investimento inicial parte de R$ 500 mil e a área mínima para instalação de 60 metros quadrados. A estimativa de retorno de investimento é de 36 meses. A rede busca franqueados em todo Brasil, exceto na cidade do Rio de Janeiro – onde já está a maioria das lojas da marca.

Um dos principais destaques da Via Mia é a qualidade dos seus produtos. A equipe de criação está em permanente pesquisa, ligada com o que acontece nos grandes centros urbanos e trabalhando materiais de qualidade com um preço acessível, para levar às clientes produtos coloridos e despojados.

:::Veja mais informações sobre Via Mia:::  

:::Leia mais notícias sobre franquias::: 

:::Encontre sua franquia::: 

:::Veja vídeos sobre franchising:::

Mania de Churrasco leva churrasco para shopping center

Com o encarecimento dos pontos de venda nos últimos anos, muitas redes franqueadoras tiverem de enfrentar o desafio de reduzir o tamanho de suas lojas para diminuir os custos com aluguel e, ao mesmo tempo, facilitar sua expansão. “As redes que conseguiram encolher suas lojas sem reduzir tanto o mix de produtos e nem as receitas conquistaram mais relevância no mercado e passaram a chamar mais atenção dos candidatos a franqueados”, afirma o consultor Fernando Campora, sócio do Grupo Cherto.

Essa é a estratégia da Mania de Churrasco – Prime Steak House, rede de restaurantes especializada em cortes de carnes nobres. Os sócios da empresa já trabalham no ramo de alimentação há algum tempo. “Os primeiros restaurantes tinham  300 metros quadrados, onde os garçons servem espeto corrido nas mesas”, diz Alessandro Pereira, sócio da empresa. “Mas estava ficando cada vez mais difícil encontrar espaços desse tamanho disponíveis a um preço razoável.”

Há um ano, os sócios criaram um tipo de churrasqueira compacta. O novo equipamento, que não produz fumaça, permitiu montar um formato de loja com apenas 30 metros quadrados. “É um tamanho que cabe em qualquer praça de alimentação”, diz Pereira, que já abriu três lojas no formato mínimo e espera vender 10 franquias da Mania de Churrasco-Prime Steak House até o final do ano.

:::Veja mais informações sobre Mania de Churrasco-Prime Steak House:::

:::Leia mais notícias sobre franquias:::

:::Encontre sua franquia:::

:::Veja vídeos sobre franchising:::

Diante de tantas opções, que critérios usar para escolher a franquia ideal?

O empreendedor que tem interesse em investir numa franquia provavelmente recebeu muitas informações sobre o assunto nos últimos dias. Como São Paulo sediou na semana passada a maior feira de franquias do mundo, muita gente falou sobre o tema e milhares de pessoas tiveram a chance de conhecer melhor os modelos de negócio disponíveis no setor.

Mas agora, com bastante informação nas mãos e diante de tantas opções no mercado, que critérios o empreendedor deve usar para escolher o modelo de franquia que mais combina com seus sonhos e sua capacidade de investimento? Que passos seguir para tomar a melhor decisão possível?

Bem, o primeiro passo é acabar com os mitos. Um dos mitos mais comuns é aquele que diz que é melhor escolher uma franquia já consolidada do que uma marca estrangeira ou uma nova rede. Mas isso não é necessariamente verdade. A escolha vai depender apenas dos seus objetivos. Você quer ter apenas uma unidade franqueada ou pretende comprar mais lojas lá adiante? Quer ter uma franquia numa região em que várias redes já estão presentes ou prefere desbravar uma cidade pequena, onde ainda há menos opções de consumo?  

É bom saber que, entre as novas marcas, há muitos casos de empresas que já têm uma trajetória bem sucedida e só agora adotaram o sistema de franchising para crescer. Ou seja, elas já tem experiência de varejo, falta apenas ficaram mais conhecidas no mundo das franquias. É o caso de indústrias que chegaram ao varejo ou de empresas que já tinham experiência no varejo e agora formataram franquias.  

O empreendedor que decidir investir numa franquia de marcas com essas características poderá aproveitar todo seu know how e ainda crescer junto com a nova rede. E ainda terá a vantagem de escolher as melhores praças e adquirir mais unidade à medida que recupera o investimento inicial. Ou seja, se o empreendedor sonha em ter mais de uma loja franqueada no futuro, investir numa marca nova pode ser uma boa estratégia.

Outro ponto a considerar na hora de escolher uma franquia é o valor do investimento e o prazo de retorno. Ao saber exatamente de quanto dinheiro você dispõe, incluindo aí o capital de giro para os primeiros meses de operação da unidade, você já consegue fazer um recorte mais preciso do mercado. Entre as opções compatíveis com a sua capacidade de investimento, veja quais são os mais rentáveis e que oferecem um prazo de retorno compatível com a sua expectativa – a média do mercado varia entre 24 e 36 meses.

Para decidir em qual franquia investir, é importante analisar bem o segmento em que a rede atua. Você se imagina feliz ao trabalhar nesse segmento pelos próximos anos? Tem afinidade com o modelo de negócio e com a marca? Conheceu os franqueadores e sua equipe e gostou do que viu? Já visitou uma unidade franqueada para saber como é o dia-a-dia da operação?

Ao escolher uma franquia, é importante sempre ter em mente tanto os aspectos racionais do negócio (valor de investimento, prazo de retorno e rentabilidade) como também os emocionais (afinidade com o segmento, empatia com a marca, atração pelo modelo de negócio). Ao equilibrar esses dois pontos e ter em mente também quais são seus objetivos futuros, o empreendedor poderá fazer uma escolha mais consciente e terá mais chances de sucesso.

*Filomena Garcia é sócia-diretora da Franchise Store, especialista em marketing e atua há 20 anos nas áreas de negócios , varejo e Franchising. Co-autora dos livros “Franchising – Uma estratégia para expansão de negócios e “Marketing para Franquias”

Fundada em 1982, Amor aos Pedaços entra em nova fase de expansão

 

A rede de doçarias paulistana Amor aos Pedaços, fundada em 1982, está em franco processo de expansão. Em 2013, a nova fábrica da empresa foi inaugurada na cidade de Cotia, próximo a São Paulo. O novo empreendimento, com investimento em torno de R$5 milhões, triplicou a capacidade de produção da rede de doçarias para 2,5 mil toneladas por ano.

Além do novo espaço, outra estratégia importante que contribuirá para a expansão da marca foi a entrada do Fundo Mercatto Alimentos, focado em private equity e especializado no setor de alimentos e bebidas, que adquiriu 33% do capital da companhia no início de 2013. “Nosso objetivo de médio e longo prazo é a nacionalização da marca, tendo como meta principal estar em todos os Estados brasileiros e chegar a 160 lojas em três anos”, destaca Silvana Abramovay Marmonti, diretora operacional da Amor aos Pedaços.

A empresa também está desenvolvendo um modelo de loja mais compacto, de aproximadamente 25 m². Este formato de franquia terá a linha de produtos semelhante ao das lojas convencionais, só que em vitrines menores. O investimento inicial para um franqueado deste formato será de cerca de R$ 250 mil. O modelo estará disponível aos franqueados interessados até o final deste ano.

Nas vitrines são mais de 130 produtos oferecidos aos clientes entre docinhos, bolos, tortas, pavês, mousses, sorvetes e salgados. Uma das criações mais famosas foi o doce cor-de-rosa batizado – e patenteado – como Bicho de Pé. Esse docinho nasceu sete anos antes da criação da empresa. Decidida a servir algo diferente no aniversário de um ano de seu primeiro filho, Ivani Calarezi, fundadora da rede, formulou a receita do Bicho de Pé®, que fez sucesso entre as crianças e os adultos da festa.

Atualmente, a rede de doçarias possui mais de 60 lojas espalhadas pelo Brasil, distribuídas por São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Espirito Santo, Distrito Federal, Bahia, Pará, Sergipe, Pernambuco e Mato Grosso do Sul.  Atualmente, a rede oferece aos franqueados dois modelos de lojas: a de Rua, com área média de 70 m2 e de Shopping com área média de 36 m2, além de mezanino.

:::Veja mais informações sobre Amor aos Pedaços:::

:::Leia mais notícias sobre franquias:::

:::Encontre sua franquia:::

:::Veja vídeos sobre franchising:::

O que explica os casos de sucesso e de fracasso das microfranquias

As microfranquias, modelos de negócio que exigem investimento de até R$ 80 mil, surgiram e se desenvolveram com velocidade nos últimos anos, contribuindo de forma importante para alavancar os números do Franchising no Brasil. Esse formato representou uma inovação para o setor. Com as microfranquias, deixou-se de lado a tradicional visão de segmentos de mercado e passou-se a olhar as redes seguindo outro critério: a faixa de investimento. 

Esta novidade aproximou o mercado de franquias de empreendedores com menor capacidade de investimento. O sonho de ter um negócio próprio e, ao mesmo tempo, empreender em um ambiente mais “controlado” como o das franquias, se tornou enfim uma realidade para muitos empreendedores.

O cenário econômico também contribuiu para as microfranquias se popularizarem. O crescimento da classe média, o aumento do volume de recursos disponíveis para investimentos no país e o baixo valor das microfranquias criaram um boom para as franqueadoras que conseguiram ajustar seus modelos de negócios neste conceito.

O sucesso dos franqueadores, no entanto, infelizmente não se estende aos franqueados na mesma proporção. Para estes empreendedores, a situação é bastante variável. Há casos de sucesso estrondoso. Mas também há diversos casos de fracasso dos franqueados, que ainda aparecem muito pouco devido ao momento de expansão forte do setor.

O histórico das microfranquias ainda é curto. Há também uma grande pulverização dos franqueados. Além disso, as microfranquias não têm pontos comerciais – por isso, ficam pouco expostas ao grande público. Tudo isso faz com que ainda seja difícil ter um mapa claro de quais redes têm maior ou menor resultado.

Alguns fatores, no entanto, são comuns à boa parte das redes e explicam esta variabilidade de resultados. Em primeiro lugar, há uma concentração das microfranquias no setor de serviços – ramo em que o investimento é mais baixo, porém o risco é mais alto. Além disso, o negócio tem um caráter muito pessoal, exigindo qualificação e dedicação que nem todos franqueados possuem.

Outro problema é que há alguns franqueadores muito agressivos nas vendas, que não fazem uma análise mais profunda do perfil dos franqueados antes de aceitá-los na rede. Muitos franqueados, por sua vez, também não avaliam a fundo a compatibilidade entre seu perfil e as competências exigidas pelo negócio.

Além disso, os treinamentos e todo o suporte são dados ao franqueado no início do negócio, mas algumas redes não acompanham o franqueado nos próximos passos. Também é comum que muitos franqueados tenham a expectativa de ter um rendimento muito alto, incompatível com o baixo investimento realizado. Para piorar, esses negócios têm baixo ou nenhum valor de revenda caso o franqueado não se identifique com a operação.

*Fernando Campora é sócio do Grupo Cherto e co-autor dos livros “Franchising- uma estratégia para expansão de negócios” e “Mais que Franchising”.

Plano de expansão da Seletti prevê 15 novas lojas em 2013

O Seletti Culinária Saudável quer colocar 15 novas lojas em operação em 2013. A meta faz parte de um projeto de crescimento que prevê chegar a 150 operações em todo o Brasil até o ano de 2017. “A projeção é encerrar este ano com 50 lojas, entre abertas e contratadas”, diz Felipe Campos, diretor da rede. O faturamento deve ser ampliado em 50% na comparação com 2012.

O planejamento de expansão da empresa tem como focos principais a consolidação e fortalecimento do Seletti no Sudeste, Nordeste e Centro Oeste, pontos que já contam a bandeira da rede de gastronomia saudável. Dentre esses, o Nordeste é o principal destaque.

O interesse de Campos pela região é fruto de estudos de mercado e também reflexo do crescimento que a região vem apresentando nos últimos anos. “O comportamento das pessoas e a economia local mostram o potencial que temos para explorar”, avalia o diretor. “O o clima favorável, a prática intensa de esportes e a alta performance dos empreendimentos da região mostram que há abertura de mercado para uma empresa como a nossa prosperar por ali.”

Cerca de 63 mil pessoas visitaram a ABF Franchising Expo 2013

A 22ª edição da ABF Franchising Expo 2013, maior feira de franquias do mundo, superou todas as expectativas em relação ao ano anterior. Durante os quatro dias em que o evento foi realizado, no Expo Center Norte, em São Paulo, estiveram por lá 63 mil visitantes, um número 3% maior do que em 2012. A partir do evento, a organização estima que cerca de R$480 milhões em negócios devem ser gerados. “A feira é um retrato fiel do ótimo momento em que passa o mercado de franchising no Brasil”, afirma Ricardo Camargo, diretor executivo da ABF. 

Promovida pela Associação Brasileira de Franchising (ABF) e organizada pela BTS Informa, a maior feira de franquias do mundo contou, este ano, com 470 marcas expositoras, que levaram ao público presente diversas opções de franquias para quem deseja abrir o seu próprio negócio.

A Franchise Store, primeira loja de franquias do Brasil, participou da ABF Franchising Expo 2013 com um mega estande de 260 metros quadrados, que abrigava 12 marcas – Casa Brasileira, Di Santinni, Flytour, Freddo, Leardi, Mania de Churrasco, Mr Cat, NetCallCenter, Onodera, Parfaire, Parmeggio e Red Balloon. “A feira é uma grande vitrine para as marcas e, ano a ano, os candidatos chegam mais preparados ao evento”, afirma Filomena Garcia, sócia-diretora da Franchise Store.

Flytour Franchising quer chegar a 426 unidades até 2018

Flytour

A Flytour Franchising, divisão do Grupo Flytour especializada na gestão de franquias e expansão da rede em todo o Brasil, planeja totalizar 426 unidades até 2018 no país.

Entre as novidades que a empresa apresentou em seu estande na feira ABF Franchising Expo 2013 está a comercialização pelas franquias Flytour dos produtos da Flytour Viagens, operadora do Grupo Flytour que completou 1 ano de atividades em 2013 e que já vendeu, neste período, mais de 67 mil pacotes. Dessa forma, as unidades têm a possibilidade de potencializar ainda mais seus negócios com esta gama de produtos próprios, o que contribui com a rapidez no retorno do investimento aplicado pelos franqueados.

“Outra vantagem é que nossos franqueados atuam como uma agência multiserviços, atendendo o viajante a negócios, a lazer, nas viagens de incentivo, premiação e eventos. Estamos preparados para todas as necessidades dos clientes”, revela Cristina Kiyota, gerente da Flytour Franchising.

Com foco de expansão em praças com mais de 75 mil habitantes, atualmente, a Flytour Franchising conta com 104 unidades, localizadas em todo território nacional, em lojas de rua, shopping centers e escritórios. A expectativa para este ano é abrir 40 unidades. O Grupo Flytour faturou R$ 3,6 bilhões no ano passado. São 2.600 colaboradores em mais de 200 unidades de negócios em todo o Brasil.

João Paulo Diniz conta por que virou sócio da Fórmula Academia

A paixão pelo esporte é apenas uma das razões que levaram o empresário João Paulo Diniz a se tornar sócio da rede de academias Fórmula. O filho do empreendedor Abilio Diniz visitou o estande da empresa na feira de franquias ABF Franchising Expo nesta quinta-feira (15/06) e comentou: “Eu brinco que fui o sócio número 1 de todas as academias que frequentei, mas sempre como aluno. No caso da Fórmula, virei um dos sócios investidores porque percebi a qualidade do projeto e fiquei atraído pelo fato de a marca se tornar uma rede.”   

Hoje, a Fórmula, que pertence ao grupo Bodytech, o maior da América Latina no mercado de fitness, possui 43 unidades em operação ou em fase de desenvolvimento, com mais de 10 mil alunos atendidos.  A meta é ter 120 academias até o final de 2015. A empresa mapeou todas as capitais brasileiras e outras 80 cidades de médio porte como alvo da expansão.

Além de João Paulo Diniz, outros nomes conhecidos aparecem na lista de sócios da Fórmula Academia: Luciano Huck, Gustavo Kuerten e também os empresários Alexandre Accioly e Luiz Urquiza estão à frente da operação. “Os sócios não precisam do dinheiro da empresa para sobreviver, por isso podem reinvestir os lucros no negócio”, afirma Diniz. “Isso é uma vantagem competitiva, porque permite que a empresa se mantenha atualizada e dê mais benefícios aos franqueados.”

Um dos principais diferenciais do modelo de franquias Fórmula é que o franqueado não precisa comprar os aparelhos – basta alugá-los. Por isso, o investimento inicial para abrir a uma unidade marca (cerca de R$ 900 mil) costuma ser inferior ao valor exigido por outras academias. Mais informações: http://www.franquia.com.br/franquia/formula-academia.

Quatro marcas recebem prêmio de design por seus estandes

As marcas FOM, Chips Away, CNA e Casa X foram as redes contempladas com o Prêmio ABF-RDI Design de Estande, nesta 22ª edição da ABF FRANCHISING EXPO 2013, a maior feira de franquias do mundo, que acontece em São Paulo até o dia 15 de junho.

O prêmio é realizado anualmente pela ABF, em parceria com o Retail Design Institute, com o objeto de estimular o design como ferramenta estratégica na criação e instalação de espaços diferenciados, que representem a imagem das suas marcas, durante ABF Franchising Expo 2013.

Alguns dos requisitos considerados na escolha dos vencedores foram: originalidade/ conceito inovador/relevância, além de comunicação visual e sinalização/gráficos.

Confira a lista completa com os vencedores deste ano, que receberam o troféu entregue por Ricardo Camargo, diretor executivo da ABF e George Homer, presidente do RDI, nesta quinta-feira (13/06):

Categoria Estande de Pequeno Porte: FOM;

Categoria Estande de Médio Porte: Chips Away;

Categoria Estande de Grande Porte: CNA;

Categoria Mega Estande: Casa X.

50 empresas participam pela primeira vez da feira de franquias

A maior feira de franquias do mundo, que aconteceu em São Paulo entre 12 e 15 de junho, bateu dois recordes: teve 470 expositores e atraiu mais de 63 mil visitantes. O destaque desta edição da ABF Franchising Expo, porém, ficou por conta das marcas que pela primeira vez participaram do evento. “Cerca de 50 empresas estão estreando na feira, o que só mostra a força do franchising no país”, afirma Ricardo Camargo, diretor-executivo da Associação Brasileira de Franchising (ABF).

O comerciante Antonio Brunello, de 47 anos, visitou a feira em 2012 e voltou este ano. “Venho aqui em busca de negócios no setor de alimentação e, neste ano, encontrei mais opções, principalmente para alimentação rápida”, diz Brunello. A advogada Rosana Leonardelli, de 38 anos, foi ao evento pela primeira vez para pesquisar franquias do setor de beleza. “Há muitas marcas aqui que eu nem conheço”, afirma Rosana. “Mas isso mostra que o setor cresce e, por isso, surgem novos negócios.”  

Para Filomena Garcia, sócia-diretora da Franchise Store, a entrada de novas marcas permite que os investidores tenham mais alternativas na hora de escolher uma franquia.“E é bom lembrar que, entre as estreantes na feira, há muitos casos de empresas que já têm uma trajetória longa e bem sucedida, mas apenas recentemente adotaram o sistema de franchising para crescer e agora divulgaram sua marca para expansão”, afirma Filomena. “Elas oferecem ao investidor um modelo de negócio testado e aprovado, transferem seu know how e permitem ainda que os franqueados cresçam junto com a nova rede.”

Confirma abaixo algumas redes que estrearam na ABF Franchising Expo 2013:

Casa Brasileira (Grupo Unicasa)
O que vende: móveis planejados
Investimento inicial: a partir de R$ 250 mil
Contato: casabrasileira@franchisestore.com.br

Di Santinni
O que vende: calçados, bolsas e acessórios
Investimento inicial: a partir de R$ 390 mil  
Contato: disantinni@franchisestore.com.br

Freddo
O que vende: sorvetes
Investimento inicial: a partir de R$400 mil
Contato: freddo@franchisestore.com.br

Mania de Churrasco – Prime Steak House
O que vende: cortes de carnes nobres
Investimento inicial: a partir de R$ 400 mil
Contato: maniadechurrasco@franchisestore.com.br

Parfaire
O que vende: perfumes de luxo
Investimento inicial: R$ 120 mil
Contato: parfaire@franchisestore.com.br

Red Balloon
O que vende: cursos de inglês para crianças e adolescentes
Investimento inicial: a partir de R$ 400 mil
Contato: redballoon@franchisestore.com.br

Xuxa rouba a cena na feira ABF Franchising Expo

A feira de franquias ABF Franchising Expo começou hoje (12/06) em São Paulo com 470 estandes de redes franqueadoras, diversas autoridades presentes e centenas de investidores que enfrentaram filas na entrada dos pavilhões do Expo Center Norte para conhecer as novidades do mercado. Mas não teve jeito: mesmo com tantos atrativos, quem roubou a cena foi a apresentadora Xuxa Meneghel, que esteve presente na abertura do evento.

Ela é madrinha do Espaço Social da ABF Franchising Expo, promovido pela AFRAS – Associação Franquia Sustentável, que venderá produtos ao longo do evento com 15% da renda revertida a entidades assistenciais. “Estou feliz por participar da feira, pela primeira vez, como empreendedora”, disse. Xuxa é sócia da franquia Casa X, rede de casas de festas infantis da holding SMZTO.

Curiosidade: além de Xuxa, outro apresentador global também é sócio de uma rede de franquias. Luciano Huck é um dos franqueadores da Fórmula Academia, do grupo Bodytech. A rede possui 43 academias em operação ou em fase de desenvolvimento, com mais de 10 mil alunos atendidos. A meta é ter 120 unidades até o final de 2015.

Franquia focada em perfumaria de luxo tem investimento de R$ 120 mil

parfaire

A Parfaire, primeira rede de franquias focada em perfumaria de luxo, quer abrir 100 franquias nos próximos anos nas capitais e em cidades com mais de 200 mil habitantes. O quiosque foi o formato escolhido para expansão. O investimento inicial em uma unidade franqueada é de aproximadamente R$ 120 mil, com capital de giro estimado entre R$ 30 mil e R$ 50 mil.

A rede foi criada em 2011. Com um diferencial de marca e de conceito, a Parfaire trouxe para o Brasil uma proposta inédita, moderna e sofisticada, comparável às charmosas casas de fragrâncias francesas. A franquia piloto foi inaugurada em julho de 2012, no Shopping Parque D. Pedro, na cidade de Campinas. Atualmente, a rede opera quatro lojas: além da franquia de Campinas, há unidades em Piracicaba, Belo Horizonte e Salvador.     

As fragrâncias da marca são cuidadosamente elaboradas, em parceria com especialistas da maior Casa de Fragrância do Mundo. São utilizadas matérias-primas exclusivas da perfumaria de luxo, em criações diferenciadas e sofisticadas. As essências são importadas de países como a França e a Suiça, dentre outros, pólos de alta tecnologia no cultivo e extração de óleos essenciais. Para ter mais informações sobre a franquia, basta mandar um e-mail para parfaire@franchisestore.com.br.

Domino’s Pizza lança dois formatos de lojas na feira de franquias

A rede Domino´s Pizza leva para feira ABF Franchising Expo dois novos formatos de loja: o modelo voltado para praças de alimentação de shopping centers e o “Pizza Theatre” (Teatro da Pizza), formato que permite ao cliente acompanhar todo o preparo da pizza.

No final de 2012, a Domino’s abriu as primeiras franquias em shopping centers. Para abrir uma franquia no modelo de praça de alimentação, o candidato deve prever um investimento inicial de R$ 450 mil, cerca de 20%  a menos do que numa franquia de rua, hoje em torno dos R$ 550 mil.

Segundo o diretor geral da Domino´s no Brasil, Henrique Pamplona, o mercado de shopping centers no país é muito promissor. “Com esse novo modelo podemos atender bem uma família, com as pizzas grandes, e quem procura uma refeição individual rápida, com salada, sanduíches e as pizzas em fatias”, avalia. Ele espera abrir mais 6 unidades neste formato até 2014.

Já o modelo Pizza Theatre será testado numa loja de rua do bairro carioca do Leblon. Após a reforma, a nova loja, com 150m2 de área total, terá 50 lugares dispostos em 60 metros quadrados só de salão. Nesse novo formato, o cliente passa a interagir com a marca acompanhando todo o processo de confecção da pizza dentro da loja: abertura da massa, seleção dos ingredientes e saída do forno. Isso será possível graças ao novo lay out das unidades, que prevê um balcão de vidro onde acontece o “Teatro da Pizza”.

Segundo o CEO internacional da Domino’s, Patrick Doyle, essa transformação acontecerá nos próximos anos na maioria das unidades da marca espalhadas pelo mundo. Hoje a rede conta com 10.255 lojas – entre próprias e franquias – distribuídas em 71 países. A Domino´s Pizza foi fundada em 1960 na cidade de Ann Arbor (Michigan, EUA) por dois irmãos. Hoje a empresa tem seu capital aberto com ações negociadas na bolsa de valores de Nova Iorque e pertence ao grupo Bain Capital Inc.

A rede brasileira, desde 2004 sob gestão do Grupo Trigo (Spoleto, Domino´s e Koni Store), está com 65 unidades e projeta mais 25 pontos de venda até o final de 2013. Em 2012 a expansão chegou a várias capitais do Norte e Nordeste com sucesso.

Atualmente a Domino’s Pizza busca franqueados para Salvador, Aracaju e Maceió, as únicas capitais da região onde ainda não está presente e interior das Regiões Norte e Nordeste (Petrolina PE, Juazeiro CE, Caruaru PE entre outros). Outras regiões de interesse são interior de São Paulo, Zona Norte e Oeste do Rio de Janeiro, Baixada Fluminense e interior do RJ. Também busca crescer em Minas Gerais e Distrito Federal.  Até 2016, a previsão é que 175 lojas estejam operando em todo o país.

Por que o empreendedor deve visitar a feira de franquias?

Você sabia que, nesta semana, de 12 a 15 de junho, ocorre em São Paulo a maior feira de franquias do mundo? Trata-se da ABF Franchising Expo 2013. Ao todo, o evento espera receber 62 mil visitantes. A edição do ano passado já contou com mais de 50 mil pessoas circulando pelo Expo Center Norte e movimentou 400 milhões de reais em novos negócios.

Mesmo diante desses números, há quem ainda pergunte se vale mesmo a pena visitar a feira. Bem, se você tem o sonho de empreender, a resposta é simples: a visita à ABF Franchising Expo continua sendo uma oportunidade imperdível de conhecer melhor os diversos modelos de negócio disponíveis no mercado e compará-los.

A feira terá mais de 400 expositores entre franquias nacionais e delegações de associações internacionais.  Algumas marcas são novas, ainda pouco conhecidas do grande público. Ter contato com essas empresas que ainda estão num estágio inicial é uma boa chance para o investidor – como elas acabaram de formatar seus modelos, as melhores praças ainda devem estar disponíveis, o que pode significar maior potencial de faturamento para as franquias.

Por outro lado, marcas mais consolidadas e reconhecidas no mercado também estarão presentes e costumam levar à feira suas principais novidades. É comum que elas usem o evento para lançar outros formatos de loja até então não explorados. Podem ser lojas em formatos menores, quiosques ou até mesmo a oferta de condições especiais de negociação.

E mesmo que o empreendedor conheça bem as opções de investimento disponíveis no mercado e já tenha eleito as suas preferidas, é interessante visitar o evento para ter contato direto com as empresas que despertam seu interesse.Na feira, é possível conversar com a equipe da empresa franqueadora ou com os responsáveis pela sua expansão. Muitas vezes, o próprio franqueador está presente.

E, como todo mundo sabe, nada substitui o contato pessoal. A conversa olho no olho revela muito sobre a estrutura da empresa e a qualidade de sua equipe. É possível conhecer o histórico da marca, tirar dúvidas, checar mais detalhes e até mesmo medir a reação das demais pessoas que visitam aquele estande.

Além disso, o empreendedor poderá comparar as marcas de sua preferência com as empresas concorrentes. Quais as franquias que oferecem mais suporte aos franqueados? Que outras marcas também querem abrir uma unidade na praça em que você deseja instalar a sua franquia? Os valores de investimento, prazo de retorno e royalties são compatíveis com a sua expectativa?

Mas para aproveitar bem a feira e sair de lá com mais respostas do que dúvidas, convém já chegar ao evento bem preparado. Sites como o www.franquia.com.br ou o portal da ABF apresentam diversas informações sobre o funcionamento do sistema de franchising, as tendências do mercado, os dados de cada uma das marcas e as regiões visadas para expansão. Fazer essa pesquisa prévia garante que o empreendedor otimize seu tempo.

Vale lembrar ainda que, além dos estandes das marcas, os visitantes poderão participar de cursos sobre franquias durante a ABF Franchising Expo. Os temas ajudam os investidores a trilharem o caminho das pedras e, quem sabe, saírem de lá mais confiantes para investir numa franquia.

Por tudo isso, acredito que há razões de sobra para visitar a maior feira de franquias do mundo. Certamente, você sairá de lá bem informado e com mais condições de fazer um bom investimento. Bons negócios!

*Filomena Garcia é sócia-diretora da Franchise Store, especialista em marketing e atua há 20 anos nas áreas de negócios , varejo e Franchising. Co-autora dos livros “Franchising – Uma estratégia para expansão de negócios e “Marketing para Franquias”

Três leitoras ganham ingressos para feira de franquias

Ana Kasaishi, Roberta Z. Fundelo Zanesco e Roseleine Ferreira são as ganhadoras dos pares de ingressos para feira de franquias ABF Franchising Expo, que ocorre entre 12 e 15 de junho no Expo Center Norte, em São Paulo. A Franchise Store pediu para que os interessados escrevessem para nós dizendo por que gostariam de visitar a feira. Os autores das três melhores respostas seriam selecionados – e as três participantes citadas acima foram as vencedoras. Parabéns para elas!

A feira, promovida pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), terá mais de 470 expositores entre franquias nacionais e delegações de associações internacionais.  Além dos estandes das marcas, os visitantes poderão participar de cursos sobre franquias durante a feira. O evento acontece nos pavilhões Azul e Branco do Expo Center Norte, entre 13 e 21 horas.

Franchise Store, primeira loja de franquias do Brasil, participará da ABF Franchising Expo 2013 com um mega estande de 260 metros quadrados, que abrigará 12 marcas – Casa Brasileira, Di Santinni, Flytour, Freddo, Leardi, Mania de Churrasco, Mr Cat, NetCallCenter, Onodera, Parfaire, Parmeggio e Red Balloon. A feira de franquias acontece na cidade de São Paulo entre 12 e 15 de junho e pretende movimentar 450 milhões de reais em novos negócios.

Criada pelo Grupo Cherto em 2008, a Franchise Store é hoje responsável pela expansão de 70 marcas franqueadoras e presta assessoria gratuita aos investidores que querem abrir uma franquia. “A ABF Franchising Expo 2013 é uma ótima chance para os investidores avaliarem as oportunidades que o mercado oferece e escolherem o modelo de negócio que mais combina com seus sonhos e sua capacidade financeira”, afirma Filomena Garcia, sócia-diretora da Franchise Store. “A equipe da Franchise Store presta uma assessoria gratuita aos investidores, sem compromisso, para que eles façam um bom negócio.”

Franchise Store leva mega estande para ABF Franchising Expo

A Franchise Store, primeira loja de franquias do Brasil, participará da ABF Franchising Expo 2013 com um mega estande de 260 metros quadrados, que abrigará 12 marcas – Casa Brasileira, Di Santinni, Flytour, Freddo, Leardi, Mania de Churrasco, Mr Cat, NetCallCenter, Onodera, Parfaire, Parmeggio e Red Balloon. A feira de franquias acontece na cidade de São Paulo entre 12 e 15 de junho e pretende movimentar 450 milhões de reais em novos negócios.

Criada pelo Grupo Cherto em 2008, a Franchise Store é hoje responsável pela expansão de 70 marcas franqueadoras e presta assessoria gratuita aos investidores que querem abrir uma franquia. “A ABF Franchising Expo 2013 é uma ótima chance para os investidores avaliarem as oportunidades que o mercado oferece e escolherem o modelo de negócio que mais combina com seus sonhos e sua capacidade financeira”, afirma Filomena Garcia, sócia-diretora da Franchise Store. “A equipe da Franchise Store presta uma assessoria gratuita aos investidores, sem compromisso, para que eles façam um bom negócio.”

A feira, promovida pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), terá mais de 470 expositores entre franquias nacionais e delegações de associações internacionais.  Além dos estandes das marcas, os visitantes poderão participar de cursos sobre franquias durante a feira. O evento acontece nos pavilhões Azul e Branco do Expo Center Norte, entre 13 e 21 horas. O ingresso para a área de exposição custa 60 reais e para os cursos, 20 reais.

Ao todo, o evento espera receber 62 mil visitantes. A última edição contou com mais de 50 mil pessoas circulando pelo local e movimentou 400 milhões de reais em novos negócios. O mercado continua em expansão. No ano passado, as franquias brasileiras faturaram 103 bilhões de reais, um crescimento de 16,2% em relação a 2011.

Se você quiser participar da maior feira de franquias do mundo, que acontece em São Paulo entre os dias 12 e 15 de junho, basta mandar um e-mail até 09/06 para franchisestore@franchisestore.com.br com o assunto CONVITES PARA FEIRA DA ABF, dizendo por que você quer visitar a ABF Franchising Expo 2013. Coloque também seu e-mail, telefone e endereço. Os autores das melhores respostas ganharão um par de ingressos.

Quer ganhar um par de ingressos para maior feira de franquia do mundo?

Quer participar da maior feira de franquias do mundo, que acontece em São Paulo entre os dias 12 e 15 de junho? Então mande um e-mail para franchisestore@franchisestore.com.br com o assunto CONVITES PARA FEIRA DA ABF, dizendo por que você quer visitar a ABF Franchising Expo 2013. Coloque também seu e-mail, telefone e endereço. Os três autores das melhores respostas ganharão um par de ingressos. O resultado será divulgado no dia 8 de junho, sexta-feira, no site www.franquia.com.br e a nossa página no Facebook.

A ABF Franchising Expo 2013 terá mais de 400 expositores, entre franquias nacionais e delegações de associações internacionais.  Além dos estandes das marcas, os visitantes poderão participar de cursos sobre franquias durante a feira. O evento acontece nos pavilhões Azul e Branco do Expo Center Norte, entre 13 e 21 horas.

Ao todo, o evento espera receber 62 mil visitantes. A última edição contou com mais de 50 mil pessoas circulando pelo local e movimentou 400 milhões de reais em novos negócios. O mercado continua em expansão. No ano passado, as franquias brasileiras faturaram 103 bilhões de reais, um crescimento de 16,2% em relação a 2011.

A Franchise Store, primeira loja de franquias do Brasil, participará da ABF Franchising Expo 2013 com um mega estande de 260 metros quadrados, que abrigará 12 marcas – Casa Brasileira, Di Santinni, Flytour, Freddo, Leardi, Mania de Churrasco, Mr Cat, NetCallCenter, Onodera, Parfaire, Parmeggio e Red Balloon. A feira de franquias acontece na cidade de São Paulo entre 12 e 15 de junho e pretende movimentar 450 milhões de reais em novos negócios.

Criada pelo Grupo Cherto em 2008, a Franchise Store é hoje responsável pela expansão de 70 marcas franqueadoras e presta assessoria gratuita aos investidores que querem abrir uma franquia. “A ABF Franchising Expo 2013 é uma ótima chance para os investidores avaliarem as oportunidades que o mercado oferece e escolherem o modelo de negócio que mais combina com seus sonhos e sua capacidade financeira”, afirma Filomena Garcia, sócia-diretora da Franchise Store. “A equipe da Franchise Store presta uma assessoria gratuita aos investidores, sem compromisso, para que eles façam um bom negócio.”

Tudo que você precisa saber antes de investir nesse setor

O setor de alimentação, o mais forte do franchising brasileiro, segue em crescimento. De acordo com a pesquisa divulgada hoje (05/06) pela Associação Brasileira de Franchising (ABF) e consultoria ECD, o faturamento das redes teve alta de 11% em 2012, sem considerar as lojas inauguradas no ano. Ao somar as novas lojas, o crescimento fica ainda mais expressivo:18% em relação ao ano anterior.

 “Em 2012, o sistema de franquias na área de alimentação manteve seu vigor, confirmando as expectativas do mercado com o sucesso neste modelo de negócio”, ressalta João Baptista Jr., coordenador do Grupo Setorial de Redes de Alimentação da ABF. Segundo ele, o setor continua otimista e prevê crescimento de 13% em 2013.

A notícia é boa para quem pretende se tornar um franqueado de uma rede de alimentação. Mas convém analisar outros aspectos do mercado antes de investir – inclusive a rentabilidade de cada modelo. Hoje, a grande preocupação do setor revelada pelo estudo é a alta nos custos. “O preço da matéria-prima, de ocupação (aluguel e taxas) e com a mão de obra tem pressionado muito a lucratividade das empresas”, afirma Baptista. Além disso, as taxas para renovação de contratos em shoppings e demais centros de compra também subiram em média 9%.

Veja abaixo os principais resultados da pesquisa: 

Segmentos analisados

Foram analisados sete segmentos presentes no setor de redes de alimentação: Snack/Cafeteria (19%), Sanduíches (14%), Pizzas/Massas (12%), Comida Asiática (9%), Comida Variada/Grelhado (31%), Doceria/Sorveteria (10%) e Outros (5%).

 Presença das lojas por Estado em 2012

Algumas mudanças significativas foram percebidas neste ano na presença das lojas por Estado. “O Nordeste continua como a região que mais se destacou; em 2012 apresentou 11% das lojas e, até 2016, a expectativa é de que 18% das aberturas de lojas serão nessa região”, afirma Enzo Donna.

A região Centro-Oeste mostra uma queda no ritmo de abertura das lojas devido à saturação de seus principais centros (Brasília e Goiás). Já a região Norte apresenta uma forte tendência de crescimento de 4% para 7% até 2016.

A região Sudeste, principal polo econômico do País, conforme tendência anunciada em pesquisas anteriores, mostra uma queda gradual na abertura de lojas, de 67% em 2012 para 55% até 2016.

O Sul do Brasil, que no ano passado havia apresentado um declínio gradual, mostrou ser uma fronteira interessante para o sistema, apontando um novo direcionamento de 8% para 10%, até 2016.

“Em termos de crescimento, os Estados da Bahia, Pernambuco, Minas Gerais e Rio de Janeiro aparecem em franco desenvolvimento até 2016”, ressalta Baptista.

Localização das lojas de franquias de alimentação

O shopping continua sendo a principal localização de lojas e quiosques. Quando se analisa a localização das novas lojas, o shopping perde espaço para a rua. Até 2016, espera-se que 40% e 49% das lojas sejam abertas em shoppings e ruas, respectivamente.

No caso de quiosques, o shopping ainda será relevante em 2016, com 65% da localização, 15% nos hipermercados e 15% em outros pontos comerciais como prédios comerciais, escolas e universidades.

Desempenho das redes

A pesquisa apontou um crescimento de 18% no faturamento das redes, destacando o bom desempenho do segmento de comida variada (16%), doceria/sorveteria (29%) e pizzas e massas (47%). “Estes setores tiveram um forte crescimento devido à agressiva abertura de lojas no período em que a pesquisa foi realizada”, diz João Baptista.

Os dados apresentados comprovam este desempenho quando comparamos o crescimento das novas lojas onde a taxa global é de 11%, e setores como comida variada com 7% de crescimento, pizzas e massas, com 12%, e doces/sorveterias que manteve um bom ritmo com 23%.

O crescimento nas mesmas lojas influenciou também as expectativas para 2013 em termos de aumento. O estudo sinalizou uma expectativa de crescimento de 13% em alguns setores mais conservadores como: sanduíches, o maior do segmento, e snack/cafeterias. “As expectativas são mais animadoras para as docerias e sorveterias, redes de pizzas e massas e de comida variada. Acreditamos que, nestes setores, a abertura de lojas seja a explicação para este otimismo”, ressalta João Baptista.            

 Segmento

Qual foi sua taxa de crescimento em 2012?

Qual foi sua taxa de crescimento em 2012?  

Qual é a expectativa de crescimento para 2013?

Comida Asiática

9%

12%

17%

Comida Variada

16%

7%

20%

Doceria / Sorveteria

29%

23%

40%

Pizzas / Massas

47%

12%

36%

Sanduíche

13%

11%

9%

Snack / Cafeteria

11%

8%

11%

Total

18%

11%*

13%

Com relação a outros indicadores de desempenho, o faturamento por metro quadrado manteve o perfil semelhante aos outros anos. O destaque fica para o setor de pizzas e massas (R$ 30.563,00/m²) e comida variada (R$ 25.446,00/m²).

Segmento

Faturamento por m2

Comida Asiática

R$ 13.236,00

Comida Variada

R$ 25.446,00

Doceria / Sorveteria

R$ 9.601,00

Pizzas / Massas

R$ 30.563,00

Sanduíche

R$ 17.401,00

Snack / Cafeteria

R$ 19.514,00

A pesquisa ainda destaca que o faturamento médio, por funcionário, cresceu nos seguintes setores: sanduíches (R$ 108.850,00 funcionário/ano) e comida asiática (R$ 89.223,00 funcionário/ano).

 Segmento

Faturamento por funcionário

Comida Asiática

R$ 89.223,00

Comida Variada

R$ 75.817,00

Doceria / Sorveteria

R$ 52.416,00

Pizzas / Massas

R$ 82.549,00

Sanduíche

R$ 108.850,00

Snack / Cafeteria

R$ 62.418,00

Outro item importante para entender a dinâmica do setor, é analisar a evolução do ticket médio, que cresceu 4,7% com relação ao ano de 2012. Esse aumento foi influenciado por taxas menores como a de sanduíche (4,1%) e comida variada (3,8%).

A mostra ainda apresenta os setores com maiores altas no ticket médio. Os segmentos de doceria/sorveteria aparecem em primeiro lugar (12,6%), seguido de pizzas/ massas (10%), comida asiática e snack/cafeteria que mantiveram taxas de 7%. “Acreditamos que a forte concorrência no mercado de sanduíches, com players relevantes e com fortes campanhas publicitárias e abertura de lojas, tem sido um dos fatores responsáveis pelo baixo crescimento do ticket”, ressalta João Baptista.

Segmento

Variação do Ticket médio

Comida Asiática

6,9%

Comida Variada

3,8%

Doceria / Sorveteria

12,6%

Pizzas / Massas

10,0%

Sanduíche

4,1%

Snack / Cafeteria

7,1%

Média

4,7%

Com relação ao público, as lojas em quase todos os segmentos tiveram aumento de clientes, sendo mais expressivo o de doceria/sorveteria (23,2%) e o mais conservador o  de sanduíches (2,6%). “Sem dúvida o aumento de público foi um fator relevante no aumento do faturamento, pesando em alguns casos mais que a evolução de ticket”, observa João Baptista.

TABELA: Média mensal de clientes atendidos por loja e variação do número de clientes por rede

Segmento

Clientes  atendidos Por loja (1)

Variação 2012 x 2011 Por rede (2)

Comida Asiática

 4.169

5,2%

Comida Variada

 7.232

9,6%

Doceria / Sorveteria

 6.908

23,2%

Pizzas / Massas

 4.629

9,2%

Sanduíche

 41.702

2,6%

Snack / Cafeteria

 6.085

11,0%

 

Custos  

O principal custo, que é o da mercadoria, constitui em média 33%, com um aumento de 5,4%, em 2012, influenciado por setores como: pizza e massas (14%) e sanduíches (10%), que representaram os maiores impactos.

O custo de ocupação em shopping continua sendo o mais alto (15% do faturamento entre aluguel e condomínio).

Outro grande custo, o de mão de obra, mostrou algumas características especiais: sua participação aumentou 21% no faturamento das redes. Os setores que tiveram maior impacto foram o de comida variada (12%) e sanduíches (9%).

Desafios do setor

“O impacto do custo da mão de obra se tornou um grande desafio para setor. O turnover continua alto, na casa dos 48%, mantendo o perfil de anos anteriores”, explica Enzo Donna da ECD Food Service, coordenador da pesquisa.

Ainda segundo o consultor, as empresas fazem fortes esforços para reter seus funcionários. “Cerca de 71% das redes têm algum programa de incentivo ao desempenho e 100% têm programas de treinamento intensivo com aumento da frequência da capacitação.”  

 “O ponto de atenção revelado pela pesquisa é que o empresário não consegue repassar esses custos de forma integral aos consumidores. Para manter a base de clientes tem sido necessário fazer muitas promoções”, ressalta João Baptista.

Outra preocupação do setor, que pode, inclusive, impedir sua expansão é a complexa política tributária do País. “A diferenciação de taxas por Estado pode inibir o crescimento das redes”, finaliza João Baptista

 Todos os respondentes reclamaram do aumento de preços das matérias-primas, especialmente em hortifrúti (59%), carne bovina (56%), queijos (41%), embalagens (37%), aves (34%) e leite (32%).