Mercado em Destaque

 

7 tipos de franquias: encontre o ideal para você

Conheça os detalhes dos principais segmentos de franquias e escolha aquele que mais se adapta ao seu estilo.

Alimentação:

Alimentação é o segmento que oferece o maior número de oportunidades em franquia, sendo impulsionado no ano de 2010 pelas novas franquias de frozen yogurt em todo o Brasil, além de marcas no segmento de alimentação saudável e light.

 

Serviços e Turismo:

Serviços é uma área que vem tendo um crescimento bastante expressivo nos últimos 3 anos, com a entrada de novas franquias no segmento financeiro, imobiliário, agências de turismo, academias, spas, de um modo geral, serviços que estão relacionados com o bem star e melhora de qualidade de vida.

 

Moda e acessórios:

Este é o segundo segmento que a Franchise Store mais comercializou no ano de 2010, liderado principalmente pelas marcas de calçados, moda infantil e feminina.

 

Cosméticos:

Existe uma tendência de marcas que só operavam no varejo multimarca como forma de ocupar mercado estão partindo para o modelo de franquias e vendendo seus produtos em lojas exclusivas. Esta é uma oportunidade para quem deseja operar não só marcas nacionais mas também marcas internacionais as quais já pesquisam o mercado brasileiro em função do grande volume que hoje este segmento já movimenta.
 

Saúde e Beleza:

É um dos segmentos que não só em franquias, mas em outros tipos de varejo vem se destacando, seja pelo lançamento de novos produtos, mas principalmente por modelos de negócios que geram uma experiência de compra diferenciada junto ao consumidor, estando entre os três maiores segmentos no mercado de franquia.

 

Educação:

É um mercado muito conhecido principalmente pelas escolas de idiomas, traz hoje também além destas oportunidades, novos modelos de negócios com foco em cursos profissionalizantes, cursos na área jurídica, entre outros.
 

Acesse o portal exame e leia a reportagem na íntegra:

http://exame.abril.com.br/pme/noticias/7-tipos-de-franquias-encontre-o-ideal-para-voce?p=1#link

O mercado de franquias

 

Franchise Store, empresa que mais comercializa franquias no mundo, anuncia que fechou o ano de 2010 com um crescimento de 25% com relação a 2009. Em dois anos de operação a loja passou de 20 para mais de 70 marcas, vendeu cerca de 460 franquias dos mais diversos segmentos, gerou 3.600 empregos diretos, comercializou 260 pontos comerciais e movimentou R$ 225 milhões na abertura de novos negócios. No total, foram 60 workshops realizados ao longo de 24 meses, com participação de mais de 5 mil investidores.
 

Estudo realizado em 2010 pela Franchise Store aponta que 80% dos investidores que compram franquias têm ensino superior completo. Do total, 57% investem mais de R$ 100 mil no negócio e 15%, acima de R$ 250 mil. No ano passado só 49% dos franqueados aplicavam mais de R$ 100 mil. “Os dados comprovam o que vemos no dia-a-dia: o setor de franchising é visto cada vez mais como um setor de investimento muito seguro”, garante Filomena Garcia, sócia-diretora da Franchise Store.
 

Mais de 43% dos compradores de franquias na Franchise Store têm até 30 anos. “A geração Y quer gratificação instantânea. Ter o próprio negócio é uma forma de se conseguir retorno financeiro mais rápido do que esperar anos para subir de cargo numa grande empresa”, comenta Filomena. Nos últimos cinco anos o percentual de jovens que planeja abrir seu próprio negócio dobrou.

As regiões Norte e Nordeste foram responsáveis por 21% das vendas da Franchise Store este ano – aumento de 29% em relação ao ano passado.

A alimentação foi o setor de destaque com 26% de ocupação de mercado, seguido de vestuário com 11% e de saúde e beleza com também 11% de ocupação.

Em 2011 a Franchise Store pretende chegar a 100 marcas e crescer 20% em relação o ano anterior.

Monte sua Rede

 

Antes de entender os passos para a construção de uma operação de Franchising, é necessário entender os motivos para utilizá-lo como estratégia de Expansão de Vendas.
 

O Franchising não é uma solução para qualquer empresa, é um sistema complexo de estruturar e gerir s só faz sentido se a empresa entrar no modelos pelos motivos corretos. É necessário entender se as variáveis de negócio da empresa realmente indicam o Franchising como a melhor estratégia, ou se existem outras opções, talvez mais simples e de maior potencial para a expansão da empresa.
 

Para entender este ponto, vamos entender quais são os bons e os maus motivos para iniciar e construir uma operação de Franchising.

Redes que têm como base os bons motivos ampliam seu potencial de sucesso de longo prazo e podem se diferenciar do mercado através do modelo de Franchising;
 

Redes que ingressam no modelo baseadas nos maus motivos podem até conseguir resultados iniciais positivos, porém, tende a perder diferencial e espaço no mercado em longo prazo.
 

10 motivos bons para franquear um negócio:

Interesse em Crescer e Expandir os Negócios;

Reduzir a exposição da empresa, reduzindo o capital próprio empregado em uma operação;

Manter um gestor comprometido à frente do negócio;

Fortalecimento da marca;

Ganho de escala junto a Fornecedores;

Necessidade de controle sobre a Rede;

Criar barreiras para a concorrência;

Ganhar segurança de longo prazo;

Dificuldade de gestão à distância;

Retorno sobre o investimento.
 

Para mais informações sobre formatação de franquias, entre em contato com o Grupo Cherto:

www.cherto.com.br

Cherto – São Paulo

Endereço

Avenida Paulista, 1337 – 11 andar

Bela Vista – 01311-200 – São Paulo – SP

Telefone: (11) 3549-9910

Cherto – Rio de Janeiro

 

Endereço

Rua São José, 40 – 5 andar

Centro – 01311-200 – Rio de Janeiro – RJ

Telefone: (21) 3064-5920

Papel do franqueador

 

Cabe à empresa franqueadora, de forma geral:

  •  Definir e desenvolver o conceito de negócio que será franqueado;
  •  Testar na prática o conceito;
  •  Estabelecer as Normas, Processos, Políticas e Padrões a serem observados pelos franqueadores;
  •  Recrutar e selecionar os franqueados ideais para compor a rede;
  •  Capacitar estes franqueados através de programas de capacitação, Guias de Processos e Manuais, garantindo aos franqueados o acesso aos conhecimentos de que necessitam;
  •  Apoiar e orientar os franqueados na elaboração e implementação de planos e ações necessárias à concretização do potencial de resultados de cada um dos franqueados;
  •  Supervisionar e monitorar a rede de franquias, para garantir a consistência na observância das Normas, Políticas, Processos e Padrões, garantindo assim consistência na imagem de toda a rede.

 

Veja também

Papel do franqueado

 

Conheça os direitos e deveres de quem investe em uma unidade franqueada:

  • Investir (e reinvestir) os recursos necessários para implantar a respectiva unidade de negócios;
  • Utilizar apenas os produtos, serviços e fornecedores definidos e/ou credenciados e autorizados pela empresa-franqueadora;
  • Pagar à empresa-franqueadora os valores relativos à aquisição e continuidade da franquia;
  • Arcar com os custos e despesas relacionados à operação e à gestão de seu negócio;
  • Observar os padrões, normas, processos e políticas da rede, em tudo o que se refere à implantação, operação e gestão de sua unidade;
  • Cooperar com o franqueador e com os demais integrantes de sua rede na busca de diferenciais competitivos;
  • Adotar apenas as ações de marketing que sejam compatíveis com a imagem e o posicionamento da marca que identifica a rede;
  • “Fazer acontecer”, a sua unidade, cuidando do dia-a-dia, orientando e motivando seus colaboradores, ouvindo e cativando seus clientes.

 

Veja também

Como surgiu

 

Alguns historiadores afirmam que o conceito nasceu na Idade Média, quando a Igreja Católica passou a conceder licenças ou franquias a senhores de terras para que, em seu nome, coletassem impostos e taxas.
 
Mas o Franchising “business-to-consumer”, tal como o conhecemos hoje, surgiu nos Estados Unidos por volta de 1851, quando a fabricante de máquinas de costura Singer Sewing Machine Company resolveu outorgar licenças a comerciantes independentes, interessados em revender seus produtos.
 
Alguns anos mais tarde, em 1898, foi a vez da General Motors iniciar a utilização do sistema para expandir a rede de pontos de venda dos carros que produzia, criando o que mais tarde veio a ser chamado de Concessionárias. Até então, os veículos eram vendidos apenas diretamente pela empresa aos consumidores.
 
Em 1899, a Coca-Cola criou a primeira franquia de produção de que se tem notícia, passando a outorgar licenças para empresários interessados em produzir e comercializar seus refrigerantes no âmbito de áreas geográficas definidas por contrato, mais ou menos nos moldes do que faz até hoje.
 
A partir do início do Século XX, o uso do Franchising se difundiu. Porém, a grande "explosão" do sistema só ocorreu após o término da II Guerra Mundial, quando milhares de americanos, ex-combatentes, voltaram para os EUA determinados a se tornar seus próprios patrões.
 
O Franchising, então, surgiu como a grande solução, não só por assegurar o acesso, pelos empreendedores, aos conhecimentos, processos e sistemas de que necessitavam para ser bem-sucedidos, mas também na medida que a aquisição de uma franquia facilitava a obtenção de financiamento em condições bastante favoráveis junto a Small Business Administration, uma espécie de Sebrae americano.
 
Alguns dos franqueadores mais conhecidos hoje em dia, como a Dairy Queen e a Baskin-Robbins, iniciaram naquela época (anos 1940) seus processos de concessão de franquias.
 
Dos anos 1950 para cá, o sistema continuou a crescer a um ritmo cada vez mais alucinante, não apenas nos Estados Unidos, como também nos demais países onde seu uso se popularizou.
 
No Brasil, embora se possa falar de formas rudimentares de franquias surgindo aqui ou ali desde a década de 1940, com algum destaque para o Yázigi e o CCAA nos anos 1960, o Franchising só teve início, para valer, ainda que de forma não muito estruturada, a partir dos anos 1970. E, mais notadamente, de meados dos anos 1980 em diante.
 

 

Compre uma franquia

 

Na essência, o Franchising consiste em replicar, em diversos locais ou mercados, um mesmo conceito de negócio. Cada um desses “clones” do conceito de negócio leva o nome de franquia, que é implantada, operada e gerida por um terceiro autônomo, o Franqueado.

O franqueado é autorizado pela franqueadora, por meio de contrato, a comercializar determinados produtos e/ou a prestar certos serviços, em combinação com o uso de uma ou mais de uma marca e dos métodos, sistemas, políticas e padrões desenvolvidos por ela, a franqueadora.

O franqueado pode ser considerado autônomo, já que é o proprietário da unidade que opera e administra e, como tal, goza de um certo grau de liberdade. Mas não pode se considerar independente, pois deve observar normas, políticas e padrões ditados pela franqueadora.

Evidentemente, o grau de autonomia do franqueado costuma variar de uma organização para a outra. Mas, em todos os casos, há a imposição, pelo franqueador a cada franqueado, de um mínimo de padrões a serem observados.

Em muitos casos, esses padrões chegam a abranger todos, ou quase todos, os aspectos mais relevantes da Implantação, Operação e Gestão do negócio, incluindo localização e layout do estabelecimento franqueado, equipamentos e instalações, “mix” de produtos e serviços, rotinas operacionais, política comercial, plano de contas, software de gestão e diversos outros.

Veja também

Segmento de franquias supera expectativas

 

Segmento de franquias supera expectativas

 

 
Pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Franchising (ABF) apontou que o segmento de franquias do Brasil encerrou o ano de 2010 com um crescimento de 20,4%, em relação ao ano anterior.  O número foi maior do que as expectativas do setor, que esperava um crescimento de 14 a 19%. O estudo foi realizado pela ABF com 1.855 marcas de franquias atuantes no país.
 
O faturamento total das franquias alcançou no ano passado a marca de R$ 75.987 bilhões. O número de redes em operação no país cresceu 12,9% e o número de unidades (franqueadas e próprias) chegou a 86.365, que significa um incremento de 8% em relação ao ano anterior. Essa expansão resultou na abertura  de  mais de 57 mil novos  postos  de trabalho. O setor é responsável hoje por mais de 777 mil empregos diretos.
 
A previsão da ABF é que a tendência de crescimento continue. Para 2011, o setor estimou um crescimento de 15%. Segundo a Associação, o desempenho das franquias em 2010 foi motivo de comemoração para muitos investidores. ‘Continuamos crescendo na casa dos dois dígitos ao ano. O aumento no número de redes e a expansão das marcas já existentes demonstram o grande potencial do setor’, afirma Ricardo Camargo, diretor executivo da ABF.
 
Segundo o executivo, o bom desempenho foi alavancado pelo próprio desempenho da economia brasileira, pela oferta de crédito e o aumento do poder de compra da população. ‘O surgimento das microfranquias (franquias cujo investimento inicial não passa de R$ 50 mil) é o reflexo dessa nova realidade do mercado’, explica Camargo.
 
Como exemplo das microfranquias estão as redes Amigo Computador, que pulou de 18 para 32 unidades; e Tutores, que agora tem 121 contra 108, em 2009. Estas redes  integram o Grupo Zaiom, que  participa do EmpreendaMais MT, nos dias 23 e 24 de novembro, no Centro de Eventos do Pantanal, em Cuiabá. Reunindo soluções, tendências e novidades no segmento de franquias, o EmpreendaMais MT  traz uma feira de franquias, onde grandes redes do mercado nacional apresentarão suas oportunidades para empreendedores interessados em abrir um negócio próprio na região.
 
Já confirmadas a participação de franquias e oportunidades de negócios Onodera; Grupo Zaiom – Home Angels, Tutores, Doutor Faz Tudo, Amigo Computador, Dr. Jardim, Home Depil e Globish; Super Ótica São José; Calzoon; Instituto da Costura; Quantum; Não + Pêlo; Dr. Resolve. A Franchise Store,  primeira loja de Franquias do Brasil, apresentará no evento marcas como Griletto, Domino’s, Spoleto, Koni Store, Notebook Century, Empório Bijux, Yoggi, Samello, Aloha Eyewear, Fórmula Academia, Ad Life Style, Espaço Árabe, Animafest, Deny Tennis, Valmari, NetCallCenter, Nina Fiori, Andarella e Sorridents.
 
Crescimento por setor – Outro grande motivador do crescimento do franchising foi o ingresso dos bancos de investimento. Apenas em 2010 surgiram 212 novas redes de franquia no mercado.  Por trás desse número estão indústrias, que cada vez mais buscam operações de varejo; times de futebol apostam nesse nicho de mercado; e as inovações como as casas de frozen yogurt. Só em 2010 surgiram 14 novas redes com essa especialidade. A Yoggi é uma delas e também estará na feira em Cuiabá.
 
 Em faturamento, o segmento de franquia que mais cresceu em 2010 foi o de Alimentação (39,9%), seguido pelos setores de Acessórios Pessoais e Calçados (29,9%), Vestuário (29,0%), Móveis, Decoração e Presentes (27,4%) e Esporte, Saúde, Beleza e Lazer (20,0%). ‘Os setores que mais cresceram estão intimamente ligados ao aumento do poder de compra da população’, explica Ricardo Camargo.  Ainda segundo ele, o faturamento apresentado pelo segmento de Alimentação também teve influência do aumento de preços, que foram repassados aos consumidores.
 
O segmento Esporte, Saúde, Beleza e Lazer ocupa o quinto lugar no ranking de faturamento no setor de franquias. Em 2010, o faturamento foi de R$ 11.842 bilhões, contra R$ 9.867,em 2009, uma variação de 20,0%. De olho no tamanho desse mercado, o crescimento em termos de unidades foi surpreendente. A rede Home Angels,  por  exemplo,  abriu 44 unidades em 2010.  ’Esse é outro  reflexo do crescimento  da  classe  C,  que  passou  a  utilizar produtos de beleza com mais frequência’, comenta o diretor executivo Ricardo Camargo.
 
Além de oferecer excelentes oportunidades de negócios, o EmpreendaMais MT vai contar com diversas palestras, cujo objetivo é trazer mais qualificação aos profissionais do varejo. Para Raúl Candeloro, diretor da Editora Quantum (revista VendaMais), a feira é ideal para quem busca abrir seu próprio negócio. “A expectativa é de que várias franquias nacionais estabeleçam contatos importantes para reforçar seus negócios em Cuiabá, aproveitando todo o potencial da região”, destaca Raúl.
 
O EmpreendaMais MT 2011 é uma realização do Sistema Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso- Fecomércio/Sesc e Senac-MT, através do Senac Varejo, em conjunto com a VendaMais, principal publicação de vendas e marketing do Brasil.
Informações: www.empreendamaismt.com.br

Spoleto

Localizado na Rua Joaquim Floriano, no bairro do Itaim Bibi, o novo Restaurante apresenta modelo sustentável, o Spoleto 21
 
 

O Spoleto Culinária Italiana acaba de inaugurar seu primeiro restaurante de rua com modelo sustentável em São Paulo e o local escolhido foi a Rua Joaquim Floriano, no Itaim Bibi, bairro empresarial e badalado da cidade.

O novo espaço tem um conceito totalmente diferente das lojas de praça de alimentação, com iluminação planejada, decoração cleanalém de seguir o modelo sustentável chamado Spoleto 21. O projeto, desenvolvido para atender às questões econômicas, sociais e ecológicas, segue as normas exigidas para o novo século, com objetivo de reduzir custos, otimizar processos e torná-los mais eficientes.

O atendimento inovador do restaurante, onde o cliente é o próprio Chef, marca registrada da rede, também está presente no Spoleto da Joaquim Floriano, onde a escolha do prato é feita em uma das duas cozinhas abertas. Assim, será possível observar e compor com liberdade as massas de grano duro importado, saladas, risottos de arroz arbóreo e carpaccios, dando margem às criativas receitas típicas da cozinha italiana.

“Como nosso cliente tem contato direto com a cozinha, ele tem liberdade total de escolher entre todos os ingredientes e molhos que o Spoleto oferece”, explica a gerente de expansão da rede, Renata Rouchou.

O investimento no projeto foi de R$ 550.000,00 e a expectativa para 2011 será de receber até o final do ano de 15 a 20 mil clientes. O fluxo maior de movimento é principalmente no horário do almoço, devido à concentração de executivos e inauguração dos diversos edifícios na região. 



Ficha técnica

Endereço: Rua Joaquim Floriano, 175
102 lugares.
Horário de atendimento: Seg. a Seg das 11:00 às 22:00
Cartões de Créditos:
VISA Crédito, Débito, Visa Vale, Rede card, débito e crédito e ticket restaurante eletrônico. Não tem área para fumante

Tel.: (11) 3596-8300

Clique aqui e conheça mais sobre a franquia!

Charanga

A Franchise Store está representando a franquia Charanga, marca internacional Espanhola de moda infantil. Estamos realizando um dia exclusivo de reuniões sobre a marca, para quem tem interesse em conhecer mais sobre a oportunidade de negócio. Agende sua reunião, sem compromisso, e venha entender porque este é um negócio de sucesso em diversos países e será no Brasil também!


Local: Franchise Store | Av. Nove de Julho, 4400 – Jardim Paulista – São Paulo.

 Horário: das 09h00 às 18h00 (agende seu horário pelo telefone 11 3729-2093 com Claudia Leite)

 

Atenciosamente,

Claudia Leite

 Franquias Charanga

 (11) 3729-2093

 charanga@frachisestore.com.br

Clique aqui e conheça mais sobre a franquia!

Samello

image

São Paulo – Fundada em 1924, a Samello já foi uma das mais importantes fabricantes de calçados do Brasil. Hoje, a empresa tenta recuperar o fôlego e investe na abertura de franquias para ganhar mercado.

Com 15 lojas em funcionamento, a rede prevê a abertura de outros 12 unidades até o final de 2012. Três franquias já têm locais definidos: Recife, Uberlândia, Teresina. Com isso, a Samello planeja mais que dobrar seu faturamento em 2012, passando de 11 milhões para 26 milhões de reais. 

Em 2007, a empresa esteve à beira da falência. A concorrência dos sapatos chineses fez com que a companhia interrompesse sua produção e acumulasse dívidas de 50 milhões de reais. 

Neste ano, a Samello mudou o layout das lojas e investiu em novos produtos para atrair o consumidor. O projeto é manter o ritmo de lançamentos em 2012. Uma franquia exige investimento de 350 mil reais, mais o valor do ponto comercial, e pode faturar até 90 mil reais por mês. O prazo de retorno é estimado entre 24 e 36 meses.

 

Clique aqui e conheça mais sobre a franquia!

Novo shopping será aberto próximo ao Itaquerão

Atenta à demanda de consumidores que virá com a inauguração do Itaquerão, o estádio do Corinthians, a Matec Holding finaliza projeto para a construção de um shopping na região, a cerca de três quilômetros do local, na capital paulista.

Serão investidos R$ 120 milhões no empreendimento, que terá foco na classe C.

“A região se tornou atrativa e está bem abastecida de infraestrutura, com metrô, linhas de ônibus e escolas”, afirma Luiz Augusto Milano, diretor-presidente da Matec.

A empresa planeja iniciar a construção em janeiro de 2012, mas não informa o local exato. O shopping, que terá 18 mil m² de área bruta locável, deverá ficar pronto em março de 2013 -mesmo ano em que o estádio deverá ser entregue.

O tamanho é equivalente ao do shopping Light (16,96 mil m²), no centro de São Paulo, e ao do Metrô Boulevard Tatuapé (18,76 mil m²), no bairro de seu nome.

Segundo Milano, há dois investidores participando do projeto, sendo um deles a própria Matec, que terá 50% de participação no negócio.

Pelo projeto atual, serão cinco âncoras (magazines e lojas de departamentos que têm público cativo), um cinema, três megalojas e 150 lojas. “Já temos 50% delas com pré-contratos assinados.”

O anúncio oficial da construção, no entanto, está previsto somente para o fim do ano ou começo de 2012.

A Matec Engenharia, braço do grupo, também está trabalhando em outros dois shoppings -nos quais não atua como investidora.

Um está localizado em Limeira, interior de São Paulo. A construção teve início em junho e deverá ser finalizada em outubro do ano que vem.

O outro empreendimento começou a ser feito em Santo André, na Grande São Paulo, há cerca de 30 dias e ficará pronto entre agosto e setembro de 2012.

Para este ano, a previsão é que sejam abertos 21 shoppings em todo o país, sendo que dez já foram inaugurados, como o Via Brasil Shopping, no Rio. Os dados são da Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers).

Huck vira sócio de rede de academias

image

 

 

o apresentador Luciano Huck é o mais novo sócio da rede de academias Fórmula, que pertence ao grupo Bodytech. Ele também emprestará sua imagem à publicidade da empresa e agirá como conselheiro de exploração de novos mercados, notadamente a cobiçada classe C.

 

Em regime de franquias com 300 metros quadrados sob um investimento de R$ 700 mil cada, os espaços para malhação terão mensalidades mais acessíveis, entre R$ 89 e R$ 159. A ideia é chegar a 40 unidades próprias em cidades de mais de 1 milhão de habitantes e 120 franquias em todo o País até 2015.